Miguel Macedo diz que os portugueses têm de ser menos bois e mais rãs

Miguel Macedo, depois da gaffe da cigarra e da formiga, poderia estar preocupado com a imagem, mas, segundo fonte do seu gabinete, “felizmente, não tem vergonha na cara. Para além disso, como está sempre a abrir muito os olhos e tem uma voz demasiado grave, anda constantemente entontecido, pelo que não se apercebe das consequências do que diz, sendo imune ao arrependimento, o que é imprescindível num político.”

Por uma questão de coerência, Miguel Macedo não desistiu de explicar o que tinha querido dizer, outra característica habitual dos políticos, e esclareceu que se referia “aos trabalhadores por conta de outrem e aos pequenos e médios empresários, comerciantes e agricultores, que, pelo trabalho de formiga que todos os dias fazem, criam riqueza, mantêm empregos e criam postos de trabalho em Portugal.”

Ao que parece, os restantes membros do governo já terão revelado que se sentem ofendidos por não poderem ser incluídos no grupo das formigas, sobretudo porque não têm conseguido criar postos de trabalho em Portugal. Estas declarações, aliás, poderão criar uma nova crise na coligação e Paulo Portas já terá começado a escrever uma declaração que começará “Se me perguntarem se gostei de ser comparado a uma cigarra, não gostei.”

Ainda atoleimado pelo facto de não conseguir piscar os olhos há mais de quinze minutos, Miguel Macedo já manifestou a vontade de continuar a recorrer a fábulas, prometendo que aproveitará o próximo discurso para declarar que “os portugueses têm se ser menos bois ou que têm de ser mais uvas do que raposas ou têm de parir menos ratos, uma coisa assim.”

 

Comments

  1. Konigvs says:

    É muito interessante analisar que este governo insulta constantemente as pessoas que representa. Alguém imagina que o presidente da CIP diga que os empresários são como umas carraças que chupam o sangue dos trabalhadores? Ou que o presidente de um sindicato venha dizer que os trabalhadores são como as preguiças que não fazem um caralho e por isso temos a produtivade que temos? – Não, pois não? Então também não percebo por que é que este governo sistematicamente insulta o povo que supostamente devia representar. Quer dizer, no fundo percebo, este governo mede todas as pessoas do país pela merda que eles mesmo são, uma cambada de filhos da puta que está no governo para arranjar tachos para eles e para os amigos à custa do dinheiro que é de todos. – Não é esse filho da puta desse ministro que também estava a receber indevidamente o subsídio de alojamento? Como esse filho da puta é mais uma carraça que chupa o Estado pensa que somos todos como ele. E não adianta tentar arrancar uma carraça que elas colam-se à pele sem descolar, elas só se aniquilam apertando-as até rebentarem todo o sangue que têm.

  2. E vive em lisboa e houve um pequenino probleda de “direito” a subsídio de renda de casa e nem sei em que ficou – se calhar ficou com mais direitos que não tem – tirem-me este senhor da minha frente

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.