Gaia: um dia o feitiço vira-se contra o feiticeiro!

foto@jn

foto@jn

Entre 1997 e 2013 os executivos liderados por Luís Filipe Menezes fizeram uma obra notável em Gaia. Trouxeram o Município de Gaia do ” terceiro mundo “, em diversas áreas, para um patamar de excelência à custa de uma visão estratégica notável de Menezes, mas infelizmente também com custos elevadíssimos para as finanças da autarquia e para a dívida do Município que comprometem a gestão autárquica dos próximos anos.

Por isso li com atenção e interesse o texto do João Paulo sobre as evidentes dificuldades financeiras da autarquia de Gaia, mas entendo que o mesmo passa muito ao lado daquele que foi o responsável pelo pelouro financeiro da Câmara Municipal de Gaia, entre 2005 e 2011.

Essa pessoa tem um rosto e tem um nome. Chama-se Marco António Costa. Temos que ter a coragem, como diz o nosso sábio povo, de chamar ” os bois pelos nomes ” .

Aliás, fica-se com a ideia que Marco António tem tanto orgulho no trabalho que efectuou em Gaia que o omitiu no seu currículo de deputado na Assembleia da República! Ou será que o fez propositadamente porque considera ” cadastro ” a sua passagem ao longo de 7 anos pela Câmara de Gaia?

Marco António foi um dos principais responsáveis pela colonização da câmara e das empresas municipais de Gaia, por ” amigos ” pagos de forma ” principesca “, pelos contratos de confirming, pela criação dos ruinosos fundos imobiliários, pela ” maquilhagem ” das contas da autarquia referidas ainda recentemente pelo actual Presidente, Eduardo Vitor Rodrigues, e até mesmo pela celebração de contratos Swaps, que em muito se assemelham a jogos de casino mas, neste caso, praticados com dinheiros públicos.

As contas da autarquia de Gaia, entre 2008 e 2012, foram auditadas, por uma entidade acima de qualquer suspeita, o Tribunal de Contas.

E o Tribunal de Contas foi claro. Censurou muitos actos de gestão, tendo Marco António Costa sido o mais censurado de todos os autarcas, porém nao é entendivel que a sua efectiva responsabilidade tem quase passado incólume no meio dos pingos da chuva.

Eu sei, tu sabes, nós sabemos que à data estes actos de gestão não configuravam crime, mas ninguém tem dúvidas que foram actos de gestão que prejudicaram a autarquia em muitos milhões de euros que hoje estão e vão continuar a ser pagos por todos os contribuintes, que obrigaram ao recurso de mais um empréstimo financeiro, que vai ser pago, ao longo de durante catorze anos, condicionando e compremetendo de forma clara a gestão da autarquia no médio / longo prazo.

Mais, facilmente infere-se do relatório final da auditoria que Marco António Costa foi o ” autor material ” do desgoverno financeiro da autarquia, sendo Luis Filipe Menezes co-responsabilizado atendendo às funções que ocupava na autarquia. Esta gestão danosa em muito prejudicou a Câmara de Gaia e os Gaienses.

Penso que agora responsabilizar Firmino Pereira pela dívida é tapar o ” sol com a peneira “. É confundir a ” beira da estrada ” com a ” Estrada da Beira “. No fundo é estar a arranjar um bode expiatório. É apontar o dedo ao ” elo mais fraco “.

Então se Firmino Pereira é um dos principais responsáveis pela dívida, também o são todos os vereadores da coligação, ao longo dos 16 anos, incluído o agora recém eleito presidente do PSD de Gaia, Cancela Moura, que também foi vereador da câmara e administrador de empresas municipais em Gaia, nomeadamente a conhecida Gaianima.

Eu sou militante do PSD há cerca de 25 anos mas contra o meu partido falarei sempre quando estiver em causa má gestão dos dinheiros públicos, tráfico de influências, mentira ou corrupção, independentemente de os envolvidos serem meus conhecidos e/ou amigos. Gostem ou não para mim estará sempre em primeiro lugar o superior interesse público.

Os cidadãos estão fartos de ” meias palavras “. Hoje os políticos têm que falar verdade e dizê-la com as palavras todas. Apenas assim conseguirão o respeito dos seus concidadãos.

Os responsáveis têm nomes e rostos. Num primeiro plano foi claramente Marco António Costa e num plano posterior Luís Filipe Menezes.

E era isto que eu gostava de ouvir afirmar, com clareza e sem sofismas, pela parte do Partido Socialista de Gaia.

Estou convicto que muitos gaienses que, como eu, se sentiram traídos serôdiamente, nos últimos dois mandatos, pela gestão pouco transparente da coligação PSD / CDS, ao conhecer os verdadeiros números da dívida da Camara de Gaia gostariam de ouvir afirmar com clareza, pela parte do PS de Gaia, que os principais responsáveis pela situação financeira a que chegou a autarquia foi sobretudo Marco António Costa, sendo que Luís Filipe Menezes aparece naturalmente, por arrasto, atendendo a que era o Presidente da Câmara.

É mais que tempo para assumir publicamente quem foram os responsáveis pela hetacombe financeira na autarquia. É uma questão de honestidade intelectual da parte do actual executivo socialista para com os cidadãos de Gaia.

Já passaram mais de dois anos. Entendo que é tempo mais que suficiente para que as eventuais dúvidas estejam devidamente esclarecidas sobre a questão da dívida.

E digo isto antes que o ” feitiço se possa virar contra o feiticeiro “. A politica, tal como a vida, também dá muitas voltas!

Comments


  1. Meu caro, não pretendo, no meu texto, nem culpar ninguém, nem tão pouco desculpabilizar. Chamei apenas à atenção para uma contradição – característica muito frequente nos militantes do PSD, como podemos ir vendo na campanha presidencial – entre o que Firmino Pereira vereador na oposição diz de Firmino Pereira vereador no poder. Porque, ao falar de demagogia e de más práticas de gestão só poderá estar a pensar nos executivos de que fez parte. Por outro lado, percebendo a argumentação, parece-me que o fundamental, em política é encontrar soluções melhores para a vida das pessoas. É isso que move quem lidera Gaia e não o correr atrás de alguém, sendo que, como tu, defendo que deverá haver punição judicial para quem tiver cometido crimes. Não sou jurista para assegurar tal facto, mas que as gestões por ti referidas parecem ter sido criminosas, ai disso, nenhuma dúvida tenho.

  2. Paulo Vieira da Silva says:

    Caro João, cmo escrevi li com atenção o teu texto. Como imaginas não é muito agradável para mim escrever um texto criticando alguns meus companheiros de partido sendo alguns até meus amigos. Mas perante o teu texto senti a obrigação moral e civica de deixar clara a minha posição relativamente a esta situação. Apenas e só isto. Um abraço.


    • Na boa 🙂 Percebo o teu texto. E a tua posição.


    • Já que estamos nisso poderia tambem incluir o Eng Cardoso. ex presidente da camara do Porto e já agora tambem dizer quanto ia ele buscar à camara de Gaia como “Conselheiro ps ” da mesma, Bem Haja

  3. Joam Roiz says:

    Paulo Vieira da Silva ficou muito mal na fotografia quando decidiu cortar a possibilidade de os seus artigos poderem ser comentados. Saúda-se agora a mudança e espera-se que seja para ficar.

  4. tancredo says:

    “O que é que a vida tem que ter para ser boa?”
    Esta é uma questão muito antiga mas que todos deviam colocar.
    A ela, há mais de dois mil anos, Sócrates respondeu:
    “Conhece-te a ti mesmo!”. Para quê? Para avaliar das tuas melhores faculdades, por forma a tirar delas o melhor proveito, em beneficio próprio e da comunidade.
    .
    Será que no caso em apreço os sujeitos não leram o Sócrates, ou não atenderam ao que ele disse?

  5. Zé da Póvoa says:

    Que forma mais rasteira de tentar branquear o miserável legado deixado por Meneses!!!


    • Viva, neste caso ninguém quer branquear nada, antes pelo contrário. Quer apenas não permitir que alguém, com responsabilidades no presente, possa passar pelos pingos da chuva. Obviamente, a responsabilidade do ex-Presidente ninguém a tira. Como ninguém ignora o que Marco António também fez.

  6. Maria de Belém says:

    Por que acha que o atual presidente da câmara protege o mac? Acha que é por acaso?