Mentir? 


Mentira foi a demissão irrevogável de Portas. Um golpe palaciano que afundou ainda mais a débil economia portuguesa.

 Tal como mentira foi a apresentação de um suposto guião da reforma do Estado, escrito em corpo 16 a dois espaços, para encher chouriços, e que nunca teve por objectivo ser implementado. Serviu, isso sim, para Portas acabar com o bullying de Passos Coelho, o qual perguntava pela reforma do Estado sempre que o Portas se esticava. 

Comments

  1. Paulo Só says:

    Essa história em que meterem o Centeno é a coisa mais ridícula que se viu em democracia, mas há gente que vai nisso, uns por ingenuidade, outros por interesse na cabala. Mas quando o dono do Pão de Açúcar que sonega os impostos ao país compra o Aquário com o dinheiro que subtrai ao fisco, e organiza convescotes na sua Fundação, na presença do Presidente da República, todos vão lá buscar um bocadinho. Isso não é mentira, nem crime. Nem hipocrisia. Os estragos serão pagos por todos nós, uma vez mais. Eleições já.

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s