Quem maldiz não se coliga

produtos-correntesEis o novo provérbio nascido das entranhas do alto e baixo comentário político, quando se quer explicar que não é aceitável que se aliem ou que se coliguem partidos que já se criticaram no passado remoto ou recente.

Ora, tendo em conta que todos os partidos já disseram mal uns dos outros, há razões suficientes para que as coligações e as alianças passem mesmo a ser proibidas, até em termos retroactivos.

Para que, de futuro, possa haver coligações e alianças, será necessário que os partidos se sujeitem a um processo de desintoxicação (conhecido por desmaledicenciamento) e obrigados a frequentar grupos de apoio, ficando impedidos de se criticarem durante, pelo menos, uma legislatura.

O coordenador nacional desta actividade será o Presidente da República, quando voltarmos a ter um.  E lá vou ter de ligar ao meu mentor:  já não dizia mal do Cavaco há dois dias. Nunca mais é Janeiro, a ver se me livro deste problema.

Comments

  1. joão lopes says:

    pois não,por isso é que o passos espetou uma faca nas costas da Ferreira Leita,enquanto o Portas espeteva facadinhas no Silva e vice-versa.e tão “amigo” que o Portas é da maria luis(clone do vitor enorme aumento de impostos gaspar) e vice versa tambem é verdade.e por falar na “noite dos facas longas”,o laranjal é prodigo em facadas e …muita intriga(ola MAC)