A imunidade das figuras da democracia

Soares

Por estes dias, ouvi algo que me perturbou. Não a constatação em si, algo que pertence ao campo do óbvio, mas a naturalidade com que foi proclamado. Informaram-me vários órgãos da nossa comunicação social que, na decisão do DIAP de Lisboa de não abrir um inquérito às afirmações de Mário Soares sobre o juíz Carlos Alexandre, que em artigo no DN em que se colocou uma vez mais na pele de advogado do recluso nº44 avisou o super-juiz que se “cuidasse”, pesou o facto de Soares ser uma figura da democracia.

Não se trata aqui de julgar Mário Soares pela frase “E o juiz Carlos Alexandre que se cuide” que de resto nem grave chega a ser. Trata-se de ser confrontado com uma realidade em que o facto de um indivíduo ser considerado uma figura da democracia possa servir de pretexto para uma aplicação diferenciada da lei, algo que é altamente contraditório com o conceito de democracia de que esse individuo é figura. Como se já não chegasse a imunidade que, de uma forma geral, caracteriza a classe política, ser uma figura da democracia parece colocar cidadãos portugueses como eu ou o caro leitor num patamar de inferioridade relativamente a sujeitos como Mário Soares e similares. A menos que o caro leitor pertença a alguma casta claro.

Comments


  1. Já houve um fascista apoiante do márocas que leu o artigo e não gostou. É mais um daqueles em que a justiça o protege.

  2. Nightwish says:

    Provavelmente porque é dos poucos que podia levar o caso até ao tribunal europeu com o desfecho habitual do país levar com uma multa pesada por violação da liberdade de expressão.


    • Estás a gozar?

      • Nightwish says:

        Com as multas pesadas passadas ao estado português? Não, Penso que uma deles teve a ver com o caso das dívidas do Sporting. Os juízes têm a mania de que qualquer declaração, mesmo que completamente verdadeira, não pode pôr em causa a imagem da pessoa/entidade, o que não se coaduna com o direito europeu.

  3. Ausente says:

    Na minha irredutivel opiniao, Soares nunca foi democrata.
    Oportunista, manipulador e actor (o caso da mal encenada agressao na Marinha Grande) da democracia, foi e continua a ser.
    E de que maneira..
    E’ mais um travestizado.

  4. Antonio Lourenço Antunes says:

    Aventar, correio da manha, sol, observador a mesma luta!

  5. Jose says:

    Este bucheixas foi o maior ladroe zé portugal teve.

Trackbacks


  1. […] os amigos são para as ocasiões. E convenhamos que muitos dos argumentos usados por esta figura da democracia até fazem […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.