Nemo me impune lacessit

Nemo me impune lacessit
Sou um homem de paz. Por isso, sinto-me inquieto. É que ao ouvir o último discurso de Passos Coelho deu-me, subitamente, uma irresistível vontade de o convidar para provar um copo do barril de Amontillado que guardo nas profundezas de uma cave. E declarar-lhe – vocês sabem…- “Nemo me impune lacessit”!

Comments

  1. Edgar says:

    Espero que a frase se confirme nas próximas eleições, pelo que tem feito aos portugueses nestes anos de governação… e não só!

  2. Nightwish says:

    O Guy Fawkes e o JW Booth é que percebiam o que fazer com esta gente.

  3. martinhopm says:

    Ninguém me prejudica impunemente?


    • Claro que sim, martinhopm. Reconhece, certamente, que este post parte da referência ao “Barril de Amontillado”, de E.A. Poe, um conto que me é especialmente caro desde que, em miúdo, o li por engano (não é lá muito próprio para crianças…)

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.