Para onde vai o dinheiro do estado

Para onde vai o dinheiro do estadoPara onde vai o dinheiro do estado

Clicar nas imagens para ampliar

A infografia da direita foi publicada no Expresso de 3 de Novembro passado. Para melhorar a interpretação, traduzi os números apresentados em percentagens (tabela da direita).

O aspecto que mais me surpreendeu foi os juros da dívida pública custarem tanto quanto o SNS. É obra! Outro aspecto notável é o facto das prestações sociais como o abono de família, o subsídio de doença, o rendimento social de inserção (RSI) e o complemento solidário para idosos (CSI) apenas contabilizarem 2% da despesa. Tanto barulho com o RSI por causa de 0.39% da despesa. Também o subsídio de desemprego, tanta vez usado como justificação do aumento da despesa, apenas corresponde a 3.45% da despesa.

As pensões são a maior das despesas, correspondendo a 29% da despesa total. O estado português gasta mais em pensões do que em salários, o que me parece ser significativo de uma sociedade em declínio. Mas mesmo assim, ainda me surpreende mais a distribuição dos valores da despesa com pensões entre segurança social e a CGA. Se estes números estão correctos e se, como foi noticiado recentemente, os trabalhadores do estado correspondem a menos de 15% da população activa (creio que se falou em 11%), como é que é possível que um terço da despesa com pensões se deva à CGA? Se a percentagem de trabalhadores no estado está certa, então o valor da despesa devido à CGA não se deverá a um número elevado de pensões. Será então o número de reformas milionárias no estado assim tão elevado? Ou deve-se-á este valor a um elevado número de reformas antecipadas, que se traduziu numa baixa com a despesa de salários para se ter um correspondente aumento com as despesa de pensões? Se assim for, então a percentagem de trabalhadores no estado antes destas reformas antecipadas teria que ser muito superior a 15% da população activa.

Também não esperava que a despesa com salários nas autarquias fosse tão baixa. Por outro lado, comparando essa despesa com a despesa com pessoal nas regiões autónomas, estas, face à pouca população que têm, correspondem a uma percentagem enormíssima: 30% da despesa com pessoal nas autarquias mais regiões autónomas vai para estas últimas. Idem para a despesa “poder local e regional”, onde 25% vai para a Madeira e Açores. Como alguém disse certa vez, quem quer ter ilhas, paga-as. E estamos a pagá-las bem.

Finalmente, a terceira maior parcela de despesa vai para benefícios fiscais, com 12% da despesa total. Considero muito negativa esta redistribuição da colecta pois beneficia sobretudo quem já tem capacidade financeira para gastar em determinados bens. Não é uma redistribuição de quem tem muito para os que têm pouco mas sim para os que têm que lhes chegue e ainda lhes sobra para investir. Afinal de contas, haveria maior redistribuição de riqueza se estes 12% não fossem sacados aos trabalhadores por conta de outrem (os grandes pagadores de impostos) já que estes, na maioria, não têm hipótese de beneficiar desta discriminação positiva.

Fiz esta análise para perceber, afinal, porque é que pago tantos impostos e não tenho um estado de primeira categoria como nos países do norte. Concluo que há algumas bandeiras partidárias (RSI, por exemplo) que servem apenas para distrair. Por outro lado, vejo que só os benefícios fiscais e os juros da dívida somam 21.5% da despesa. É uma enormidade. Compreendo que a despesa com os juros da dívida nunca chegarão a zero mas, seguramente que estão altos de mais. E também gastamos mais com reformas do que com salários. Neste aspecto não me chocaria nada se, como na Suíça, se estabelecesse um tecto máximo para as pensões.

São estas as minhas leituras. E as suas? Como interpreta estes dados?

.

Comments


  1. Falta uma fatia enorme do OE, as verbas das PPP. Sei que grande parte está no SNS, mas faltam as infraestruturas de transportes e energia, era muito informativo ter ali descriminados esses valores.

    • jorge fliscorno says:

      Com efeito. Também tinha notado a ausência desta verba. Mas estou a processar alguns dados pelo em post futuro complementarei.

  2. Amadeu says:

    Outra coisa que me espanta nestes números são os quase 2 mil milhões para formação profissional. Dão para alimentar muitos Relvas e Coelhos, muitos Torres Coutos.
    Dão para tirar muita gente do número de desempregados, dando-lhes formações que nem ao menino Jesus interessam. Conheço alguns casos. Mesmo sabendo que algum do dinheiro venha do FSE, não tenho dúvida que haveria muito melhor maneira de o investir nas pessoas.
    Tudo isto é muito triste e revoltante.

    • André Silva says:

      Pois é, mas ninguém no parlamento, quer seja do governo, da oposição, ou da extrema esquerda sempre contra tudo e todos, alguma vez se lembrou de criticar qualquer despesa do estado. Logo, aquilo que essa gente muito indignada e muito contra a troika pretende realmente fazer, além de pôr em marcha a sua máquina de populismo oportunista, não é mais do que continuar a ter os impostos extremamente altos e manter o estado a servir de ama seca a qualquer cidadão. Como resultado, os relvas e coelhos deste mundo podem estar muito descansados que partidos como o PCP e o BE estão lá para os apoiar na sua exploração do nosso dinheiro de impostos, como se não precisassemos dele para sobreviver.

      • Ainda penso says:

        Para além de estar muito mal informado, denota um sentimento preconceituoso acentuado e generalista contra a esquerda ou “estrema-esquerda” como lhe chama. Quando se fazem afirmações destas ou outras quaisquer devemos estar devidamente documentados de forma a fundamentarmos as nossas afirmações. Neste caso além de serem completamente erróneas e ser perceptível o facto de não ler, nem ter conhecimento do que o PCP e o BE publicam, apresentam na Assembleia, comunicam e defendem, está a esquecer-se da realidade governamental deste país de há 36 anos a esta parte, os partidos PS, PSD e CDS. Ou também quer afirmar que foi o PCP e o BE que governaram e atiraram este país para o lamaçal em que se encontra? A corrupção alastrou por este país, até à actualidade, bem vísivel e comprovada neste artigo e em muitos comentários abaixo e o Sr. André desata a atacar os partidos que não estão, nem estiveram nos governos??? O Estado Social está ser destrúido, o desemprego e respectivas problemáticas sociais gravíssimas associadas, estão a disseminar-se por este país, a emigração dos nossos jovens e respectiva massa cinzenta aumenta a cada dia e o Sr. desata a atacar todos os que não tiveram nos governos e mais problemático ainda, que devido ao número baixo de votantes e de deputados eleitos e descriminação da comunicação social, na maioria das votações na Assembleia não conseguem ter “voto na matéria”? Apresentam alternativas e propostas que são sempre chumbadas pelos outros partidos, os mesmos que aprovaram todas estas leis prejudiciais e destruidoras do nosso país? Sabe quais são as propostas? Sabe quem são os que as chumbam? Aqueles que não atacou… PS, PSD e CDS.
        A educação, a cultura, a instrução, a formação e a verdadeira informação fazem a diferença de um povo.

        • Miguel says:

          Sim mt bonito. Pena que o BE e PCP fugiram à negociação com a troika. “Não queremos ter nada a ver com isto”, disseram eles na altura….

          Mas é assim que se defende um país, a fugir? Deviam estar lá a reclamar, lutar, discutir, o que for.. Mas nunca não estar lá.

          O BE reconheceu não sei quantos anos depois. O PCP, burro velho não aprende línguas.

          • Ainda penso says:

            Mais uma vez a ignorância. O PCP é o partido que até hoje mais lutou pelos portugueses. Veja a história de Portugal do séc. XX e faça uma visita a Caxias, ao Tarrafal, a Peniche e aos ficheiros da PIDE, na Torre do Tombo (se ainda não os destruiram), porque defender, lutar, sofrer e morrer se preciso for, pelo povo português foi coisa que nunca faltou ao PCP. Relativamente ao BE, mesmo sendo um partido “jovem” tem-se pautado por uma postura maioritariamente coerente com os valores e principios que defende desde o inicio, a defesa dos trabalhadores e dos mais desfavorecidos.
            Agora a explicação do motivo que levou a que eles não fossem à negociação com a troica. Já ouviu falar em cumplicidade? Sabe o que significa? Se não concordar em absoluto com uma situação desde o seu inicio, após dizê-lo, lutar para que o ouçam e mesmo assim persistirem no erro, o Sr. Miguel vai lá “berrar” mais uma vez ao vento? Ou, pelo contrário, mantém-se firme aos seus principios e não pactua com quem discorda totalmente? Só mais uma questão: onde tem estado ao longo dos anos, aquando das manifestações, das greves, das movimentações sociais que têm ocorrido no pós 25 de Abril de 1974?
            O povo português foi vitima, foi enganado, foi defraudado durante muitos anos, inicialmente com o fascismo, posteriormente pelos partidos PS, PSD e CDS, começando logo pela entrada para a UE e posteriormente com a aderência ao Euro. Agora se persistir nos erros que cometeu e que já lhe custaram a autonomia, a soberania, a economia, o desenvolvimento e o crescimento económico e social, só pode ser aquilo que o Sr. Miguel queria que o PCP e o BE fossem, cumplices no crime. Se lá estivessem estado, “eram iguais aos outros”, como não tiveram “não fizeram nada”. É preso por ter e por não ter cão. Que bonito… É por esta falta de união que nunca iremos a “lado algum”.

          • Miguel says:

            Podiam estar lá e mesmo assim não ter sido cúmplices. Lutavam pelo que defendem, e se não chegassem a acordo, simplesmente saíam de cabeça erguida. Tanto mais, que o Louça reconheceu que foi um erro não ter comparecido.

            Eu acredito que tentar não custa, mesmo quando a hipótese de sucesso é remota.

        • João Oliveira says:

          O Alma Penso escreveu uma parede de texto, que com certeza custou-lhe um bocado a escrever, mas não se deu conta que em nenhum ponto dele apontou um único exemplo do PCP ou BE a propor ou exigir um único corte na despesa. Em vez, apenas se pôs com o pueril “mas os outros são piores”, enquanto evitou sequer referir as políticas apoiadas pelo PCP.

          Se o Alma Penso (nome irónico) realmente quer provas tangíveis, subscreva e leia o jornal Avante. Eu faço-o, e como resultado eu estou a par das políticas sugeridas pelo PCP. O PCP nas últimas 3 décadas exigiu zero cortes na despesa, e o único corte de impostos que exigiu, que é apenas um corte aparente, foi sugerido há poucos dias, na forma das críticas ao IMI. Mesmo assim, o aparente apelo à redução de impostos é apenas isso; aparente. Na prática, a sua argumentação é que neste ano o imposto foi aumentado já imensamente, com a revisão dos escalões, e assim deviam evitar aplicar hoje e agora a taxa máxima a um conjunto de habitações. Nada mais, nada menos.

          O Alma Penso (novamente, nome irónico) pode agora, em vez de se pôr a espumar da boca, apontar medidas concretas propostas pelo PCP que insidiem no corte da despesa pública. Uma única medida, faça favor. Eu nem sequer vou esperar sentado, porque já sei que essa resposta nunca será dada. É assim que essa laia funciona: para inglês ver.

    • jorge fliscorno says:

      Também olhei para eles da mesma forma, apesar de não ter comentado. O dinheiro que se estoirou nos cursos do Fundo Social Europeu. Para quê?! Agora, depois de não nos termos tornado mais competitivos, pagam-se esses devaneios. E sim, hoje em dia há muito desemprego escondido numas coisas a que se chama formação profissional.


  3. Leitura complementar:

    http://www.pouparmelhor.com/noticias/graficos-do-orcamento-de-estado-2013/
    http://www.pouparmelhor.com/noticias/graficos-das-receitas-previstas-no-orcamento-de-estado-para-2013/

    Descarreguem os PDFs que elaboramos, porque têm um drill-down mais específico das despesas e receitas

  4. Miguel says:

    Como jovem, a parte que mais me preocupa é as pensões. Se agora está assim, daqui a 45 anos pergunto como estará.

    Faz-me também pensar no que se deve interpretar como direitos. Sim as pessoas que trabalharam têm direito a uma reforma, que actualmente é paga por todos os que trabalham. No entanto, quando a minha altura chegar eu também deveria ter direito, mas não vou ter.

    O que são afinal direitos?

  5. Bota Abaixo says:

    Lista de observatórios portugueses

    Observatório do medicamentos e dos produtos da saúde
    Observatório nacional de saúde
    Observatório português dos sistemas de saúde
    Observatório vida
    Observatório do ordenamento do território
    Observatório do comércio
    Observatório da imigração
    Observatório para os assuntos da família
    Observatório permanente da juventude
    Observatório nacional da droga e toxicodependência
    Observatório europeu da droga e toxicodependência
    Observatório geopolítico das drogas
    Observatório do ambiente
    Observatório das ciências e tecnologias
    Observatório do turismo
    Observatório para a igualdade de oportunidades
    Observatório da imprensa
    Observatório das ciências e do ensino superior
    Observatório dos estudantes do ensino superior
    Observatório da qualidade em serviços de informação e conhecimento
    Observatório da comunicação
    Observatório das actividades culturais
    Observatório local da Guarda
    Observatório de inserção profissional
    Observatório do emprego e formação profissional
    Observatório nacional dos recursos humanos
    Observatório regional de Leiria
    Observatório permanente do ensino secundário
    Observatório permanente da justiça
    Observatório estatístico de Oeiras
    Observatório da criação de empresas
    Observatório Mcom
    Observatório têxtil
    Observatório da neologia do português
    Observatório de segurança
    Observatório do desenvolvimento do Alentejo
    Observatório de cheias
    Observatório da sociedade de informação
    Observatório da inovação e conhecimento
    Observatório da qualidade em serviços de informação e conhecimento
    Observatório das regiões em reestruturação
    Observatório das artes e tradições
    Observatório de festas e património
    Observatório dos apoios educativos
    Observatório da globalização
    Observatório do endividamento dos consumidores
    Observatório do sul Europeu
    Observatório europeu das relações profissionais
    Observatório transfronteiriço Espanha-Portugal
    Observatório europeu do racismo e xenofobia
    Observatório dos territórios rurais
    Observatório dos mercados agrícolas
    Observatório virtual da astrofísica
    Observatório nacional dos sistemas multimunicipais e municipais
    Observatório da segurança rodoviária
    Observatório das prisões portuguesas
    Observatório nacional dos diabetes
    Observatório de políticas de educação e de contextos educativos
    Observatório ibérico do acompanhamento do problema da degradação dos povoamentos de sobreiro e azinheira
    Observatório estatístico
    Observatório dos tarifários e das telecomunicações
    Observatório da natureza
    Observatório qualidade
    Observatório da literatura e da literacia
    Observatório da inteligência económica
    Observatório para a integração de pessoas com deficiência
    Observatório da competitividade e qualidade de vida
    Observatório nacional das profissões de desporto
    Observatório das ciências do 1º ciclo
    Observatório nacional da dança
    Observatório da língua portuguesa
    Observatório de entradas na vida activa
    Observatório europeu do sul
    Observatório de biologia e sociedade
    Observatório sobre o racismo e intolerância
    Observatório permanente das organizações escolares
    Observatório médico
    Observatório solar e heliosférico
    Observatório do sistema de aviação civil
    Observatório da cidadania
    Observatório da segurança nas profissões
    Observatório da comunicação local
    Observatório jornalismo electrónico e multimédia
    Observatório urbano do eixo atlântico
    Observatório robótico
    Observatório permanente da segurança do Porto
    Observatório do fogo
    Observatório da comunicação (Obercom)
    Observatório da qualidade do ar
    Observatório do centro de pensamento de política internacional
    Observatório ambiental de teledetecção atmosférica e comunicações aeroespaciais
    Observatório europeu das PME
    Observatório da restauração
    Observatório de Timor Leste
    Observatório de reumatologia
    Observatório da censura
    Observatório do design
    Observatório da economia mundial
    Observatório do mercado de arroz
    Observatório da DGV
    Observatório de neologismos do português europeu
    Observatório para a educação sexual
    Observatório para a reabilitação urbana
    Observatório para a gestão de áreas protegidas
    Observatório europeu da sismologia
    Observatório nacional das doenças reumáticas
    Observatório da caça
    Observatório da habitação
    Observatório do emprego em portugal
    Observatório Alzheimer
    Observatório magnético de Coimbra

  6. Mais ainda says:

    LISTA DAS FUNDAÇÕES PORTUGUESAS
    Fundação INATEL
    2
    NIPC 505202107 – Fundação ELA
    3
    NIPC 509126693 – Fundação Cidade de Guimarães
    4
    NIPC 509641601 – Fundação para os Estudos e Formação Autárquica – CEFA
    5
    NIPC 507636295 – Fundação Casa da Música
    6
    NIPC 502857145 – Fundação Centro Cultural de Belém
    7
    NIPC 500122288 – Fundação Ricardo Espírito Santo Silva
    8
    NIPC 507878094 – Fundação de Arte Moderna e Contemporânea – Coleção Berardo
    9
    NIPC 507196449 – Fundação Carnaval de Ovar
    10
    NIPC 509133665 – Fundação Paula Rêgo
    11
    NIPC 510099734 – Fundação Júlio Pomar
    12
    NIPC 502697628 – Fundação Arpad Szénes – Vieira da Silva
    13
    NIPC 501659048 – Fundação Arbués Moreira
    14
    NIPC 510081266 – Fundação Museu Nacional Ferroviário Armando Ginestal
    15
    NIPC 507693671 – Fundação Museu do Douro
    16
    NIPC 503888729 – Fundação Cultursintra
    17
    NIPC 510058086 – Côa Parque – Fundação para a salvaguarda e valorização do Vale do Côa
    18
    NIPC 503777234 – Fundação D. Luís I
    19
    NIPC 504166255 – Fundação Portuguesa das Comunicações
    20
    NIPC 508122554 – Fundação Caixa Geral de Depósitos – Culturgest
    21
    NIPC 508225329 – Fundação Museu da Ciência
    22
    NIPC 502901896 – Fundação Marquês de Pombal
    23
    NIPC 508930693 – Fundação Bienal de Arte de Cerveira
    24
    NIPC 504902679 – Navegar – Fundação para o desenvolvimento cultural artístico e científico de Espinho
    25
    NIPC 502266643 – Fundação de Serralves
    26
    NIPC 503619752 – Fundação para o Desenvolvimento Social do Porto
    27
    NIPC 508958393 – Escola Profissional de Setúbal
    28
    NIPC 512054363 – Escola Profissional de Vila Franca do Campo
    29
    NIPC 504603205 – Escola Profissional de Leiria
    30
    NIPC 512061602 – Fundação de Ensino Profissional da Praia da Vitória
    31
    NIPC 502424451 – Fundação de Ensino e Desenvolvimento de Paços de Brandão
    32
    NIPC 504740830 – Fundação Átrio da Música
    33
    NIPC 505721678 – Fundação para a Protecção e Gestão Ambiental das Salinas Samouco
    34
    NIPC 501822500 – Fundação para a Computação Científica Nacional
    35
    NIPC 508838061 – Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES)
    36
    NIPC 500122202 – Fundação Casa de Bragança
    37
    NIPC 507860616 – Fundação Alter Real
    38
    NIPC 502326930 – Fundação Cidade de Lisboa
    39
    NIPC 503646598 – Fundação Ciência e Desenvolvimento
    40
    NIPC 504319728 – Fundação Odemira
    41
    NIPC 501526307 – Fundação Luso – Americana para o Desenvolvimento
    42
    NIPC 502991828 – Fundação Fernão Magalhães para o Desenvolvimento
    1/6
    Anexo n.o 2 – Listagem de fundações incluídas no âmbito de avaliação
    N.o
    NIPC e denominação da Fundação
    43
    NIPC 504233297 – Fundação Cidade Ammaia
    44
    NIPC 504747746 – Fundação Carlos Lloyd Braga
    45
    NIPC 509536786 – Fundação AEP
    46
    NIPC 503578088 – Fundação Instituto Politécnico do Porto
    47
    NIPC 503820547 – FNE – Fundação Nova Europa (Universidade da Beira Interior)
    48
    NIPC 504070096 – Fundação Económicas – Fundação para o desenvolvimento das ciências económicas, financeiras e empresariais
    49
    NIPC 500730229 – Fundação Dr. José Alberto dos Reis
    50
    NIPC 504089048 – Fundação Luís de Molina
    51
    NIPC 512058407 – Fundação Gaspar Frutuoso
    52
    NIPC – 502694858 – Fundação Luís Verney
    53
    NIPC – 503183504 – Fundação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
    54
    NIPC – 507159454 – Fundação AIP
    55
    NIPC – 503731552 – Fundação da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa
    56
    NIPC – 502447699 – Fundação da Universidade de Lisboa
    57
    NIPC – 504901591 – Fundação Francisco Salgado Zenha
    58
    NIPC – 502010282 – Fundação Gomes Teixeira
    59
    NIPC – 500122261 – Fundação Rangel de Sampaio
    60
    NIPC – 508307090 – Fundação Cultural da Universidade de Coimbra
    61
    NIPC – 508675650 – Fundação Instituto Arquitecto José Marques da Silva – Universidade do Porto
    62
    NIPC – 503646601 – Fundação para o Desenvolvimento da Universidade do Algarve
    63
    NIPC – 500792640 – Fundação Abel e João de Lacerda
    64
    NIPC – 500998426 – Fundação Medeiros e Almeida
    65
    NIPC – 501823603 – Fundação “Os Nossos Livros”
    66
    NIPC – 502556781 – Fundação Paço de Arcos
    67
    NIPC – 509158218 – Fundação Conservatório de Música da Maia
    68
    NIPC – 502721456 – Fundação Conservatório Regional de Gaia
    69
    NIPC – 503071706 – Fundação Luso-Brasileira para o Desenvolvimento do Mundo de Língua Portuguesa
    70
    NIPC – 503357685 – Lugar do Desenho – Fundação Júlio Resende
    71
    NIPC – 508524873 – Fundação António Quadros – Cultura e Pensamento
    72
    NIPC – 508675243 – Armazém das Artes – Fundação Cultural
    73
    NIPC – 506440079 – Fundação Amadeu Dias
    74
    NIPC – 502536926 – Fundação Eça de Queiroz
    75
    NIPC – 502825588 – Fundação Associação Académica da Universidade do Minho
    76
    NIPC – 500823863 – Fundação António Cupertino de Miranda
    77
    NIPC – 501661638 – Fundação Maria Antónia Barreiro
    78
    NIPC – 504232290 – Fundação A Lord
    79
    NIPC – 504658948 – Fundação Manuel Viegas Guerreiro
    80
    NIPC – 503530409 – Fundação Portugal-África
    81
    NIPC – 507080769 – Fundação Serrão Martins
    82
    NIPC – 510104347 – Fundação Madeira Classic
    83
    NIPC – 510116795 – Fundação La Salette
    2/6
    Anexo n.o 2 – Listagem de fundações incluídas no âmbito de avaliação
    N.o
    NIPC e denominação da Fundação
    84
    NIPC – 508043433 – Fundação Lapa do Lobo
    85
    NIPC – 502569700 – Fundação Dr. Elias de Aguiar
    86
    NIPC – 503212970 – Fundação Monjardino
    87
    NIPC – 503759716 – Fundação Manuel Leão
    88
    NIPC – 503984701 – Fundação Bracara Augusta
    89
    NIPC – 504866923 – Fundação Luso-Espanhola
    90
    NIPC – 501562958 – Fundação Casa Museu Mário Botas
    91
    NIPC – 501722653 – Fundação Celeste e Herberto de Miranda
    92
    NIPC – 501783016 – Fundação Maria Isabel Guerra Junqueiro e Luís Pinto de Mesquita Carvalho
    93
    NIPC – 502241128 – Fundação Casa Museu Maurício Penha
    94
    NIPC – 506060799 – Fundação Batalha de Aljubarrota
    95
    NIPC – 506653633 – Fundação Comendador Manuel Correia Botelho
    96
    NIPC – 507766881 – Fundação Graça Gonçalves
    97
    NIPC – 508209307 – Fundação José Saramago
    98
    NIPC – 504024922 – Fundação Solheiro Madureira
    99
    NIPC – 504773739 – Fundação João Carpinteiro
    100
    NIPC – 505984717 – Fundação Robinson
    101
    NIPC – 502511702 – Fundação Castro Alves
    102
    NIPC – 502270721 – Fundação Maria Ulrich
    103
    NIPC – 502452013 – Fundação Manuel Cargaleiro
    104
    NIPC – 502689943 – Fundação Millenium bcp
    105
    NIPC – 502697334 – Fundação Belmiro de Azevedo
    106
    NIPC – 503040843 – Fundação Cascais
    107
    NIPC – 503124869 – Fundação das Universidades Portuguesas
    108
    NIPC – 501363564 – Fundação Hospital D. Ana Laboreiro D’Eça
    109
    NIPC – 501651683 – Fundação Lusíada
    110
    NIPC – 501751289 – Fundação Francisco Fino
    111
    NIPC – 509684858 – Fundação Manuel António da Mota
    112
    NIPC – 510020216 – Fundação Sousa Cintra
    113
    NIPC – 506997286 – Fundação EDP
    114
    NIPC – 502008229 – Fundação Oriente
    115
    NIPC – 507432258 – Fundação Marion Ehrhardt
    116
    NIPC – 504586424 – Fundação Passos Canavarro – Arte, Ciência e Democracia
    117
    NIPC – 502607122 – Fundação Mário Soares
    118
    NIPC – 504425277 – Fundação Pedro Ruivo
    119
    NIPC – 502263342 – Fundação da Juventude
    120
    NIPC – 502968222 – IFEC – Fundação Rodrigues da Silveira
    121
    NIPC – 508838851 – Fundação Galp Energia
    122
    NIPC – 503476080 – Fundação Círculo de Leitores
    123
    NIPC – 504515586 – Fundação Cultura Juvenil Maestro José Pedro
    124
    NIPC – 505220962 – Fundação Manuel Simões
    125
    NIPC – 501934553 – Fundação A. C. Santos
    3/6
    Anexo n.o 2 – Listagem de fundações incluídas no âmbito de avaliação
    N.o
    NIPC e denominação da Fundação
    126
    NIPC – 508750717 – Fundação Albertina Ferreira de Amorim
    127
    NIPC – 504772260 – Fundação Amália Rodrigues
    128
    NIPC – 500730806 – Fundação Amélia da Silva Mello
    129
    NIPC – 510100198 – Fundação Caixa Agrícola de Leiria
    130
    NIPC – 503959995 – Fundação Casa de Macau
    131
    NIPC – 504326538 – Fundação Eng.o António Pascoal
    132
    NIPC – 501936475 – Fundação Hermínia Ester Lopes Tassara
    133
    NIPC – 502309377 – Fundação José Cardoso
    134
    NIPC – 500122210 – Fundação Casa de Mateus
    135
    NIPC – 502669918 – Fundação João Jacinto de Magalhães
    136
    NIPC – 500745684 – Fundação Calouste Gulbenkian
    137
    NIPC – 502643560 – Fundação Professor Francisco Pulido Valente
    138
    NIPC – 502988665 – Fundação Merck Sharp & Dohme
    139
    NIPC – 503323055 – Fundação BIAL
    140
    NIPC – 502744910 – Fundação de Assistência Médica Internacional
    141
    NIPC – 503904090 – Fundação FOCUS Assistência Humanitária Europa
    142
    NIPC – 502304839 – Fundação Maria Augusta de Brito Subtil
    143
    NIPC – 502117907 – Fundação Maria Manuela e Vasco de Albuquerque D’Orey
    144
    NIPC – 509179436 – Fundação Mata do Buçaco
    145
    NIPC – 505578603 – Fundação Mater Timor Loro’ Sae
    146
    NIPC – 500766541 – Fundação Padre José Filipe Rodrigues
    147
    NIPC – 509589677 – Fundação Portugal Singular
    148
    NIPC – 511046480 – Fundação Social Democrata da Madeira
    149
    NIPC – 504804766 – Fundação Stanley Ho
    150
    NIPC – 500766550 – Fundação Vale Flor
    151
    NIPC – 505053756 – Fundação Vitor e Graça Carmona
    152
    NIPC – 501066055 – Instituto Marquês de Valle Flor
    153
    NIPC – 507783409 – Libertas et Justitia – Em defesa dos Direitos Humanos
    154
    NIPC – 503412074 – Pro Dignitate – Fundação de Direitos Humanos
    155
    NIPC – 503723029 – Fundação António Aleixo
    156
    NIPC – 509330002 – Fundação Brazelton/ Gomes-Pedro para as Ciências do Bébé e da Família
    157
    NIPC – 507441184 – Fundação CONDUCTUS
    158
    NIPC – 504729292 – Fundação do Gil
    159
    NIPC – 974242969 – Fundação Fausto Figueiredo
    160
    NIPC – 508728720 – Fundação Maria Dias Ferreira
    161
    NIPC – 503189782 – Fundação Maria Guilhermina de Deus Ramos Soares Lopes
    162
    NIPC – 504170449 – Fundação Nortecoope
    163
    NIPC – 507389565 – Fundação D. Bosco – Projecto Vida
    164
    NIPC – 502687282 – FEDRAVE – Fundação para o Estudo e Desenvolvimento da Região de Aveiro
    165
    NIPC – 504901052 – Fundação Aristides de Sousa Mendes
    166
    NIPC – 504708260 – Fundação Arquivo Paes Teles
    167
    NIPC – 502146354 – Fundação Convento da Orada – Fundação para a Salvaguarda e Reabilitação do Património Arquitectónico
    4/6
    Anexo n.o 2 – Listagem de fundações incluídas no âmbito de avaliação
    N.o
    NIPC e denominação da Fundação
    168
    NIPC – 507131827 – Fundação D. Anna de Sommer Champalimaud e Dr. Carlos Montez de Champalimaud
    169
    NIPC – 504310615 – Fundação D. António Ribeiro
    170
    NIPC – 501383484 – Fundação D. Maria Emília de Vasconcelos Cabral
    171
    NIPC – 500700664 – Fundação Engenheiro António de Almeida
    172
    NIPC – 500766525 – Fundação Rogério Cardoso
    173
    NIPC – 500766533 – Fundação Moga
    174
    NIPC – 500820171 – Fundação Dionísio Pinheiro e Alice Cardoso Pinheiro
    175
    NIPC – 501208585 – Fundação Salvador Caetano
    176
    NIPC – 501350306 – Fundação Oliveira Martins
    177
    NIPC – 501612564 – Solidários – Fundação para o Desenvolvimento Cooperativo e Comunitário
    178
    NIPC – 502556773 – Fundação Terras de Santa Maria da Feira
    179
    NIPC – 502784040 – Fundação Luso Africana para a Cultura
    180
    NIPC – 503507628 – Fundação Escola Americana de Lisboa
    181
    NIPC – 504095650 – Fundação Hispano-Portuguesa Rei Afonso Henriques
    182
    NIPC – 511152280 – Fundação Martha Gerthrud Schon Gomes da Silva
    183
    NIPC – 512028710 – Fundação Engenheiro José Cordeiro
    184
    NIPC – 508867380 – Fundação Francisco Manuel dos Santos
    185
    NIPC – 509240216 – Fundação Eurocrédito
    186
    NIPC – 504517201 – Fundação Professor Ernesto Morais
    187
    NIPC – 504558811 – Fundação Jorge Álvares
    188
    NIPC – 505263416 – Fundação Vodafone Portugal
    189
    NIPC – 506169324 – Fundação Nadir Afonso
    190
    NIPC – 506299651 – Fundação Maria Inês de Menezes Vaz Sampaio
    191
    NIPC – 506421104- Fundação Portugal Telecom
    192
    NIPC – 506642410 – Fundação da Universidade Católica
    193
    NIPC – 508335213 – Fundação Vox Populi
    194
    NIPC – 505284898 – Fundação Astrazeneca
    195
    NIPC – 502068760 – Fundação Conde de Campo Bello
    196
    NIPC – 502237481 – Fundação das Casas de Fronteira e de Alorna
    197
    NIPC – 509017746 – Fundação Santo Thyrso
    198
    NIPC – 503596744 – Fundação do Desporto
    199
    NIPC – 509236502 – Fundação do Jardim José do Canto
    200
    NIPC – 502057602 – Fundação Ensino e Cultura Fernando Pessoa
    201
    NIPC – 504355104 – Fundação Inês de Castro
    202
    NIPC – 501679260 – Fundação Minerva – Cultura – Ensino e Investigação Científica
    203
    NIPC – 504229281 – Fundação Frederic Velge
    204
    NIPC – 502188111 – Fundação Frei Pedro
    205
    NIPC – 980041295 – Fundação Friedrich Ebert – Delegação em Portugal
    206
    NIPC – 509161596 – Fundação GDA
    207
    NIPC – 504668340 – Fundação Gil Eannes
    208
    NIPC – 504001019 – Fundação GlaxoSmithKline de Ciências da Saúde
    209
    NIPC – 506100707 – Fundação Grünenthal
    5/6
    Anexo n.o 2 – Listagem de fundações incluídas no âmbito de avaliação
    N.o
    NIPC e denominação da Fundação
    210
    NIPC – 508100518 – Fundação Luso
    211
    NIPC – 508519420 – Fundação Res Publica
    212
    NIPC – 500833621 – Instituto de Investigação Científica Bento da Rocha Cabral
    213
    NIPC – 501413197 – Universidade do Porto
    214
    NIPC – 501461108 – Universidade de Aveiro
    215
    NIPC – 501510184 – ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa
    216
    NIPC – 504363441 – Fundação Rei D. Dinis – UTAD
    217
    NIPC – 504521071 – Fundação PortoGaia para o Desenvolvimento Desportivo
    218
    NIPC – 504709348 – Fundação Ilídio Pinho
    219
    NIPC – 504774409 – Fundação para a Saúde
    220
    NIPC – 505304988 – Fundação PLMJ
    221
    NIPC – 508459125 – FCM – Fundação para as Comunicações Móveis
    222
    NIPC – 509804241 – Fundação Transdev Portugal
    223
    NIPC – 512042934 – Fundação Rebikoff-Niggeler
    224
    NIPC – 500851484 – Fundação D. Manuel II
    225
    NIPC – 509072976 – Fundação Luís Rainha
    226
    NIPC – 504462520 – Fundação Gramaxo de Oliveira
    227
    NIPC – 502510021 – Fundação Carlos Serrano

  7. Mais ainda says:

    Lista dos Institutos Publicos
    Data_Inicio 02‐01‐1900 05‐10‐1910 01‐01‐1911 22‐03‐1911 05‐08‐1928 27‐03‐1929 07‐12‐1930 17‐10‐1931 03‐04‐1935 25‐05‐1935 25‐10‐1936 05‐01‐1938 29‐04‐1939 29‐04‐1939 29‐04‐1939 29‐04‐1939 14‐02‐1940 25‐11‐1942 20‐01‐1943 18‐10‐1943 31‐12‐1943 31‐12‐1945 09‐06‐1956 02‐05‐1957 30‐07‐1957 07‐01‐1958 05‐01‐1960 05‐01‐1960 07‐07‐1960 27‐09‐1960 06‐01‐1961 01‐08‐1961 01‐01‐1962 11‐02‐1965 12‐02‐1966
    Designacao
    Fundo Autónomo da Direcção Regional do Desenvolvimento Agrário ‐ FSE
    Presidência da República
    Instituto Bacteriológico de Câmara Pestana ‐ Universidade de Lisboa
    Universidade de Lisboa ‐ Reitoria
    Instituto de Orientação Profissional ‐ Universidade de Lisboa
    Caixa Geral de Aposentações, I. P.
    Universidade Técnica de Lisboa ‐ Reitoria
    Maternidade do Dr. Alfredo da Costa ‐ Lisboa
    Instituto de Higiene e Medicina Tropical ‐ Universidade Nova de Lisboa
    Instituto Nacional de Estatística, I. P.
    Faculdade de Belas Artes de Lisboa ‐ Universidade de Lisboa
    Arsenal do Alfeite ‐ Marinha
    Cimentos ‐ Federação das Caixas de Previdência
    Caixa de Previdência da Companhia de Cimentos Tejo (Caixa Previdência Tejo)
    Caixa de Previdência do Pessoal da Secil ‐ Companhia Geral de Cal e Cimento
    Caixa de Previdência do Pessoal da Empresa de Cimentos de Leiria (Caixa de Previdência LIZ)
    Caixa de Previdência dos Trabalhadores da Empresa Portuguesa de Águas Livres, S. A.
    Caixa de Abono de Família dos Empregados Bancários
    Caixa de Previdência e Abono de Família dos Jornalistas
    Caixa de Previdência do Pessoal dos Telefones de Lisboa e Porto
    Hospital de Joaquim Urbano ‐ Porto
    Fundo de Socorro Social
    Turismo de Portugal, I. P.
    Turismo da Serra da Estrela ‐ Entidade Regional de Turismo do Pólo de Desenvolvimento TurístMinistério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento
    Ministerio
    Sec. Regional da Agricultura e Florestas
    Encargos Gerais do Estado
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Educação
    Ministério das Finanças
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Saúde
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Presidência do Conselho de Ministros
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Defesa Nacional
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Saúde
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento
    Caixa de Previdência do Pessoal das Companhias Reunidas de Gás e Electricidade ‐ CRGE Instituto Português do Sangue, I. P.
    Serviços Sociais da Guarda Nacional Republicana
    Serviços Sociais da Polícia de Segurança Pública
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Saúde
    Ministério da Administração Interna
    Ministério da Administração Interna
    Fundo Especial de Segurança Social dos Profissionais da Banca e dos Casinos Instituto Hidrográfico ‐ Marinha
    Fundo de Regularização da Dívida Pública
    Laboratório Nacional de Engenharia Civil, I. P.
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Defesa Nacional
    Ministério das Finanças
    Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Cultura
    Instituto de Ciências Sociais ‐ Universidade de Lisboa Academia Internacional da Cultura Portuguesa Serviços de Acção Social ‐ Universidade de Coimbra
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    21‐07‐1966 Escola Nacional de Saúde Pública ‐ Universidade Nova de Lisboa 21‐09‐1966 Serviços de Acção Social Escolar ‐ Universidade Técnica de Lisboa 02‐10‐1971 Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P.
    02‐08‐1972 Faculdade de Ciências e Tecnologia ‐ Universidade de Coimbra 19‐07‐1973 Cofre do Tribunal de Contas
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Saúde
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Encargos Gerais do Estado
    16‐08‐1973 Universidade do Minho ‐ Reitoria
    10‐11‐1973 Fundo de Fomento Cultural
    13‐10‐1974 Instituto Nacional de Investigação Agrária e Pescas, I. P.
    31‐12‐1974 Instituto Superior de Engenharia de Lisboa ‐ Instituto Politécnico de Lisboa
    06‐06‐1975 Faculdade de Medicina Dentária ‐ Universidade de Lisboa
    24‐02‐1976 Universidade Aberta ‐ Reitoria
    11‐05‐1976 Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa ‐ Instituto Politécnico de Lisboa 28‐07‐1976 Instituto Nacional da Propriedade Industrial, I. P.
    05‐08‐1976 Editorial do Ministério da Educação
    01‐04‐1977 Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, I. P.
    25‐04‐1977 Fundo Regional dos Transportes Terrestres, Instituto Público Regional
    30‐05‐1977 Assembleia da República
    10‐11‐1977 Faculdade de Ciências e Tecnologia ‐ Universidade Nova de Lisboa
    10‐11‐1977 Faculdade de Economia ‐ Universidade Nova de Lisboa
    11‐11‐1977 Faculdade de Ciências Sociais e Humanas ‐ Universidade Nova de Lisboa
    20‐11‐1977 Faculdade de Ciências Médicas ‐ Universidade Nova de Lisboa
    17‐01‐1978 Academia das Ciências de Lisboa
    03‐03‐1978 Provedoria de Justiça
    02‐04‐1979 Universidade do Algarve ‐ Reitoria
    19‐12‐1979 Universidade de Évora ‐ Reitoria
    21‐12‐1979 Faculdade de Arquitectura ‐ Universidade Técnica de Lisboa
    21‐12‐1979 Instituto Politécnico de Viseu
    22‐12‐1979 Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo
    22‐12‐1979 Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve
    22‐12‐1979 Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro
    22‐12‐1979 Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo
    22‐12‐1979 Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte
    31‐12‐1979 Escola Superior de Educação ‐ Instituto Politécnico de Lisboa
    31‐12‐1979 Instituto Politécnico de Beja
    31‐12‐1979 Instituto Politécnico de Bragança
    31‐12‐1979 Instituto Politécnico de Castelo Branco
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério da Cultura
    Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério da Justiça
    Ministério da Educação
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Presidência do Governo Regional
    Encargos Gerais do Estado
    Ministério da Ciência, Tecnologia
    Ministério da Ciência, Tecnologia
    Ministério da Ciência, Tecnologia
    Ministério da Ciência, Tecnologia
    Ministério da Ciência, Tecnologia
    Encargos Gerais do Estado
    Ministério da Ciência, Tecnologia
    Ministério da Ciência, Tecnologia
    Ministério da Ciência, Tecnologia
    Ministério da Ciência, Tecnologia
    Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    e Ensino Superior e Ensino Superior e Ensino Superior e Ensino Superior e Ensino Superior
    e Ensino Superior e Ensino Superior e Ensino Superior e Ensino Superior
    31‐12‐1979 Instituto Politécnico de Coimbra
    31‐12‐1979 Instituto Politécnico de Lisboa
    31‐12‐1979 Instituto Politécnico de Portalegre
    31‐12‐1979 Instituto Politécnico do Porto
    31‐12‐1979 Instituto Politécnico de Setúbal
    01‐01‐1980 Instituto Politécnico de Santarém
    01‐01‐1980 Serviços de Acção Social ‐ Instituto Politécnico de Santarém 22‐05‐1980 Serviços de Acção Social ‐ Universidade da Beira Interior 26‐07‐1980 Universidade dos Açores ‐ Reitoria
    Ministério da Ministério da Ministério da Ministério da Ministério da Ministério da Ministério da Ministério da Ministério da Ministério da Ministério da Ministério da
    Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    21‐08‐1980 Instituto Politécnico de Guarda
    21‐08‐1980 Instituto Politécnico de Leiria
    21‐08‐1980 Instituto Politécnico de Viana do Castelo
    22‐10‐1980 Turismo do Douro ‐ Entidade Regional de Turismo do Pólo de Desenvolvimento Turístico do DoMinistério da
    06‐11‐1980 Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação ‐ Universidade de Lisboa 26‐05‐1981 Hospital Distrital de Pombal ‐ Pombal
    08‐08‐1981 Instituto Nacional de Emergência Médica, I. P.
    04‐03‐1982 Fundo Regional do Emprego
    Ministério da
    Ministério da
    Ministério da
    Não Aplicável
    Encargos Gerais do Estado
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério das Finanças
    Saúde Saúde
    28‐04‐1982 Cofre da Secção Regional da Madeira do Tribunal de Contas
    01‐06‐1982 Instituto do Emprego e Formação Profissional, I. P.
    04‐08‐1982 Instituto de Seguros de Portugal
    21‐08‐1982 Turismo de Leiria‐Fátima ‐ Entidade Regional de Turismo do Pólo de Desenvolvimento TurísticoMinistério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento
    21‐08‐1982 Turismo do Algarve ‐ Entidade Regional de Turismo do Algarve
    21‐08‐1982 Turismo do Centro de Portugal ‐ Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal
    30‐08‐1982 Hospital Ortopédico de Sant’Ana ‐ Santa Casa da Misericórdia de Lisboa
    15‐09‐1982 Instituto Superior de Saúde de Lisboa ‐ Instituto Politécnico de Lisboa
    15‐03‐1983 Turismo do Oeste ‐ Entidade Regional de Turismo do Pólo de Desenvolvimento Turístico do OeMinistério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento
    Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Saúde
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    12‐05‐1983 Instituto de Estudos Africanos ‐ Universidade Nova de Lisboa 20‐05‐1983 Instituto de Investigação Científica Tropical, I. P.
    11‐06‐1983 Serviços de Acção Social ‐ Universidade do Minho
    06‐07‐1983 Escola Superior de Música de Lisboa ‐ Instituto Politécnico de Lisboa 30‐05‐1984 Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana, I. P.
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território Presidência do Conselho de Ministros
    05‐09‐1984 Serviço de Informações de Segurança ‐ Sistema de Informações da República Portuguesa
    05‐09‐1984 Serviço de Informações Estratégicas de Defesa ‐ Sistema de Informações da República portuguPresidência do Conselho de Ministros
    25‐08‐1985 Casa Pia de Lisboa, I. P.
    01‐10‐1985 Escola Superior Náutica Infante D. Henrique 28‐10‐1985 Serviços de Acção Social ‐ Universidade do Algarve
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    27‐03‐1986 Universidade de Trás‐os‐Montes e Alto Douro ‐ Reitoria 05‐05‐1986 Universidade da Beira Interior ‐ Reitoria
    03‐07‐1986 Centro de Formação Profissional do Artesanato 17‐07‐1986 Instituto Português da Qualidade, I. P.
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    07‐08‐1986 Centro de Formação Profissional para o Comércio e Afins
    27‐09‐1986 Instituto da Vinha e do Vinho, I. P.
    06‐10‐1986 Serviços de Acção Social ‐ Universidade de Trás‐os‐Montes e Alto Douro
    07‐10‐1986 Centro de Educação e Formação Profissional Integrada
    16‐10‐1986 CENJOR ‐ Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas
    15‐12‐1986 Serviços de Acção Social ‐ Universidade de Évora
    28‐01‐1987 Serviços de Acção Social ‐ Universidade Nova de Lisboa
    04‐03‐1987 Hospital Distrital de Águeda ‐ Águeda
    06‐04‐1987 Hospital de São Marcos ‐ Braga
    08‐04‐1987 Centro de Formação Profissional da Indústria Electrónica
    26‐04‐1987 Fundo de Garantia do Crédito Agrícola Mútuo
    04‐05‐1987 Centro de Formação Profissional para a Indústria de Engarrafamento de Águas e Termalismo
    04‐05‐1987 Centro de Formação Profissional da Indústria de Fundição
    04‐05‐1987 Centro de Formação Profissional da Indústria de Vestuário e Confecção
    04‐05‐1987 Centro de Formação Profissional para o Sector Alimentar
    19‐05‐1987 Centro de Formação Profissional para o Sector da Indústria do Calçado
    20‐05‐1987 Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Sul
    03‐06‐1987 Centro de Formação Profissional da Indústria da Ourivesaria e Relojoaria do Norte
    03‐06‐1987 Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica
    12‐06‐1987 Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte
    10‐08‐1987 Centro de Formação Profissional para o Sector dos Trabalhadores de Escritório, Comércio, SerMinistério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Saúde
    Ministério da Saúde
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério das Finanças
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    10‐08‐1987 Centro de Formação Profissional para a Indústria da Cortiça do Norte 10‐08‐1987 Centro de Formação Profissional para a Indústria de Cerâmica 17‐08‐1987 Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto ‐ Lisboa
    17‐11‐1987 Centro de Formação Profissional da Indústria da Madeira e Mobiliário 04‐12‐1987 Centro de Formação Profissional da Reparação Automóvel 06‐02‐1988 Estádio Universitário de Lisboa, I. P.
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Saúde
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    29‐03‐1988 Centro de Formação Profissional da Indústria Textil
    19‐07‐1988 Centro Protocolar de Formação Profissional para o Sector da Justiça 13‐09‐1988 Universidade da Madeira ‐ Reitoria
    24‐09‐1988 Universidade Nova de Lisboa ‐ Reitoria
    27‐09‐1988 Escola Superior de Comunicação Social ‐ Instituto Politécnico de Lisboa
    30‐10‐1988 Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação, I. P. 09‐06‐1989 Centro de Formação Profissional para a Qualidade
    02‐08‐1989 Faculdade de Medicina Veterinária ‐ Universidade Técnica de Lisboa
    02‐08‐1989 Instituto Superior de Agronomia ‐ Universidade Técnica de Lisboa
    02‐08‐1989 Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas ‐ Universidade Técnica de Lisboa 02‐08‐1989 Instituto Superior de Economia e Gestão ‐ Universidade Técnica de Lisboa 02‐08‐1989 Faculdade de Motricidade Humana ‐ Universidade Técnica de Lisboa
    Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    02‐08‐1989 Instituto Superior Técnico ‐ Universidade Técnica de Lisboa
    29‐08‐1989 Universidade de Coimbra ‐ Reitoria
    15‐09‐1989 Escola Superior de Enfermagem da Madeira ‐ Centro de Tecnologias da Saúde ‐ Universidade dMinistério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    15‐10‐1989 Conselho Superior da Magistratura
    05‐12‐1989 Instituto Superior de Estatística e Gestão da Informação ‐ Universidade Nova de Lisboa 25‐05‐1990 Serviços de Acção Social ‐ Instituto Politécnico de Guarda
    28‐08‐1990 Faculdade de Direito ‐ Universidade Nova de Lisboa
    13‐09‐1990 Faculdade de Medicina ‐ Universidade de Lisboa
    06‐01‐1991 Serviços de Acção Social ‐ Universidade dos Açores
    02‐04‐1991 Laboratório Regional de Engenharia Civil ‐ IP ‐ RAM
    10‐04‐1991 Comissão do Mercado de Valores Mobiliários
    22‐06‐1991 Fundo da Administração Central da Marinha
    19‐08‐1991 Fundo de Estabilização Aduaneiro
    01‐09‐1991 Centro de Medicina de Reabilitação do Alcoitão ‐ Santa Casa da Misericórdia de Lisboa 24‐09‐1991 Santa Casa da Misericórdia de Lisboa
    24‐09‐1991 Santa Casa da Misericórdia de Lisboa ‐ Departamento de Jogos
    13‐10‐1991 Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril ‐ Estoril
    21‐07‐1992 Instituto Nacional de Administração, I. P.
    23‐08‐1992 Faculdade de Direito ‐ Universidade de Lisboa
    01‐09‐1992 Instituto de Tecnologia Química e Biológica ‐ Universidade Nova de Lisboa
    03‐11‐1992 Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação, I. P.
    17‐12‐1992 Centro de Formação Profissional para a Indústria de Lanifícios
    01‐01‐1993 Serviços de Acção Social ‐ Instituto Politécnico de Viana do Castelo
    01‐01‐1993 Fundo de Garantia de Depósitos
    20‐01‐1993 INFARMED ‐ Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I. P. 14‐02‐1993 Administração Regional de Saúde do Alentejo, I. P.
    14‐02‐1993 Administração Regional de Saúde do Norte, I. P.
    14‐02‐1993 Administração Regional de Saúde do Algarve, I. P.
    14‐02‐1993 Administração Regional de Saúde do Centro, I. P.
    Encargos Gerais do Estado
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Sec Regional do Equipamento Social e Transportes Ministério das Finanças
    Ministério da Defesa Nacional
    Ministério das Finanças
    Ministério da Saúde
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério das Finanças
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério das Finanças
    Ministério da Saúde
    Ministério da Saúde
    Ministério da Saúde
    Ministério da Saúde
    Ministério da Saúde
    14‐02‐1993 Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, I. P. 27‐04‐1993 Serviços de Acção Social ‐ Universidade de Lisboa
    Ministério da Saúde
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Sec. Regional de Educação
    Presidência do Conselho de Ministros
    Ministério da Saúde
    Ministério da Saúde
    Ministério da Saúde
    Ministério da Justiça
    Ministério da Saúde
    Ministério dos Negócios Estrangeiros
    Ministério da Saúde
    Ministério da Saúde
    Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Educação
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Defesa Nacional
    Ministério da Saúde
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério das Finanças
    Ministério das Finanças
    Ministério da Saúde
    27‐04‐1993 Serviços de Acção Social ‐ Instituto Politécnico de
    27‐04‐1993 Serviços de Acção Social ‐ Instituto Politécnico de
    27‐04‐1993 Serviços de Acção Social ‐ Instituto Politécnico de
    27‐04‐1993 Serviços de Acção Social ‐ Instituto Politécnico de
    27‐04‐1993 Serviços de Acção Social ‐ Instituto Politécnico de
    27‐04‐1993 Serviços de Acção Social ‐ Instituto Politécnico de
    27‐04‐1993 Serviços de Acção Social ‐ Instituto Politécnico de
    29‐05‐1993 Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, I. P. 29‐05‐1993 Instituto da Água, I. P.
    Castelo Branco Beja
    Setúbal Bragança Portalegre Lisboa Coimbra
    29‐05‐1993 Instituto de Meteorologia, I. P.
    17‐09‐1993 Instituto do Desporto da Região Autónoma da Madeira.
    04‐10‐1993 Instituto Português da Juventude, I. P.
    29‐11‐1993 Hospital Dr. Francisco Zagalo ‐ Ovar
    29‐11‐1993 Hospital de Cândido de Figueiredo ‐ Tondela
    07‐12‐1993 Hospital José Luciano de Castro ‐ Anadia
    01‐02‐1994 Instituto dos Registos e do Notariado, I. P.
    08‐02‐1994 Hospital de Reynaldo dos Santos ‐ Vila Franca de Xira
    01‐03‐1994 Fundo para as Relações Internacionais, I. P.
    18‐03‐1994 Hospital do Arcebispo João Crisóstomo ‐ Cantanhede
    31‐03‐1994 Escola Superior de Saúde do Alcoitão ‐ Santa Casa da Misericórdia de Lisboa 28‐12‐1994 Instituto Financeiro para o Desenvolvimento Regional, I. P.
    01‐01‐1995 Instituto Tecnológico e Nuclear, I. P.
    01‐01‐1995 Serviços de Acção Social ‐ Instituto Politécnico do Porto
    13‐04‐1995 Escola Profissional Agrícola do Conde de São Bento ‐ Santo Tirso 03‐05‐1995 Centro Científico e Cultural de Macau, I. P.
    21‐10‐1995 Serviços de Acção Social Escolar ‐ Instituto Politécnico de Viseu
    04‐11‐1995 Instituto de Acção Social das Forças Armadas, I. P.
    12‐12‐1995 Hospital Nossa Senhora da Conceição ‐ Valongo
    01‐06‐1996 Serviços de Acção Social ‐ Universidade da Madeira
    07‐06‐1996 Centro de Formação Sindical e Aperfeiçoamento Profissional
    31‐08‐1996 Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I. P.
    04‐09‐1996 Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público, I. P.
    08‐09‐1996 Fundo de Estabilização Tributário
    28‐10‐1996 Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro ‐ Rovisco Pais
    02‐12‐1996 Instituto do Desenvolvimento Empresarial
    01‐01‐1997 Instituto Politécnico de Tomar
    29‐05‐1997 Laboratório Nacional de Investigação Veterinária, I. P.
    29‐06‐1997 Cinemateca Portuguesa‐Museu do Cinema, I. P.
    04‐09‐1997 Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e dos Resíduos, I. P.
    17‐09‐1997 Fundo de Acção Social ‐ Direcção‐Geral do Ensino Superior
    01‐01‐1998 Gabinete de Gestão Financeira ‐ Ministério da Educação
    01‐01‐1998 Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público, I. P. ‐ Encargos da Dívida Pública 09‐05‐1998 Hospital do Visconde de Salreu ‐ Estarreja
    Vice‐Presidência do Governo
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas Ministério da Cultura
    Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério da Educação
    Ministério das Finanças
    Ministério da Saúde
    Ministério da Educação
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Assembleia Legislativa Regional
    Sec. Regional dos Assuntos Sociais
    Sec. Regional do Ambiente e dos Recursos Naturais
    Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério das Finanças
    Ministério da Educação
    Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério da Cultura
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Saúde
    Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações Ministério da Educação
    Ministério das Finanças
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Educação
    Ministério da Educação
    Ministério da Educação
    Ministério das Finanças
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    09‐05‐1998 Instituto Gregoriano de Lisboa
    09‐05‐1998 Serviços de Acção Social ‐ Instituto Politécnico de Leiria
    09‐05‐1998 Assembleia Legislativa da Madeira
    09‐05‐1998 Centro de Segurança Social da Madeira
    09‐05‐1998 Fundo Madeirense Seguro de Colheitas
    15‐05‐1998 Instituto Nacional de Aviação Civil, I. P.
    01‐06‐1998 Serviços de Acção Social ‐ Instituto Politécnico de Tomar
    11‐06‐1998 INOVINTER ‐ Centro de Formação e de Inovação Tecnológica
    23‐07‐1998 Fundo de Contragarantia Mútuo
    19‐08‐1998 Escola Profissional Agrícola Quinta da Lageosa ‐ Belmonte ‐ Castelo Branco (404020) 08‐11‐1998 Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos, I. P.
    24‐12‐1998 Instituto Politécnico do Cávado e do Ave
    01‐01‐1999 Instituto do Cinema e Audiovisual, I. P.
    09‐02‐1999 Instituto de Informática, I. P. ‐ Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    10‐02‐1999 Instituto da Droga e da Toxicodependência, I. P.
    07‐03‐1999 Instituto da Construção e do Imobiliário, I. P.
    26‐06‐1999 Escola Portuguesa de Moçambique ‐ Centro de Ensino e Língua Portuguesa
    27‐06‐1999 Sistema de Indemnização aos Investidores
    28‐07‐1999 Centro de Reabilitação Profissional de Gaia
    08‐11‐1999 Fundo de Compensação Salarial dos Profissionais da Pesca
    09‐11‐1999 Instituto de Gestão de Fundos de Capitalização da Segurança Social, I. P.
    01‐01‐2000 Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Serpa ‐ Beja
    01‐01‐2000 Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Ponte de Lima ‐ Viana do Castel 01‐01‐2000 Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Marco de Canaveses ‐ Porto 01‐01‐2000 Fundo de Acidentes de Trabalho
    25‐01‐2000 CRISFORM ‐ Centro de Formação Profissional para o Sector da Cristalaria
    27‐03‐2000 Instituto de Gestão do Fundo Social Europeu, I. P.
    27‐03‐2000 Instituto da Segurança Social, I. P.
    01‐06‐2000 Centro Hospitalar de Cascais
    15‐11‐2000 Fundo Escolar da Área Escolar de Angra do Heroísmo
    15‐11‐2000 Fundo Escolar da EBI de Angra do Heroísmo
    15‐11‐2000 Fundo Escolar do Conservatório Regional de Ponta Delgada 15‐11‐2000 Fundo Escolar do Conservatório Regional da Horta
    15‐11‐2000 Fundo Escolar da EBI da Lagoa (Açores)
    15‐11‐2000 Fundo Escolar da EB 2,3 da Horta
    15‐11‐2000 Fundo Regional da Ciência e Tecnologia
    02‐12‐2000 Serviço Regional de Protecção Civil, IP ‐ RAM
    02‐12‐2000 Conservatório ‐ Escola Profissional das Artes da Madeira 02‐12‐2000 Escola Profissional de Hotelaria e Turismo da Madeira
    27‐03‐2001 Instituto Nacional de Medicina Legal, I. P.
    30‐03‐2001 Instituto das Tecnologias de Informação na Justiça, I. P. 22‐04‐2001 IAPMEI, o Fundo de Desenvolvimento Empresarial (FDE) 16‐05‐2001 Instituto de Gestão Financeira e de Infra‐Estruturas da Justiça, I. P. 24‐05‐2001 Fundo de Garantia Salarial
    26‐10‐2001 Fundo Regional de Acção Social Escolar
    30‐11‐2001 Fundo Regional de Acção Cultural
    01‐12‐2001 Centro Hospitalar de Torres Vedras
    01‐12‐2001 Centro Hospitalar de Torres Vedras
    06‐12‐2001 Fundo Regional de Fomento do Desporto
    01‐01‐2002 Fundo de Solidariedade para Emigrantes
    06‐01‐2002 ICP ‐ Autoridade Nacional de Comunicações
    16‐01‐2002 Fundo Regional de Abastecimentos
    17‐04‐2002 Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos
    26‐08‐2002 Fundo de Garantia para Titularização de Créditos
    22‐10‐2002 Agência Nacional para a Qualificação, I. P.
    25‐10‐2002 Parque Natural da Madeira
    04‐12‐2002 Escola Portuguesa de Díli ‐ Centro de Ensino e Língua Portuguesa 14‐01‐2003 Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, I. P. 23‐01‐2003 Autoridade da Concorrência
    27‐02‐2003 Fundo de Sindicação de Capital de Risco PME ‐ IAPMEI
    30‐03‐2003 Autoridade Nacional de Protecção Civil
    28‐05‐2003 Gabinete de Gestão da Loja do Cidadão
    01‐06‐2003 Instituto do Desporto de Portugal, I. P.
    Ministério do
    Ministério da
    Sec. Regional
    Sec. Regional
    Não Aplicável
    Não Aplicável
    Não Aplicável
    Não Aplicável
    Não Aplicável
    Sec. Regional
    Sec. Regional
    Sec. Regional
    Ministério da
    Ministério da
    Ministério da
    Ministério da
    Ministério do
    Não Aplicável
    Não Aplicável
    Ministério da
    Ministério da
    Não Aplicável
    Ministério do
    Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações Não Aplicável
    Trabalho e da Solidariedade Social Saúde
    da Educação e Ciência
    da Educação e Ciência
    dos Assuntos Sociais de Educação
    de Educação
    Justiça
    Justiça
    Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Justiça
    Trabalho e da Solidariedade Social
    Saúde Saúde
    Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Educação
    Sec. Regional do Ambiente e dos Recursos Naturais Ministério da Educação
    Ministério dos Negócios Estrangeiros
    Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Administração Interna
    Vice Presidência do Governo Regional
    Presidência do Conselho de Ministros
    04‐11‐2003 Fundo Regional do Desporto
    26‐11‐2003 Instituto dos Vinhos do Douro e Porto, I. P.
    01‐01‐2004 Fundo dos Antigos Combatentes
    01‐01‐2004 Fundo Escolar da Escola BI/S de Velas
    09‐01‐2004 Entidade Reguladora da Saúde
    27‐03‐2004 Fundo Florestal Permanente
    01‐06‐2004 Instituto Português de Acreditação, I. P.
    01‐08‐2004 Fundo de Modernização do Comércio
    11‐11‐2004 Gabinete do Secretário‐Geral do Sistema de Informações da República Portuguesa 21‐12‐2004 Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva ‐ Universidade do Minho
    23‐01‐2005 UMIC ‐ Agência para a Sociedade do Conhecimento, I. P.
    25‐07‐2005 Fundo Regional de Apoio à Coesão e ao Desenvolvimento Económico
    13‐11‐2005 ERC ‐ Entidade Reguladora para a Comunicação Social
    30‐12‐2005 Fundo de Estabilização Tributário da Região Autónoma da Madeira
    30‐12‐2005 Administração da Região Hidrográfica do Norte, I. P.
    30‐12‐2005 Administração da Região Hidrográfica do Centro, I. P.
    30‐12‐2005 Administração da Região Hidrográfica do Tejo, I. P.
    30‐12‐2005 Administração da Região Hidrográfica do Alentejo, I. P.
    30‐12‐2005 Administração da Região Hidrográfica do Algarve, I. P.
    01‐01‐2006 Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
    01‐01‐2006 Escola Superior de Enfermagem de Lisboa
    01‐01‐2006 Escola Superior de Enfermagem do Porto
    29‐03‐2006 Fundo Português de Carbono
    15‐05‐2006 Instituto do Vinho, Bordado e do Artesanato da Madeira, I. P.
    03‐09‐2006 Fundo de Intervenção Ambiental
    07‐09‐2006 Escola Portuguesa de Luanda ‐ Centro de Ensino e Língua Portuguesa
    08‐10‐2006 Instituto Nacional de Recursos Biológicos, I. P.
    17‐10‐2006 Instituto Confúcio ‐ Universidade do Minho
    01‐11‐2006 Laboratório Nacional de Energia e Geologia, I. P.
    01‐11‐2006 Serviços Sociais da Administração Pública
    01‐11‐2006 Administração Central do Sistema de Saúde, I. P.
    01‐11‐2006 Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I. P.
    01‐11‐2006 Agência para a Modernização Administrativa, I. P.
    01‐11‐2006 Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres, I. P.
    01‐11‐2006 Instituto de Infra‐Estruturas Rodoviárias, I. P.
    01‐11‐2006 Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico, I. P.
    Não Aplicável
    Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas Ministério da Defesa Nacional
    Não Aplicável
    Ministério da Saúde
    Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Presidência do Conselho de Ministros
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Não Aplicável
    Encargos Gerais do Estado
    Não Aplicável
    Ministério do
    Ministério do
    Ministério do
    Ministério do
    Ministério do
    Ministério da
    Ministério da
    Ministério da
    Ministério das Finanças
    Sec. Regional do Ambiente e dos Recursos Naturais
    Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território Ministério da Educação
    Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério das Finanças
    Ministério da Saúde
    Presidência do Conselho de Ministros
    Presidência do Conselho de Ministros
    Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações Ministério da Cultura
    Ambiente e do Ordenamento do Território Ambiente e do Ordenamento do Território Ambiente e do Ordenamento do Território Ambiente e do Ordenamento do Território Ambiente e do Ordenamento do Território Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    01‐11‐2006 Instituto dos Museus e da Conservação, I. P. 01‐11‐2006 Instituto Nacional para a Reabilitação, I. P.
    01‐11‐2006 Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas, I. P. 01‐01‐2007 Fundo Escolar da EBI de Ginetes
    Ministério da Cultura
    Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas Sec. Regional da Educação e Ciência
    Ministério da Educação
    Ministério da Saúde
    Não Aplicável
    Ministério das Finanças
    Ministério da Saúde
    Encargos Gerais do Estado
    Sec. Regional de Educação
    Secretaria Regional do Ambiente e dos Recursos Naturais Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento
    09‐05‐2007 Agência Nacional para a Gestão do Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida 20‐10‐2007 Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa
    12‐11‐2007 Instituto de Desenvolvimento Regional
    03‐12‐2007 Fundo de Compensação ‐ Direcção‐Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural 13‐12‐2007 Centro Hospitalar Psiquiátrico de Coimbra
    01‐01‐2008 Fundo Nacional de Integração Desportiva
    01‐01‐2008 Direcção Regional de Qualificação Profissional
    16‐01‐2008 Fundo de Gestão para os Programas da Direcção Regional de Pescas
    11‐04‐2008 Turismo de Lisboa e Vale do Tejo ‐ Entidade Regional de Turismo de Lisboa e Vale do Tejo
    11‐04‐2008 Turismo do Alentejo ‐ Entidade Regional de Turismo do Alentejo
    11‐04‐2008 Turismo do Porto e Norte de Portugal ‐ Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de PortMinistério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento 11‐04‐2008 Turismo do Alentejo Litoral ‐ Entidade Regional de Turismo do Pólo de Desenvolvimento TurístMinistério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento
    11‐04‐2008 TGLA ‐ Turismo Terras do Grande Lago Alqueva ‐ Alentejo ‐ Entidade Regional de Turismo do P 24‐04‐2008 Centro de Formação Profissional das Pescas e do Mar, FOR‐MAR
    14‐05‐2008 Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais, I. P.
    06‐08‐2008 Instituto de Geografia e Ordenamento do Território ‐ Universidade de Lisboa
    Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social
    Sec. Regional dos Assuntos Sociais
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério das Finanças
    06‐08‐2008 Instituto de Educação ‐ Universidade de Lisboa
    06‐08‐2008 Faculdade de Psicologia ‐ Universidade de Lisboa
    01‐09‐2008 FINOVA ‐ Fundo de Apoio ao Financiamento à Inovação
    02‐09‐2008 Núcleo de Acção Social ‐ Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril 22‐01‐2009 Fundo de Reabilitação e Conservação Patrimonial
    23‐01‐2009 Centro Hospitalar do Oeste Norte
    04‐04‐2009 Instituto de Emprego da Madeira, IP‐RAM
    17‐05‐2009 Fundo Imobiliário Especial de Apoio às Empresas (FIEAE)
    17‐05‐2009 Fundo Autónomo de Apoio à Concentração e Consolidação de Empresas (FACCE)
    26‐05‐2009 Balcão SIR ‐ Soluções Integradas de Registo de Lisboa ‐ Instituto dos Registos e do Notariado, I 16‐06‐2009 Fundo de Salvaguarda do Património Cultural
    01‐10‐2010 Fundo de Protecção dos Recursos Hídricos
    Ministério da Saúde
    Secretaria Regional dos Recursos Humanos
    Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento Ministério das Finanças
    Ministério da Cultura
    Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Ministério das Finanças
    Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
    1836‐01‐01T00Faculdade de Farmácia ‐ Universidade de Lisboa 1837‐01‐01T00Faculdade de Ciências ‐ Universidade de Lisboa 1846‐11‐19T00Banco de Portugal
    1859‐01‐01T00Faculdade de Letras ‐ Universidade de Lisboa

  8. J.Pinto says:

    Excelente análise, Jorge.

    Obrigado por partilhar os números. Apesar de eles não me surpreenderem, devem servir para alertar as pessoas para esta triste realidade: porque é que os partidos não defendem um limite máximo, por exemplo de 2000€, no valor das pensões. Há dúvidas de que os ex-funcionários públicos ganham valores muito elevados de pensões?

    Uma questão a ser analisada pelo Tribunal Constitucional.

    • Capitão Moura says:

      Obviamente que os partidos (deputados) de esquerda ou de direita não defendem teto máximo de 2000 euros para as pensões pois isso vai contra os seus interesses pessoais que para eles estão acima dos interesses nacionais. De qualquer maneira embora o exemplo da classe política fosse importante isso é só parte do problema sendo que o principal seria desparasitar o Estado de toda uma série de organizações mais ou menos inuteis que consomem parte significativa dos recursos financeiros necessários a outras prioridades mais relevantes para a sociedade tal como foi muito bem aconselhado pelo FMI no seu plano de recuperação indicado a Portugal. Isso sim poderia significar uma carga fiscal mais ligeira e até talvez o incentivo que a economia tanto necessita.

  9. maria celeste d'oliveira ramos says:

    O sr “ainda penso” devia ir pensar para Berlim e osr Pinto não sabe o que diz e é uma ofensa para mim pelo menos – quer que lhe mostro o meu recido de pensão – posso scanarizar e não chame func público às putas
    eu sou tec sup principal e não ganho o que diz – não sei a sua FONTE de informação mas é com certeza fonte de água muito suja – aqui só se diz uma verdade – o senhor Torres Couto quando dei aulas na garagem guérin a cheirar a lixo, fria de chão de cimento, ele COUTO recebia 7 contos por cada pesssoa-aluno (vim a saber mais tarde e quando soube vim-me embora por não querer dinheiro sujo dele) e eu ganhava 2 contos por duas horas de aula e ficavam a 20 km de minha casa – apanhem-no e metam-no no lixo – anda fugido porquê ?? Nunca mais apareceu porquê ?? como este vi “outros” e os que conheço ainda deviam esconder-se

  10. leopardo says:

    2 coisas

    1 – sobre as pensões.
    As da CGA chegaram a ser perto de 40% do valor total. Os FP reformavam-se mais cedo (era tipico um professor reformar-se com 55 anos) e tinham reformas mais altas. A reforma média de um FP anda acima dos 1.100 € e a do regime geral é inferior a 300€ (de memória, na altura em que vi isto era de ~270 €). (pelos dados que vi na Pordata)
    Cortar nas reformas acima dos 2000 € não trará grande efeito. Para ter efeito significativo o corte teria de ser feito progressivamente, com bastante inicidencia a partir dos 1000 €. É estudar os nºs. E a idade da reforma vai ter de aumentar, basta ver a estrutura da piramide demografica portuguesa.

    2 – continue a estudar os nºs. vai continuar a ter surpresas, vai perceber que temos de diminuir o nº de professores, que estamos em vias de termos o maior indice de medicos per capita do mundo, que a idade de reforma tem mesmo de aumentar, etc.

  11. leopardo says:

    é mesmo à tuga ignorante, que não sabe nem quer saber. A quem diz a verdade dão votos negativos. Cambada de burros, é por isso que temos os politicos que temos. Os imbecis gostam de ouvir mentiras.

  12. fiscalista says:

    Perguntas Indiscretas e
    eventualmente insultuosas para Desconhecidos …

    Quanto nos vai custar a “Troika” ?
    Nos últimos 10 anos pagamos(!) cerca de 6oo mil milhões de euros
    em JUROS ?
    Os juros em 2013 só atingem 7 mil milhões de euros ?
    Os juros em 2013 excedem o dobro do que se paga com as prestações sociais ? E ninguém vai para a prisão ?
    A riqueza nacional (PIB) apenas atinge pouco mais de 150 mil milhões de euros por ano ?
    Quantos anos levamos a pagar o que se deve do triste passado , no trágico presente e no nosso apocalyptico futuro ?
    O Estado cobra e gasta mais de metade do que se produz ?
    Para reduzir o deficit de 2011 , tal como Sócrates havia feito com a PT, o Governo fez mais um danoso truque contabilistico , confiscando 7 mil milhões de euros ao Fundo de Pensões dos Bancários ?
    E onde gastou logo todo este dinheiro ?
    Agora em 2013 necessitam de mais 600 milhões de euros para pagar as reformas dos Bancários ? E assim vai acontecer nos próximos 12 anos?
    Com estes truques contabilisticos estão em risco as pensões dos restantes pensionistas ?
    Os custos sociais dos trabalhadores são elevados ? Mas eles pagam fiscalmente o que socialmente recebem ?
    A Divida Publica no final de 2012 atinge mais de 200 mil milhões de euros ? Em 1973 a Divida Publica era de 10 mil milhões de euros ?
    A Divida Publica contraida no Consulado de Cavaco Silva como Primeiro Ministro somada com a Divida Publica contraida já no Consulado de Pedro Passos Coelho e à vista de Cavaco Silva , já é superior à Divida Publica no Consulado de Sócrates feita com as loucuras de Sócrates e a tão badalada colaboração institucional de Cavaco Silva que sendo Economista (?) tinha presumidamente elevadas responsabilidades intelectuais e politicas ?
    Em DEMOCRACIA , reduzir a Despesa ou alterar a Constituição , é uma ficção ?
    Refundação do Estado sem refundação do Cidadão é uma ficção ?
    Como se resolve o nosso problema financeiro se nos enormes DESPERDICIOS encontramos 14 autarcas por km2 ?
    Se o nosso custo com Cavaco Silva e com o Presidente da Republica (excluidos os seus danos colaterais com Sócrates …)
    é superior ao custo do Rei de Espanha suportado pelos espanhóis ? (e agora até quer bater o record do Marocas nas principescas viagens à volta da Terra)
    Se não reduzimos o luxo da Assembleia da Republica à dimensão do País , nomedamente reduzir o número de deputados que é (relativamente) o dobro dos alemães ?
    Se não resolvemos o escandaloso problema das PPP e similares
    iniciadas (3) por Cavaco e Silva e continuadas (6) pelo Partido Socialista ?
    Se não acabamos com os subsídios caça votos do Ministério da Agricultura nos termos em que o faz?
    Se não resolvemos o problema da danosa senão criminosa promiscuidade financeira entre o Governo , a Banca e as Instituições Financeiras Internacionais , à custa do desgraçado contribuinte ?
    E permitir que a Banca , a principal culpada da crise seja agora
    a principal beneficiária desta crise ?
    Mais pobres , mais velhos e falidos . Onde estão os culpados ?
    Não existem Tribunais ? As adequadas leis que já existem podem ser interpretadas pelos culpados ?
    A verdadeira pressão fiscal dos Portugueses correctamente definida como o quociente entre a diferença Rendimento menos Imposto a dividir pelos quase inexistentes beneficios , já tende para o Infinito … dos Infernos ?
    Quando será que os Reformados decidem p.e. ir ao Tribunal dos Direitos do Homem apresentar pedido indemnizatório contra estes Governantes presumidamente culpados ?
    A contra gosto , se dirá que no Consulado de Salazar , foi a unica vez que na nossa História Financeira , a nossa Divida Publica foi praticmente reduzida a zero . Então , para isso foram buscar Salazar a Coimbra. Tivemos uma Ditadura !… No pós 25 de Abril , já tivemos 3 Ditaduras , a última denominada “TROIKA” até com algum sabor soviético . Mas castigo dos Deuses , estas 3 Ditaduras não conseguiram descer a Divida Publica que não para de crescer ?
    Qual a razão pela qual o nortenho General Pires Veloso afirma que em 24 de Abril de 1974 havia menos razões do que hoje para fazer a Revolução dos Cravos ?

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.