Dentro de ti, ó cidade

A orquestra Solfónica, do movimento 15M, toca “Grândola Vila Morena” na Plaza del Sol. Foi ontem à noite, no coração de Madrid.

via Que se lixe a troika!

Comments


  1. É por estas e por outras que eu gosto de nuestros hermanos! Ontem, em Madrid, no dia de luta em Portugal…

    Também postei… 🙂


  2. E porque não fazer da Grandola Vila Morena, um hino iberico, para não dizer Europeu?? Porque sozinho não vamos lá.


  3. [youtube http://www.youtube.com/watch?v=o_bYb-Mces4&w=560&h=315%5D
    Por aqui se prova a Universalidade da Crandola Vila Morena. Neste caso cantada por Joan Baez, que não é uma cantora qualquer.

  4. murphy says:

    “O povo é quem mais ordena”. Não foi o povo que votou nos políticos que geriram o País desta forma desastrosa?!

    Os que se admiram agora com o desemprego, só podem ser aqueles que rejubilavam com as inaugurações – evento de propaganda do Socratismo (nomeadamente, uma larga franja da comunicação social…). Enquanto nos emprestaram dinheiro, foi possível manter empregos atapetando o país de auto-estradas, plantando eólicas em cada monte, etc., até era possível ocultar desempregados em cursos das novas oportunidades…

    Actualmente, para além de termos que pagar os juros da dívida originada por esse crédito fácil, o Estado ainda enfrenta a redução na arrecadação de impostos e uma maior despesa social (como a notícia documenta). Causa – efeito… ou acreditam mesmo que estes níveis de desemprego se devem a este Governo, que surgiram de geração espontânea?!
    Há cerca de 10 anos que mta gente percebeu este destino, não faltaram avisos. Os empregos, na actual e futura conjuntura, só podem ser criados em actividades rentáveis. Pensar que o modelo económico do País se transforma da noite para o dia…
    http://jornalismoassim.blogspot.pt/2013/01/isto-revolta-me-e-nao-ha-titulo.html

    • Carla Romualdo says:

      Se o que quer dizer é que a nossa ruína se deve aos governantes eleitos nas últimas décadas, estou plenamente de acordo. Foram os partidos do chamado “arco governativo” que conduziram o país à situação actual. E é inegável a responsabilidade dos eleitores, que insistem em dar maiorias a quem já provou há muito que governa contra os cidadãos. Em todo o caso, e em defesa dos eleitores, há que ressalvar que tem sido prática corrente de todos os governos trair as suas promessas eleitorais e afastar-se do programa eleitoral logo a partir do dia seguinte ao da eleição. O governo actual é disso um vergonhoso exemplo.

      • murphy says:

        Estamos de acordo. Mas como nunca ninguém elegerá a extrema esquerda para governar, na prática, está a ilibar-se a governação desastrosa de Sócrates (Seguro foi obrigado a “assumi-la”)… e isso é inaceitável. Fosse quem fosse a governar com este memorado, não poderia fazer mto diferente…

        Cumprimentos.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.