O medo passou para o outro lado

grecia discoboloJá irrita ver a discussão em torno da Grécia e do acordo reduzida ao que não é, um problema entre o governo grego e os chamados credores, auxiliadores e outras tretas de propaganda.

O que se está a discutir é muito mais simples, e complexo: as eleições em Portugal e Espanha, para já, futuras eleições em França, na Irlanda e na Alemanha, a renovação do mandato da birrenta Lagarde.

Se Merkel e Hollande já perceberam que a saída da Grécia do Euro ia custar uma pipa de massa, e passaram à defensiva, os seus representantes nas províncias ibéricas estão numa compreensível aflição: qualquer acordo que não consigam vender como uma humilhação ao Syriza ser-lhes-á fatal.

O problema do pensamento único que nos governa é que acredita mesmo nas suas fantasias. Foi por aí que as coisas lhes correram mal.

Para eles, por exemplo, a História é feita por uns senhores que tomam decisões por sua livre e espontânea vontade. Ainda não perceberam que os povos existem, até porque negam a existência da própria sociedade. A ignorância é tanta que se esqueceram de dois detalhes do património histórico grego: foi por aqueles lados que no séc. XIX começou a Europa das Nações, que levou ao uma completa mudança do mapa por estes lados (e na América, por exemplo, também). Por ironia ou talvez não os liberais do tempo, os a sério, foram os grandes apoiantes da causa grega contra o império otomano que levou à sua independência. O outro respeita à resistência à besta anterior, a nazi, que em todos os Balcãs foi muito a sério, e não mais mito que outra coisa como viemos a descobrir por exemplo em França.

Ora o plano para a Grécia passava pelo que pensavam óbvio: os gregos rapidamente deixariam de apoiar o novo governo. Uma chatice, funcionou exactamente ao contrário. Passaram à fase da vacina: a Grécia vai ao fundo e nunca mais ninguém vota em gente desta. O problema é que a Grécia está no fundo, como Portugal de resto. Claro que isto não entra na cabeça de quem acredita no propagado milagre português, tipo o desemprego desce depois de meio milhão se ter ido embora. O problema dos idiotas sempre foi o não poderem entender que nem todos o são.

Habituados a políticos de natureza corrupta e servil, imaginaram que os de esquerda seriam iguais. Ora uma coisa é terem vergado ao longo de décadas a defunta social-democracia convertida em social-liberalismo, outra é precisamente a esquerda que começa a ocupar o espaço dessa social-democracia. Uma coisa são os cavacos e coelhos:

Como se vê, não é bom aluno nenhum. É o péssimo aluno, o aluno cábula, o aluno marrão, mas burro; o aluno que não percebe, nem quer perceber; o aluno que só debita e repete, sem entender o que diz; o aluno mandrião, espertalhoto e quadrado, convencido que é inteligente; o aluno sem alma, nem ambição, graxista e lambe-botas.

como caracteriza a propósito de mais uma genuflexão o perigoso comunista Ribeiro e Castro. Outra nos antípodas desses amestradinhos é um qualquer Tsipras.

Chegámos à fase dos nervos, muito medo. Nesta altura os insultos soltam-se, na Alemanha o racismo desperta, por cá temos então um governo, que foi eleito prometendo não fazer o que depois fez, chamando chantagista a quem quer cumprir o que prometeu, o que seria um paradoxo, não fosse pura canalhice.

Já não hesitam na redução ad comunorum, ou seja, chamar comunistas a uma frente maioritariamente social-democrata como o Syriza, um cretino qualquer na AR palra sobre cirroses, falando certamente pelo próprio fígado, e insiste-se nas mentiras do costume, uma cambada de caloteiros que não querem pagar a especulação de que foram vítimas, etc. etc.

Normalmente, pensavam, a máquina de propaganda formada pela maioria da comunicação social deve resultar.  Que diabo, depois do Rodrigues dos Santos até o  Sousa Tavares foi mentir para Atenas. A chatice é que aqui ao lado as principais cidades já são governadas à esquerda, coisa nunca vista desde a década de 30, e muito principalmente as pessoas existem, e até pensam. E como eles sabem outra política económica acaba com o choque e pavor e dá-lhes cabo do trabalho todo que tiveram.

Mantendo a determinação do governo a Grécia está condenada a sair do buraco em que a enfiaram com a austeridade, e os sucessivos governos da casta. E isso vai custar mesmo muito caro aos que estavam convencidos de que a História tinha acabado e a luta de classe não passava de uma ficção oitocentista. Agora a realidade vai-lhes cair em cima, e espero que lhes doa, pelo menos tanto como o sofrimento que nos têm causado.

 

 

Comments

  1. joão lopes says:

    a troika quer mesmo humilhar a Grecia e os gregos,simplesmente porque votaram no syriza.isto não sera esquecido por muitos cidadãos da EUROPA.nem quem tanta propaganda faz á troika.como diz o outro,”há mais marés,que marinheiros”,tas a ouvir,actual PM de portugal?

    • Rui Martins says:

      E que tal pagarem as dívidas que criaram???

      • A.Silva says:

        Deves estar a falar para gente da laia do portas, cavaco, soares, sócrates, barroso, oliveiras costas, salgados… e demais filhos da puta da mesma espécie.

      • valentim99 says:

        quem ?foi o povo que fez as dividas ou foram os bancos e outros que tais ,deves andar feliz por paga r a porcaria que os governos e bancos fizeram em Portugal …tolinho

      • Maria says:

        Será que em Portugal foi o povo também que criou a dívida que anda a pagar com os cortes nas pensões, etc etc ?? Penso que na Grécia igualmente foram os sucessivos Governos a desgovernarem e a “governarem-se” com a “distracção” da Comissão Europeia quem foi emprestando dinheiro sem querer saber se a Grécia teria capacidade para pagar os empréstimos. Foi culpa de todos menos do Zé Povinho que confia nos Governos que elege, tal como em Portugal. A Grécia nunca disse que não pagava, pede uma restruturação da dívida para poder pagar e propõe outras medidas para arranjar dinheiro para o pagamento das mesmas outras que não mais corte nas pensões e aumento de impostos. A Comissão Europeia e o FMI batem o pé porque não é assim que querem !!! Perguntamos porquê. Perguntamos também porque é esta má vontade para encontrar uma solução que seja melhor para todos se o próprio FMI acaba de emprestar à Ucrania ( que não é membro da CEE e ainda demorará muitos anos a sê-lo) com o acordo da Comissão europeia, 1800 milhões, um país que acaba de anunciar que provavelmente entrará em default com os países a quem deve dinheiro porque se encontra à beira da banca-rota. Pode ser que me engane mas há neste processo todo qualquer coisa que não bate certo.

        • Luis Morgado says:

          Não foi o povo ou os dirigentes. Foi o pais. E se os dirigentes desse pais são irresponsaveis, todo o pais é responsavel.
          Alem disso, dividas foram contraidas para manter um sistema que não é sustentavel que todo o pais usufruiu. Quando se vivia bem à custa de ajudas externas, ninguem refilava.
          Alem disso, a corrupção em Portugal e na Grécia não se limita ao Governo. Por exemplo, as pessoas que não declaram redimentos fugindo ao fisco, tambem são corruptas. Porque quando se diz que Portugal é um dos paises mais corruptos da UE, pensas que eles se referem so ao Governo???
          Quanto à Grécia, talvez essa Europa tenha simplesmente feito confiança à responsabilidade dos seu governantes; e quando deu conta que o pais inteiro era um poço sem fundo, decidiu pedir garantias para que dinheiro lhe seja dado. E é isso que a Europa esta a fazer neste momento.

          • joão lopes says:

            mais uma mentira.não é verdade “que todo o pais usufruiu”.eu não tenho contactos “priveligiados” como tinha o passos na tecnoforma.ou o socrates no grupo lena.apenas exemplos.a noção de “culpa” é a mensagem que esta a ser vinculada pelos media para “controlar” o desespero de quem não tem emprego(14% em portugal com numeros aldrabados pelo governo do psd/cds)

          • Luis Morgado says:

            Lololol…
            O maior cego é aquele que não quer ver. Ou que so ve o que lhe interessa.

            Quando tens um sistema que não é sustentavel por sim mesmo, como é o Portugues. E que tens de individar-te para o sustentar, desculpas, mas isso chama-se “usufruir”. Porque os emprestimos continuam a chegar e esse sistema “ainda” não é sustentavel.

            E se o governo pede contas bancarias antes de dar o RSI, ou verifica contas da EDP para ver quem tem apartamentos alugados sem declarar, ou pede para pedir facturas mesmo por um café, ou verifica o que tens e o que não tens, ou tenta encontrar quem trabalha sem declarar; é porque durante imenso tempo ouve imensas fugas ao fisco. E isso para ti não é corrupção???

            Tens razão, tu não tens os amigos que os PM tem, mas se calhar tens dois ou três amigos XPTO que não te passam fatura e com isso não pagas IVA. Tu e uma grande parte da população. Mas isso é normal.

            E volto a repetir o que escrevi em cima ” … quando se diz que Portugal é um dos paises mais corruptos da UE, pensas que eles se referem so ao Governo???”

    • Luis Morgado says:

      A Troika quer que lhe devolvam o dinheiro que emprestou… Nem mais nem menos.
      E a Grécia quer continuar a viver às custas da Europa.
      E como a Troika ja compreendeu que dar dinheiro à Grécia sem contrapartidas é deitar dinheiro ao lixo, não cede.
      Ir alem disso é criar teorias da conspiração totos que não passam de especulação.
      Quando a Grécia diz que a troika não aceita a proposição grega, é simplesmente porque as proposição gregas esta longe das exigencias da troika.
      E não esquecer que a Grécia continua nas negociações, não por aquilo que tem de pagar, mas por aquilo que quer receber.
      Se a Grécia tivesse tantos tomates como voces querem mostrar ela ja se tinha posto a andar. E esta caricatura so me faz rir.

      • José Pinto says:

        A “Troika” não “emprestou dinheiro”, eles fazem dinheiro e entregaram à Grécia. E se ficar assim? Se a Grécia não pagar e não obtiver mais empréstimos? Já faltou mais….

        • Luis Morgado says:

          Porque não. Seria uma saida, para a Grécia. Mais logica que toda esta negociação futil. Mas ambos sabemos que isso não vai acontecer. 😀

      • joão lopes says:

        caro luis,você é portugues? então pague o que deve à troika,caso contrario…emigre

        • Luis Morgado says:

          Caro João. Sim sou Portugues. Emigrei inicio de 2003. Na altura tinhamos saido do governo de Antonio Guterres, com as duas fantuchadas do limiano, e tinhamos entrado no governo do Barroso. Diga-me uma coisa… Acha que tenho legitimidade de preguntar a voce que ficou ai, o que é que voces fizeram do meu pais???

          • Pergunte a quem votou PS ou PSD. Eu não tenho nada que ver com isso.

          • joão lopes says:

            caro luis,foram o pasok/nova democracia ou psd/cds/ps que estiveram/estão no governo dos respectivos paises.os responsaveis estão aí.por outro lado o syriza ainda não tem 6 meses de governação.não confunda 6 meses com 20 anos de pessima governção nos respectivos paises.por outro lado,eu tenho emprego,pago impostos,recuso-me a sair de portugal e não tenho dividas(a não ser aquelas que os respectivos governantes fizeram por mim-esses governantes chama-se cavaco,durão,santana,socrates,passos,portas.-deixo de lado o guterres,para mim o menos mau PM que portugal teve desde sempre)

        • simon teles says:

          E eu não devo nada à troika, os bancos, sim, como dirá certamente, o luís .

          • Luis Morgado says:

            Lamento mas sinceramente não entendo o seu comentario.
            Não deve directa ou indirectamente?

      • Tenha fé, Luís Morgado, acredite em tudo o que lhe vendem. E continue a esperar pela noite de 24 para 25 de Dezembro. Um dia o Pai Natal desce pela chaminé e deixa-lhe uma prenda.

        • Luis Morgado says:

          O Pai Natal desceria se a Grécia decidisse de uma vez por todas a sair do Euro. Seria um optimo observatorio, seja para o pais que sai como para a Europa ela mesma. Assim acabariamos com especulações. E veriamos o pos Grécia. Se eles estão melhores fora do euro e se a Europa sobrevive ou não a toda esta treta.

          • valentim99 says:

            bem nao e preciso basta ver o que se passou e passa na Islandia …

          • Luis Morgado says:

            Então a Grécia so tem de sair de uma vez por todas. E o senhor Tsipras que os tem no sitio e tomar medidas similares à Islandia. Eu pago para ver.

          • simon teles says:

            A Islândia saiu. Não pagou o calote dos bancos e até demitiu políticos, por não chatearem mais. E ditou nova constituição. Passou cerca de dois anos difíceis, parece, desde aí vem a crescer a sete ao ano, dizem, e por cá pouco se diz .

          • Luis Morgado says:

            A Islandia nunca esteve dentro, e agora que conseguiu estabilizar começa a querer aderir à UE… 😉
            Um link sobre a situação da divida publica http://pt.tradingeconomics.com/iceland/government-debt-to-gdp

      • Nascimento says:

        Realmente quem faz rir são as tuas merdosas “análises” á la taxista/ C. da Manhã….

        • Luis Morgado says:

          Lamento, mas nem sou taxista, nem leio o Correio da Manha. Mas talvez tenha de mudar de profissão e de Jornal.

  2. Ora nem mais, até conseguiste citar o Ribeiro e Castro, esse cubano dos sete costados!

  3. Rui Martins says:

    Ahahahahah… O problema são as eleições. Para um esquerdelha de merda, o problema nunca é pagar as dívidas acumuladas por dirigentes populistas, ladrões e incompetentes, de esquerda.
    Para os esquerdelhas de merda, há sempre razões aquilo que tem que ser feito. A culpa é sempre dos outros.
    Os esquerdelhas de merda adoram falar da austeridade. Mas nunca falam de quem criou o problema que levou a austeridade.
    Os esquerdelhas de merda esquecem que foram os socialistas dos PSs ou PASOKs que enterraram Portugal e Grécia.
    Continua a arranjar desculpas, esquerdelha de merda.

    • Seria possível explicar a um monte de merda que a Nova Democracia, que esteve e partilhou o poder com o defunto PASOK, é um partido da sua direita? E que tal como cá as ditas dívidas são uma criação que remonta aos cavacos?
      Possível, é. Mas a um monte de merda seca, como o Martins, não aquece nem arrefece: a verdade é o que lhe apetece. Está em trânsito intestinal.

    • Anabela says:

      Boa tarde Sr. Rui Martins
      Depois de ler o seu comentário não consigo deixar de lhe fazer uma proposta, que tal mudar para uns óculos, sei lá…. talvez da optivisao, eles têm modelos lindos!!! É por causa de pessoas como o sr. que o nosso pais está como está. Veja lá se consegue tirar esses de Penafiel que usa (até porque devem ser mt escuros) vai ver que se sente muito melhor.
      Cumprimentos

    • Nascimento says:

      Ó F.da P. vai botar discurso para o site do P.N.R. ! Xô facho de merda.

    • valentim99 says:

      hehhee tantos aqui ..assim tantos aqui xuxalistas

  4. Calvin says:

    mais um texto hilariante de JJC!! “o que se está a discutir é muito mais simples, e complexo”, escreve, sem medos! não será, obviamente, a sintaxe que irá atrapalhar a sua luta. de resto, cada um fantasia com aquilo que entende. eu ainda prefiro a pornografia.

  5. Luis Morgado says:

    Eu estou no estrangeiro desde 2003. E desde então tive a possibilidade de viver noutros paises e conviver com outras pessoas europeias.
    Quando leio estes artigos, telefono a colegas que estão em Portugal, porque tenho imenso medo que as pessoas do meu pais pensem desta maneira. Sinceramente.
    E o que me consola é que esses meus amigos me dizem que é uma minoria. Que as pessoas tem consciencia que sem a Europa estariamos bem pior. Mesmo se o povo portugues sofre.
    Todas as pessoas tem uma opinião e é uma boa coisa, mas se viver dois meses em França ou na Alemanha, compreendera que:
    – A Merkel desceu a popularidade, mas a maioria dos alemães a apoiam em tudo o que é interno à Alemanha, seja medidas de Austeridade que a alemanha se põe a si mesma. Mais, a Merkel quase conseguiu a maioria absoluta, que é quase impossivel na Alemanha com o sistema eleitoral que eles tem.
    – O Hollande tem problemas internos aos quais ele vai ter de responder (perdendo as eleições) e que as negociações Gregas nem aquecem nem arrefecem.
    – E que a Lagarde é vista como alguem que tem tomates para se manter à frente do FMI. E não como uma “birrenta”.
    Imagine a minha surpresa ao ler o seu artigo.
    Não esquecer outra coisa. A Grécia e Portugal estão longe de ser representativos da Europa. Seja em População ou em PIB.

    • Está no estrangeiro, e vive fora desta galáxia.
      Se soubesse ler, teria percebido que me referi a Merkel e Holland porque os 158 mil milhões que a Grécia não pagará, resultando directamente desta não-negociação (o objectivo é apenas o de correr com um governo eleito), lhes vão dar um certo trabalho a explicar aos seus eleitores. Claro que podem sempre mandar a tropa outra vez para Atenas, mas é capaz de dar mau resultado.
      A Lagarde tem uns grandes tomates, os mesmos que ofereceu ao Sarkozy e deram muito dinheiro a ganhar a um trafulha francês. Até a Manuela Ferreira Leite ontem explicou que a mulher está em campanha para a sua reeleição, mas isso foi em Portugal, planeta Terra, faltam-lhe uns anos-luz para cá chegar.

      • Luis Morgado says:

        Galaxia??? Talvez.
        So que na Galaxia Europa aquilo que disse é valido.
        E se na Galaxia Portugal não é talvez essa Galaxia seja a rever. E a prova é que no final de contas é na Galaxia Portugal (ou Grécia) que as coisas vão mal. Ou tambem estou enganado.
        Quanto a eliminar Tsipras, não sei. Quem quer que la esteja, vai ter o mesmo problema e sofrer as mesmas negociações/exigencias (Portugal inclusivé). A unica coisas é que o Tsipras decidiu mostrar as garras de Gatinho em frente a Leões. E vai levar nas garras. (Na minha Galaxia, Na Galaxia Grega ele vai-se safar)
        Quanto à Lagarde. Sim tem tomates e é vista como alguem de tomates.
        Alem disso, quem o ouvir falar a Manuela Ferreira Leite tem a verdade absoluta. Ela veio à televisão (da tua Galaxia) ex
        plicar… Lol.

        • Gosto muito dos covardes que se ajoelham perante os poderosos.
          E da arrogância também. A Grécia não tem nada a perder. E a última vez que os covardes deixaram a Alemanha mandar, danaram-se. Desta também.

          • Luis Morgado says:

            UAU!!! Sou covarde.

            Ja te passou pela cabeça que eles são poderosos porque tem uma visão a longo prazo e são disciplinados. E não passam o tempo a mudar de rumo o tempo todo? Onde esta a cobardia em valorizar esta maneira de pensar, relativamente à Portuguesa que é sem rumo?
            Se tivemos tantas ajudas e tanta prosperidade, porque é que estamos assim tanto na m****. Ah!!! Culpa deles…

            Se a Grécia não tem nada a perder, que saia. Estou super interessado em ver o seguimento. Para a Grécia e para a UE. Como ja disse, seria um optimo observatorio. Ver o pos Grécia. Assim Portugal vera como pode gerir o seu pais com conhecimento de causa. Ou tambem estou enganado?

            A Alemanha esta a sair-se bem sozinha. Conseguiu arrumar a casa. Porque a Merkel aplicou a “austeridade” em casa. Ou sera porque esta a mandar nos outros??? Ja não sei.

            Relativamente à Alemanha mandar como na primeira metade do seculo XX, e para te mostrar que sou ainda mais cobarde (:-D), vou-te dizer que acredito numa Europa Federalista. Mas infelizmente (ou felizmente ;-)) a Europa é bastante complexa, e não esta preparada para isso. Pelo menos na nossa geração.

        • joão lopes says:

          desculpe luis,mas “austeridade” na alemanha é pura mentira.você que “emigrou” não sabe o que é austeridade.em dez.2014 quando tive em berlin não me lembro de vêr “austeridade” alguma.lamento mas esta a mentir…

          • Luis Morgado says:

            Nunca disse que a austeridade na Alemanha é equivalente à Portuguesa.
            Em parte, porque eles gerem o pais por antecipação. Não o deixam cair no buraco. A Merkel tomou muitas medidas de contenção da despesa publica (mesmo antes da França) sacrificando entre outros os funcionarios publico. E à 2-3 anos começaram a sair do buraco. Eleições na Alemanha e ela ganha quase por maioria absoluta (quase impossivel no sistema alemão), mesmo apos ter pedido ao povo de se sacrificar.
            Enquanto que nos o fazemos por reacção e obrigados… Deixamos o pais se enterrar bem com demagogia, para depois tomar medidas. E continuamos na demagogia.
            E eu sou covarde ao admirar essa forma de administrar um Pais???

    • Nascimento says:

      ó Luis a Lagarde tem o quê? Ai já sei, tem os tomates do Bernard Tapie . Sabes quem é? Não? Eu explicava-te, mas, como andas por essas bandas, pergunta a um amigo franciu quem é Lagarde…ok? E já agora, “konsola-te” á brava, ka malta cá em baixo ,já tem palermas, cujas análises de cordel, chegam e sobram …..livra.

      • Luis Morgado says:

        Queres que lhes pregunte quem é o Sarko com os seu salto altos, e o Hollande com as fugidas em scooter, etc, etc. E se quizeres rir um bocadinho tambem lhes pregunto pelo DSK. Mas podemos sempre acabar a conversa, com ” vamos ver se ela é re-eleita ou não.” 😉

        • Nascimento says:

          Olha com essa é que se percebe agora que também tu és mais bolos….ehehehehh ó Ruizinho já tens parceiro! E logo tuga/franciú.ehehehehh

          • Luis Morgado says:

            lololololol.
            Como estou em França sou menos Portugues que tu?
            E ja agora o que é um Tuga/Franciu? Um gajo la em cima disse que era taxista. Tu dizes que sou Tuga/Franciu. Tou um bocado perdidito…

          • Luis Morgado says:

            Agora que se ve que a Europa não tem assim tanto medo do Tsipras e que afinal a Grécia precisa tanto (ou mais) da Europa que a Europa da Grécia (ainda bem que a Merkel os tem no sitio, por que o toto do Hollande ja estava a baixar as calcinhas).
            Que nem sequer medo do Referedum.
            E que o Tsipras começa a baixar a crista, e a andar à toa por os bluffs não funcionam. A propor renegociações e fins de referendum, etc etc.
            Que provavelmente a Europa quer mesmo que o Referendum se realize. Se o “Não” ganha o Tsipras não vai ter financeamento e não vai ter armas para negociar. Se o “Sim” ganha, ele não vai ter legitimidade para governar.
            A questão que começa a se por na Europa (Central, lololololololololoololololol) é se ele se deve demissionar ou não.

            Nascimento, voce que parece preceber disto, acha que ele se demissiona ou não?

  6. joana yolanda says:

    Mas quem escreve este tipo de coisa, terá o mínimo de bom senso!!!!!!!?

  7. Depois de ter sido sugerido um referendo em Fevereiro rejeitado liminarmente pelo “excelente” governo grego, decidir agora faze-lo e apresentar como uma decisão certa e “corajosa” passa as marcas do raciocínio compreensível.
    E argumentar com: são uns aldrabões todos os que digam o que os liricos não gostam tambem não acrescenta nada ao debate. Avancem com uma proposta em que os gregos decidam por si, independentes e com os proprios recursos. È que decidir o que fazer com o dinheiro dos outros é alem de infantil um sofisma de mentirosos.

  8. Atomez says:

    Coitados dos gregos, de uma maneira ou de outra estão completamente lixados…
    Resta-lhes escolher se é em Euros ou em Dracmas.

    • Preciosa Pimentel says:

      Atomez! Coitados dos Gregos! no meu dicionario existe a palavra “pagar” foste servido quando precisavas agora paga a quem deves é um ditado antigo.Os gregos para não pagarem as contribuições.”Tem outro nome que de momento não me lembro não sei se é o RS ou parecido”. Os gregos por nada deste mundo querem pagar os tais ditos impostos e muitos não terminam as casas, por completo e depois nunca pagam. Isto foi dito por um vizinho meu, pagar impostos não é nada com eles, e trabalharem a semana toda parece que tambem não é para todos.

      • Os gregos são uns malandros. Bons são os alemães, principalmente quando se passeiam pela Europa. Gente trabalhadora, esforçada, eficiente, só judeus da última vez foram uns milhões para o crematório.

        • Luis Morgado says:

          Bons, maus??? Estamos na escolinha primaria?
          Alem disso, esta referencia constante au Holocausto. E essa a unica desculpa para atacares os Alemães??? Se fossem espanhois estarias a falar do que o senhor Cortez fez. Ou os Russos o que eles fizeram durante a guerra fria. Ou os Ingleses todos os roubos que fizeram como colonizadores. Lolol.
          O que estamos aqui a discutir é uma pessima gestão da Grécia. O seu endividamento externo e o não cumprimento dos reereembolsos. E se quizeres em contra partida a boa gestão Alemã.
          O gregos, malandros ou não vivem à custa de emprestimos que não podem ou querem… E isso é uma realidade.

          • Deves estar, na primária. Ainda acreditas em tretas como endividamento externo da Grécia sem perguntar como foi feito, falas da gestão grega como se o governo fosse o mesmo, e a gestão dos caloteiros alemães passou a exemplar (para eles é, para os povos do Sul nem por isso).
            Vai lá pagar a dívida portuguesa, que por sinal é superior à grega.

          • Luis Morgado says:

            Como foi feito???… Tas mesmo na escola primaria.
            Tu compras um apartamento a crédito. Não pagas as tuas prestações. E aquilo que tens a explicar ao banco é porque compraste o apartamento a crédito, e não como vais devolver a guita… O banco bem te tira o apartamento… lolololol
            O Governo fosse o mesmo??? Mas falamos de governo instituição, idiota… Como falamos de pais Instituição. Seja quem seja o “CEO”.
            E tu que falas constante do Holocausto, a Merkel não participou ao Holocausto. Ou seja, neste caso não falas de alemães instituição, ao ponto de vir a meio seculo atras.
            Pagar a divida Portuguesa??? Se compreendi bem, Portugal tem pago, e mais, esta a pagar antecipadamente. Por enquanto estamos a cumprir.

          • Comparar um humano que compra um apartamento a um estado, é de infantil, sendo primário.
            Os estados não morrem, empurram dívidas, ou negoceiam. Portugal acabou de pagar uma do séc XIX 100 anos depois.
            E as dívidas ilegítimas não se pagam, pergunta aos EUA porquê.

          • Luis Morgado says:

            Lolololol. Achar que não se vai pagar sem ter consequecias, seja humano ou estado é que de primaria. Principalmente estados como Portugal e a Grécia. E dai vem a minha comparação.
            Tenho a certeza que essa divida do séc XIX não corresponde a 130% do nosso PIB. Porque se assim fosse tenho a certeza que ja a teriamos pago. Ou ja nos teriam posto a pão e agua. lolololol.
            O EUA da américa. A “crise” mundial deve-se a este pais. E tu queres compara-los conosco ou com a Grécia? Queres tambem compara os PIB, valor da divida, etc etc??? Achas verdadeiramente que os mais pequenos sozinhopodem fazer frente a gigantes? Na escolinha primaria talvez.
            E ja deste conta que a Europa unida tem mais poder que uma Europa em pedaços??? Contra por exemplo Os EUA et a China???

          • Lá está, nem ler sabe. O que escrevi sobre os EUA?
            Quanto à Europa unida sob a tutela alemã, quero lá sabr da força que tem. E quanto aos pequeninos não derrotarem os grandes, podes começar por estudar a guerra do Vietname e todas as independências coloniais. Estudar, sim, faz falta.

          • Luis Morgado says:

            Tenho de regressar à primaria. lolololol
            “E as dívidas ilegítimas não se pagam, pergunta aos EUA porquê.” Vamos ver se a Grécia paga ou não, que seja legitima ou ilegitima… Porque é disso que eu falo.
            Quanto à Europa unida, ainda bem que ha outras pessoas que pensam o contrario. E que por enquanto são a maioria. Porque desculpa, mas eu adoraria que Portugal tivesse um pouco da gestão alemã.
            O Vietnam… João voce deve estudar imenso, mas o problema talvez seja a visão daquilo que estuda. Voce tem tendencia pelas excepções. Um pouco mais e diria que é comunista. Cheio de ideais, mas que não passam disso.
            O Vietnam do Norte ganhou ao poderoso EUA. Yes!!!!! So que tinha um outro poderoso por tras. Como na guerra do Afganistão que foi ao contrario.
            Relativaments às colonias, a grande maioria seguiu um de dois caminhos. Ou como o Vietnam tinham alguem poderoso por tras, ou o colonizador decidiu deixa-las como foi o caso de Portugal (descolonização merdosa, mas enfim).
            Claro que todas as regras tem excepções. E a meu ver (opinião discutivel) um desses casos pode ter sido mesmo os EUA, uma demografia em forte crescimento e cuja properidade da colonia era superior à do colonizador. E claro que a França tambem estava po tras deles, por isso é discutivel.

          • O conceito de dívida ilegítima foi criado por um governo dos EUA para não pagar a dívida de Cuba, quando a ocupou.
            Ver a autodeterminação dos povos como mero reflexo da guerra fria, quando os EUA foram um dos seus grandes impulsionadores, é de uma ignorância tão grande, qualquer aluno do 9o ano o sabe, que até dói. Só falta dizer que Portugal é independente porque teve o auxílio da URSS.

          • Luis Morgado says:

            Continuo com a minha, vamos ver se a Grécia paga ou não, que seja legitima ou ilegitima…
            Se a URSS não estivesse por tras, talvez a autodeterminação não chegasse. Mas em todo o caso sera sempre uma opinião contra outra.
            Tas a gozar, a URSS não esteve por tras da independencia de Portugal. Tenho mesmo de voltar à primaria.

  9. Isto é conversa de café. A política a sério não é o que vemos e ouvimos nos média, é quase incansável pelo comum dos mortais. Não há o Bom e o Mal, os interesses são variadíssimos e as alianças são feitas no silêncio de alguns deuses…

Trackbacks

  1. […] Ora o plano para a Grécia passava pelo que pensavam óbvio: os gregos rapidamente deixariam de apoi… […]

  2. […] concordo em absoluto com a convocação de referendo na Grécia. Ainda que não subscreva o J.J.C. na verdade o jogo já cansa, caro Jorge, ninguém joga sozinho e haveria que colocar um ponto […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.