Escutas dos EUA à Europa

A Comissão Europeia e alguns países europeus estão indignados com as escutas americanas a instituições, cidadãos e dirigentes do continente. Têm razão e pediram, para já, explicações aos EUA.

Só na Alemanha a vigilância americana intercepta cerca de 500 milhões de comunicações por mês.

Estes dados, revelados por Edward Snowden ao jornal Guardian, confirmam suspeitas antigas ainda não provadas. Dificilmente os EUA confirmarão o que quer que seja e o caso ficará em águas de bacalhau, a menos que a Europa decida agir activamente, repondo alguma justiça pelo caminho, acolhendo, albergando e protegendo Edward Snowden, dando um sinal de que não tolerará a repetição destas práticas e abrindo brechas para futuros “Snowdens” denunciarem casos semelhantes.

Não acredito que a Europa (esta Europa hoje sem valores nem espinha dorsal) o faça, mas devia.

Comments


  1. É extraórdinário que alguém esteja surpreendido.

  2. Dexter says:

    eu se fosse americano tb espiava a alemanha…e os francius…


  3. AMÉRICA ANDA ARRANJAR LENHA PARA SE QUEIMAR .

  4. José Manuel Coelho Vieira Soares says:

    O nosso palhaço da cimeira das Lages / Iraque está la para quê ?

  5. LUIS COELHO says:

    DESDE SEMPRE QUE SE TÊM REVELADO GRANDES AMIGOS DAS NOSSAS EXPROVINCIAS ULTRAMARINAS!


  6. O que é novidade no meio disto tudo é apenas ficarmos a conhecer os novos programas de obtenção e processamento de informação.

    Desde há muito que se conhece o método e abrangência da vigilância norte-americana. São célebres os programas ECHELON de vigilância externa, ou o CARNIVORE de vigilância interna. Tudo isto está amplamente documentado, sobre o ECHELON há, inclusive, um relatório do parlamento europeu sobre o caso (PDF)…

    Não seria de esperar que, após as complicações começadas em 2001 este comportamento se fosse modificar. É claro que, se aconteceu alguma coisa, foi terem investido mais recursos neste problema.

    Vale também notar que, se por um lado os EUA mantém este sistema, também é verdade que tanto a Rússia como a França mantém sistemas igualmente ambiciosos (admito que com menos recursos que os americanos) e que o Reino-Unido, Austrália e Nova Zelândia são parceiros dos EUA neste negócio… É perfeitamente normal que outros países, como a China ou o Brasil também estejam a investir neste tipo de sistemas.

    Não estou a ver a Europa fazer muito barulho sobre isto, telhados de vidro e essas coisas…

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.