Miguel Relvas, Paula Teixeira da Cruz e o PS dos Negócios

Não, não estamos em Palermo, Nápoles ou numa ditadura do terceiro mundo. Estamos nesse portugalito onde a Ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, não perde a apresentação do livro de Miguel Relvas, o mesmo Relvas que está no centro da investigação do Gabinete da Luta Anti-fraude da União Europeia (OLAF) sobre o financiamento da empresa Tecnoforma através de fundos comunitários em 2004, quando Passos Coelho era gestor da Tecnoforma e o próprio Miguel Relvas, então secretário de Estado da Administração Local, adjudicou 1,2 milhões de euros à mesma Tecnoforma para a formação de funcionários de aeródromos. O Miguelito de costas quentes, estava radiante na apresentação. Parecia um puto perdoado pela mãe depois de partir a cristaleira.

Se tivéssemos um presidente a sério isto seria motivo para demitir a Ministra, mas não sejamos demasiado exigentes.

Aliás a lista de presenças durante a apresentação do livro de Relvas foi muito esclarecedora: Maria Luís Albuquerque, Durão Barroso, Passos Coelho, Luís Marques Guedes, vários secretários de Estado, Fernando Seara (que também não perdeu a apresentação do livro de Domingos Névoa), Marco António Costa, o empresário José Maria Ricciardi e o PS dos Negócios (tal como o definiu Seguro) representado por Jorge Coelho. Se Nuno Crato também comparecesse, Relvas conseguiria o jackpot da falta de decoro.

A grande questão é: o que sabe Relvas para ter ascendente sobre toda esta constelação? Quando a coisa tem esta dimensão o mais provável são questões de financiamento do partido e/ou de campanhas eleitorais. Nah, estou a reinar, votem outra vez nos mesmos, força!

Comments

  1. Ernesto Martins Vaz Ribeiro says:

    Embora haja uma investigação, entendo que a presença da ministra é algo a, para já, relativizar.
    É evidente que à “mulher de César, não basta sê-lo”, mas esta gente que nos (des)governa (tal como os anteriores e os futuros) já demonstraram que lata, não lhes falta e coluna vertebral, é algo que nunca tiveram.
    Aparte isso, diria que a gravidade não é a presença da ministra, embora, convenhamos, devesse ser evitada. A gravidade de toda esta sopa de dois ingredientes apenas (política e corrupção), está no facto das investigações não conduzirem a lado algum, dado o polvo em que tudo isto se transformou.
    Mais grave que ver estes amigos todos juntar-se pela edição de um livro, é ter a certeza da inoperância das investigações e concomitantemente, do valor da Justiça no nosso País.
    Digam-me quantos dos casos de investigação iniciados contra políticos, politiqueiros, bancários e traficantes de influências tiveram um veredicto.
    Este, para mim, é o busílis de toda esta riste situação cuja face é a proliferação desta espécie de gente que invadiu a política portuguesa e se serve da Democracia de um modo despudorado.

  2. Carlos Quaresma says:

    Muito bem Ernesto Ribeiro. Com esta “corte” que criou o monstruoso POLVO, jamais será feita Justiça em relação a toda esta BANDITAGEM.


  3. Se estivessemos num país em que presidente demite um qualquer politico ou membro da administração por ir ao lançamento seja do que for eu viveria com muito medo. Ainda bem que vivemos na UE onde cada um é livre e assume a responsabilidade do que diz e faz.
    Politicamente penso ser eleitoralmente negativo tanta exposição com o Relvas dos canudos amanhados(será da escola do socrates?
    O que deixa um pouco mal os que gozaram com o P.Coelho quando disse a frase ” que se lixe as eleiçoes”
    .Afinal o calculismo eleitoral nem chega aos calcanhare do nosso querido dão sebastião Costa e Cª.


  4. PROCESSO N.º 1416/15.3T9CBR e PROCESSO N.º 1306/15.0T9CBR :
    Um país nunca poderá ser uma Democracia sem ser também um “Estado de Direito”. Ora, Portugal não é um “Estado de Direito”, logo também não é uma Democracia.

    – Em Portugal existem, de facto, pessoas e empresas ACIMA da Lei.

    – A violação da Lei faz-se às claras e pela mão dos próprios magistrados, causando milhares de tratamentos DESIGUAIS, em que se favorece SEMPRE os mesmos: quem mais Poder tem.

    No link está um exemplo, claro e indesmentível… que dura há 20 anos: http://lenocinio169.blogspot.pt

Trackbacks


  1. […] do CDS, da Presidência da República, do futebol e também, assinala-se no Aventar, o empresário José Maria Ricciardi e o PS dos Negócios (tal como o definiu Seguro) representado po….  todos fizeram questão de vir cumprimentar o “amigo” já que estes são, como fez […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.