Sim, foi no Egipto

egipto

Efectivamente, no Egipto.

Informação relevante: ‘egípcio‘ é relativo ou pertencente ao/natural ou habitante do ‘Egipto’ e, em português europeu, como escrevi em 2009 (p. 60), a grafia ‘Egito’ existe, sim, mas para o Gonçalves.

Mais considerações serão tecidas e outras informações serão prestadas quando houver a tal “discussão mais focada sobre as matérias mais controversas”.

Exactamente, as matérias mais controversas.

Comments

  1. pedro barros says:

    Certo. Também podia ter sido em Vimarães, de onde são os vimaranenses. Ou em Cipre, de onde são os cipriotas. Quem sabe em Penafidel, de onde são os penafidelenses. Mas desta vez foi no Egipto, de onde são os egípcios.


    • Há sempre uma razão (geralmente histórica) para que o nome dos habitantes de algumas cidades ou países sejam diferentes da raiz do nome dessa cidade ou país: Assim, no caso dos habitantes de Guimarães (vimaranenses), a origem provável é o facto de “este topónimo ter tido origem em Vímara Peres” (Wikipédia).
      Ao contrário, Chipre, deriva da palavra grega para cobre, kýpros. Por este motivo, alguns autores especulam que a melhor tradução do nome em português seria Cipro, em vez do galicismo Chipre.
      O nome dos habitantes de Penafiel virá de castelo da Pena (Pennafidelis), nome original da cidade.

      Mas em Egipto, sendo o original de origem árabe, na grafia e pronúncia latinas só temos os nomes “Egípcios e Egipto”, derivados do grego antigo Αίγυπτος (Aígyptos), por meio do latim Aegyptus, ambos com o P, que muitos de nós continuamos a pronunciar.

  2. Maria João says:

    pois…os egípcios, que lá irão morrendo são os habitantes do Egipto….

Trackbacks


  1. […] de ‘selecção‘, de ‘Egipto‘ e de ‘pára‘, voltamos a verificar que o AO90 não é nem adoptado, nem […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.