Exactamente

Por muito menos que isto foi morto o rei D. Carlos – uma grande entrevista de Mário Soares.

Comments

  1. Hugo says:

    Citar o exemplo da Argentina dizendo que o povo não ficou pior é não ter noção nenhuma do que se está a dizer. Elogiar o engenheiro dos Domingos é perfeitamente execrável. Depois, um chorrilho de frases feitas: não pagamos, os mercados são uns malvados porque querem reaver o dinheiro que emprestaram, a Thatcher e o Reagan são uns porcos fascistas neoliberais, este Papa é que é, os Estados valem pela sua história porque o ouro é o vil metal (pode ser que os FP’s aceitem ser pagos em teses e separatas).

    Salva-se as críticas ao PR (demasiadamente passivo) e à solução de um governo de iniciativa presidencial SEM realização de eleições (por amor de Deus, aprendamos com os exemplos dos italianos e dos gregos), se bem que fique a ideia de que o que Soares quer é que o PR entregue o poder de bandeja ao seu PS, que, só por acaso, foi o partido que nos colocou nesta embrulhada. Enfim, a história é importante, já a memória… Por fim, gostei de saber que Mário Soares enquanto jovem era lingrinhas. Depois entrou na política.

    • João Lopes says:

      O mais espantoso nesta gente que se põe a criticar este governo com acusações de ser neoliberal é a completa ignorância em que se baseiam para fazer as críticas.

      Um exemplo é a forma como ao mesmo tempo criticam os ditos neoliberais e elogiam calorosamente a actuação do governo da Islândia, não se dando conta que a recusa do estado intervir na economia com salvamentos de empresas privadas é das políticas mais neoliberais que se pode impor.

      Outro exemplo é a forma como essa gente se põe a apelar à recusa de pagamento de toda e qualquer dívida pública apontando supostos casos de sucesso como a Argentina, não se dando conta do descalabro económico que essa política provocou nesse país e que o tem afundado e mantido manietado nas últimas 3 décadas.

      Outro exemplo é a forma como se põem a apelar a que o estado equilibre as suas contas através de cortes na despesa em vez de se aumentar e criar impostos.

      Mas tudo fica explicado quando se constata que essa gente não se preocupa com coerência ou ideologia, e baseia-se apenas num tribalismo acéfalo baseado num sistema contorcido de lógica “nós Vs eles”.

      • Concordo que o Governo (apesar das pretensões), nem neoliberal consegue ser. É apenas “estúpido”! Trata os portugueses como merda e não acerta uma! Nesta fase já nem merece argumentos mais elaborados. Só não vê quem é cego ou não quer ver…
        Nem merece balas de revólver. Só mesmo “Sheltox”!… É uma praga para o País, e as “radiações” mortíferas vão perdurar por décadas.

  2. Um comentário que agradeço porque reforça o título: uma grande entrevista que acerta no alvo.

  3. Reblogged this on A Arte da Omissao and commented:
    acertou em cheio!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.