Caminharmos pelo nosso próprio pé…boto

É no mínimo macabro o projecto do governo para cortar, de uma penada e com consequências trágicas para os cidadãos do País, os 4 mil milhões de despesas públicas. O alvo principal é o Estado Social – reduzir o SNS a ínfima expressão, limitar o ensino público a serviços mínimos, dificultando o acesso a alunos de meios carenciados, através do encerramento de escolas e o despedimento de professores; processo este que, menos ambicioso na maldade, o PSD e CDS tanto criticaram à governação de Sócrates.

Sem ponta de coerência com as promessas feitas aos eleitores, sustentado por Portas, o ‘santo protector dos contribuintes’, Coelho, obediente ao financeiro Gaspar, banalizou a falta de ética, seguindo e excedendo os caminhos da ‘troika’; em especial, as prescrições assassinas do FMI que, em muitos outros países, curou milhões de doentes através da terapia da morte.

Em Aveiro, voltou a ser vaiado. Já se habituou e dificilmente a falta de vergonha lhe sairá da pele, do empedernido cérebro recheado de neoliberalismo e, portanto, do comportamento imoral que cultiva.

Conquanto desmascarado à exaustão por falsas e incumpridas promessas, declarou:

Não estamos a pensar a tornar permanentes os cortes [anunciados como provisórios]

Ao referir os funcionários públicos, omitiu deliberadamente a política de despedimentos negociados em preparação e não assumiu o carácter transitório dos elevados impostos especiais aplicados a reformados e pensionistas – lembre-se que o ‘memorando de entendimento’ estabelecia, para o efeito, reformas e pensões acima dos 1.500 euros e o governo passou taxar a partir dos 1.350 euros. Mentira e baixa política, acomodados nos prolongados silêncios e sinais de autismo do Presidente da República.

O “caminhar pelo nosso próprio pé” fez renascer-me no pensamento o livro de Sumerset Maugham e o filme (1964) ‘Servidão Humana’. Philip Carvey, interpretado por Laurence Harvey, é a personagem que sofre de ‘pé boto’. Ainda em criança renega à crença no divino, porque os apelos a Deus não resultam no milagre de eliminar a deficiência. Que fica, portanto, para o resto da existência, a marcar uma vida repleta de infelicidades. A história é mais extensa e rica e foi uma das minhas leituras preferidas.

Também a maioria dos portugueses, vencidos por este sinistro governo, acabará por “caminhar pelo próprio pé”, como diz o Coelho; faltou-lhe precisar que usaremos o ‘pé boto’, pela deformação que, iniciada por uns e continuada por ele, é o tipo de pé que nos resta. À esquerda ou à direita.

Comments

  1. economista says:

    A SENTENÇA DE SALOMÃO
    Não há qualquer hipótese de Crescimento Económico ?
    Pior do que jogar no euromilhões !…
    Assim , não há qualquer hipótese da possibilidade do pagamento integral quer do capital , quer dos juros dos empréstimos obtidos pela nossa desgovernação , pois a nossa Divida Publica já excede os níveis catastróficos do período pré-salazarista !… E a Teoria Politica sugere que a Quadratura deste Circulo não pode passar por uma Democracia , ainda por cima pouco saudável !… As Dividas acumuladas por Cavaco e Pedro Passos Coelho já excede a Divida acumulada por Sócrates !…
    E a Divida acumulada por Pedro Passo Colho está prestes a exceder a Divida acumulada por Sócrates … As tristes verdades de M. de la Palisse … A M…. é a mesma . As Moscas é que mudam (Brito Camacho) .
    E não existem Contas Nacionais credíveis que permitam provar a possibilidade do seu pagamento o que não passa de pura ficção . Aliás , este “status quo” apenas interessa aos Grupos Financeiros instalados neste “sitio tão mal frequentado” cujos tentáculos estão principescamente remunerados !…
    Em 1976 , aprovaram uma C.R.P. financeiramente (e não só …)insustentável que nos trouxe ao presente caos e que não cabe naquela Quadratura do Circulo . Mais um ponto de inercia !…
    E já não conseguimos fazer depois de amanhã o que devia ter sido feito anteontem !… Agora , o nosso maior deficit é de tempo que já excede em muito o deficit financeiro . Deficit de
    tempo para uma infinidade de coisas …
    Não há qualquer hipótese de Crescimento Económico . O tempo perdido voa e lá nos vamos desculpando com o que se passa no estrangeiro em vez de olharmos para os nossos espelhos .Oculos habent et non videbunt ?
    Sem falar das mentiras eleitorais deste embuste do “zé camarinha” com nebuloso Passado e perigoso como o nosso
    Futuro , o maior erro de Pedro Passos Coelho foi não ter logo resolvido o problema ainda não resolvido do financiamento da economia real . Assim , não há Crescimento Económico !…
    E enquanto a TAXA de juro for superior à TAXA do Crescimento Económico (PIB) , não há qualquer hipótese de sobrevivência !…
    E já não referimos as vendas das “jóias da coroa” ao desbarato e sem concurso publico … Um Estado falido e despido de toda a sua riqueza moral e patrimonial . O que resta , degrada-se ou cai em ruínas !…
    Assistimos à custa dos Contribuintes apenas a um paternalismo estatal sobre a Banca que foi a principal culpada da crise e agora imoralmente é a grande beneficiada . A Banca criminosamente permitiu um interessado sobre-endividamento . O crédito expandiu . A procura interna cresceu mas voltada sobretudo para as importações , agravando o deficit externo .
    Assim a nossa insuficiente capacidade produtiva voltou-se apenas para a procura interna . O Investimento cresceu voltado para a procura interna . Perdeu competitividade externa . Não existe Investimento voltado para a procura externa . Mas o financiamento da economia real desceu a Zero !… Desapareceu o Rendimento Disponível que em 1973 era superior à média europeia ! … A procura interna afundou . Falências . Suicídios . Desemprego . Este Desemprego tornou-se estrutural . Irreversível !… Natalidade ? Insustentabilidade da Segurança Social . Como vão viver os verdadeiros reformados ?
    Níveis de pobreza irreparáveis .
    A capacidade produtiva torna-se obsoleta e a formação liquida de capital fixo torna-se negativa . O escasso Investimento não compensa as perdas no stock de capital fixo . Até nas empresas exportadoras .
    E o Emprego só pode crescer , aumentando a competitividade externa das empresas , e para tal é necessário Investimento mas este e a não deslocalização das empresas ainda existentes exigem as seguintes 10 condições :
    1. Formação Profissional de qualidade
    2. Legislação Laboral adequada
    3. Estabilidade Sindical
    4. Estabilidade Fiscal
    5. Estabilidade Politica
    6. Sistema Judicial eficiente
    7. Eliminação da Burocracia
    8. Eliminação da Corrupção
    9. Criminalidade 10. Segurança
    Existe a possibilidade de uma atempada solução democrática? Não . Como agravante , entre atacar competentemente o problema do deficit (DESPESAS>RECEITAS) pelo lado da diminuição da despesa , este incompetente Governo optou pelo
    lado do aumento das receitas fiscais i.e. uma Ditadura Fiscal !…Asfixiou a Economia . Tem a vantagem de chegar mais depressa ao fundo do poço …Solução de curto prazo ? Enquanto é tempo ,
    EMIGRAR …
    POST SCRIPTUM
    Mais de 10 suicídios e outras quantas mortes já ocorreram decorrentes das incompetentes e irresponsáveis politicas de
    Pedro Passos Coelho ? Mataram D. Carlos e Sidónio Pais .
    Vox Populi : Não há duas sem 3 …

  2. Carlos Fonseca says:

    Economista,
    O seu comentário, em grande parte, merece a minha aprovação.
    Andaram e continuam a desgovernar-nos. As dimensões dos problemas são de tal ordem que estamos condenados à miséria.
    Estou na expectativa de ver no que isto vai dar. Aguardemos, portanto.
    Obrigado pelo comentário.

  3. Maria Teixeira Alves says:

    As pessoas têm de se convencer que temos de equilibrar as contas públicas. Isso implica reduzir a despesa do Estado ou subir os impostos. Não há alternativa. Enquanto houver défice estamos irremediavelmente dependente dos mercados. O pé é de facto boto, porque temos défice para financiar nos mercados.

    • economista says:

      Está errada . Não são duas , são três : Aumento da Despesa + Aumento das Receitas + Aumento do Crescimento Económico .
      “Estou certo ou estou errado ” …

      • Maria Teixeira Alves says:

        O crescimento económico só se faz com as contas públicas ajustadas. Antes de mais é preciso isso. Até porque como se viu nenhuma empresa consegue emitir obrigações para financiar o investimento e por essa via o crescimento económica
        se a dívida do seu Estado soberano estiver com rating lixo….


        • Esse “só se faz” é pura ideologia contrariada por toda a História Económica e Social, mas a fé é um legítimo direito de cada cidadão.

        • economista says:

          É melhor ler a tese de doutoramento do Professor Doutor Anibal Cavaco Silva em IORK-UK , ou pelo menos olhar para a sua prática como PM e como PR . Vá lá e aprenda como é !…
          Castigat ridendo mores …

        • economista says:

          Esqueci-me : a tese foi sobre “O Crescimento Económico e a Divida Publica” !…

  4. nightwishpt says:

    Enquanto houver colaboracionistas como essa gente e a Maria Alves, não há esperança para o país. Com um pouco de sorte, quando o governo cair de podre, que já nem sei se será este ano, construir-se-á tudo de novo. Aqui e no resto da Europa subdesenvolvida.

  5. Carlos Fonseca says:

    Maria Alves,
    Louvo-lhe a paixão laranja, mas olhe que lhe retira a lucidez.
    Como serei suspeito, e o défice agravado para -3,2% do PIB, a taxa de desemprego de 16,9%, o número de falências e a desastrada execução orçamental de 2012 e por aí fora; sim, por em associação comigo tudo isto ser suspeito, aconselho a leitura do artigo da Dr.ª Manuela Ferreira Leite na edição do ‘Expresso’, Economia, do último Sábado.
    Veste a cor da sua paixão, mas isto não são temas para se encararem com emoção. E ela tem o saber de o fazer racionalmente na análise aos famigerados 4 mil milhões de contos.

    • Maria Teixeira Alves says:

      Ai ó Carlos Fonseca, não há pachorra para os seus argumentos poupe-me com essa da paixão laranja. Please!!! Paixão pela razão, isso sim.

  6. Isabel says:

    Já é tempo é de acabar com estes gajos todos. O primeiro levava um tiro nos cornos e os outros borravam-se de medo.

  7. Maria Teixeira Alves says:

    Carlos Fonseca défice agravado face a quê? Aos 10% que os socialistas deixaram? Desemprego, mas acha que em recessão o desemprego desce? Acha que num país intervencionado pelo FMI (as pessoas esquecem-se disto) há hipótese de crescimento económico assim por toque de magia? Acha que com a Europa em recessão, Portugal que depende da Europa pode ter crescimento económico?
    Eu citei aquela frase da MFL, foi aquela frase, não disse a MFL tem sempre razão pois não?
    (aos outros nem respondo, primeiro porque não dão a cara, depois porque são tontos e ordinários).


  8. O que aqui vai. A manipulação dos factos é uma arte espantosa. A ver se ainda hoje se explica nesta casa como em 2008 a dívida pública de Portugal era inferior quer à da Alemanha, quer à da França, quer à média da Zona Euro, em proporção dos respectivos PIB.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.