Ricardo Araújo Pereira – A Década dos Psicopatas

Paulo Pereira

e Daniel Oliveira – A Década dos Psicopatas.

E o contexto é o de uma sociedade desigual nos sacrifícios e nas vantagens, precária e insegura para a maioria e garantista e blindada para uma minoria.

O problema que aqui me interessa não é apenas ético, apesar da ética também contar. É social. É o de uma elite que vive num mundo à parte, com regras à parte, e é por isso incapaz de perceber a vida dos outros. Poderiam ser ricos e perceber tudo isto. Poderiam ser pobres e não perceber nada disto.

A vida está cheia destas incongruências e não sou dos que acham que alguém que defende a justiça social tem obrigação de levar uma vida espartana e que os pobres têm obrigação de ser socialistas. Mas julgando, como julgam, que os seus privilégios excecionais resultam do mérito, não podiam deixar de julgar que as banais dificuldades dosvideo outros resultam de desmérito. Quem vive confortável na injustiça nunca poderá compreender a sua insuportabilidade. Quem pensa que o privilégio é um direito nunca poderá deixar de pensar que a pobreza é um castigo.

Comments


  1. Bom post. Alias sendo nós demasiado criativos, deixamos passar os momentos oportunos(estou a pensar nos eleitores disponiveis para mudar de voto ou sair da abstenção) de gente mais eficiente e consequente aparecer com propostas bem estruturadas; que fazem eles: fragmentam o panorama politico devido as crises crónicas de umbigopatia agravado por uma matriz (genetica?) tradicional nos nossos lideres que é a ineficiencia e lirismo. Até mete pena tanta verborreia inconsequente e autosatisfação de quem vai a marchar tão certinho com o pelotão todo enganado (basta ver as besteiras que dizem sobre uns incompetentes la para Atenas)

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.