Mentir? 

Mentira foi a demissão irrevogável de Portas. Um golpe palaciano que afundou ainda mais a débil economia portuguesa.

 Tal como mentira foi a apresentação de um suposto guião da reforma do Estado, escrito em corpo 16 a dois espaços, para encher chouriços, e que nunca teve por objectivo ser implementado. Serviu, isso sim, para Portas acabar com o bullying de Passos Coelho, o qual perguntava pela reforma do Estado sempre que o Portas se esticava. 

https://aventar.eu/wp-content/uploads/2015/05/portas-gozo.jpg

Comments

  1. Paulo Só says:

    Essa história em que meterem o Centeno é a coisa mais ridícula que se viu em democracia, mas há gente que vai nisso, uns por ingenuidade, outros por interesse na cabala. Mas quando o dono do Pão de Açúcar que sonega os impostos ao país compra o Aquário com o dinheiro que subtrai ao fisco, e organiza convescotes na sua Fundação, na presença do Presidente da República, todos vão lá buscar um bocadinho. Isso não é mentira, nem crime. Nem hipocrisia. Os estragos serão pagos por todos nós, uma vez mais. Eleições já.

Deixar uma resposta