Sr. Anacleto da Cruz, Pensamentos XLVII e XLVIII

XLVII

Quem tem mente,

mente.


XLVIII

É por te sentires estúpido,

que não o és completamente.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XLV e XLVI

XLV

Põe tudo em causa.

É melhor do que pores tudo em casa.


XLVI

Podes quebrar a rotina.

Mas dificilmente a voltarás a colar.

Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XLIII e XLIV

XLIII

Gostar de não gostar, é gostar.

Não gostar de não gostar, é chato.


XLIV

É mais fácil encontrares um sapo, beijando um príncipe,

que um príncipe, beijando um sapo.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XLI e XLII

XLI

Cria raízes, mas não te fixes.

Alimentas-te melhor se fores móvel.


XLII

Se fores a constelação de peixes,

terás de nadar num mar de estrelas.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XXXIX e XL

XXXIX

Quando estiveres no mar, se vires uma baleia com cornos,

pensa, primeiro, que é uma vaca.


XL

Quando uma galinha te mostrar os dentes,

pede-lhe que mie.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XXXVII e XXXVIII

XXXVII

Tábuas da mesma árvore,

umas fazem um barco, outras um caixão.


XXXVIII

Pintar uma víbora de cor-de-rosa

não muda a cor do seu veneno.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XXXV e XXXVI

XXXV

Encontra uma árvore habituada a viajar.

Encosta-te a ela e deixa que te conte histórias.


XXXVI

Se um peixe se passear de guarda-chuva

isso não significa que detesta molhar-se.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XXXIII e XXXIV

XXXIII

Escreve o teu nome numa bala e enterra-a bem fundo.

Não vá ela escrever o seu nome em ti.


XXXIV

Convence o caracol da sua incrível velocidade.

Se ele acreditar, ganhas um amigo.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XXXI e XXXII

XXXI

Abre uma garrafa de vinho e deixa-o respirar. Se, passado um pouco,

não o ouvires respirar, bebe-o, antes que morra.


XXXII

Levanta bem alto a tua voz.

Mas não tanto que a possas deixar cair.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XXIX e XXX

XXIX

O pior é morreres com skis nos pés.

Não há inverno no inferno.


XXX

Ergue os olhos para o céu.

Se o sol bater neles, baixa-os.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.


Pensamentos XXVII e XXVIII

XXVII

Conversa cordialmente com a pessoa que vês ao espelho pela manhã.

É a única com quem não precisas de levantar a voz.


XXVIII

Não enumeres as imperfeições do mundo.

Não há número tão inúmero.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XXV e XXVI

XXV

Se saíres de ti, perdes-te.

Mas se entrares em ti, também.


XXVI

Marca cada grão de areia que encontrares.

Ao reencontrá-lo, reconhecê-lo-ás.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XXIII e XXIV

XXIII

Crescei e multiplicai-vos.

Continuai a crescer e dividi-vos.


XXIV

Cansado? Isso passa.

Basta que te canses de estar cansado.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XXI e XXII

XXI

Quando ouvires o rugido do mar,

não esperes que ele te mostre os dentes.


XXII

Toma banhos de sol. Se continuares a sentir-te sujo,

vai para casa e toma um banho normal.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XIX e XX

XIX

Agarra-te a uma ideia.

Seguras-te melhor se essa ideia não for lisa.


XX

Um mais um, dois, dois mais dois, quatro, quatro mais quatro,

oito. Continua a contar, eu vou viver um bocadinho

e já volto.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XVII e XVIII

XVII

Quando vires uma zebra com pescoço de girafa, chama-lhe girafa.

Chamar-lhe zebra poderia diminuí-la.


XVIII

Torna-te inventor.

Inventaria o que não imaginaste.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XV e XVI

XV

Em vez de subires a subida, desceres a descida, avançares para a frente, recuares para trás, não te mexas.

Dar erros é cansativo.


XVI

Se és inimigo dos teus inimigos, mantém-nos junto a ti.

Alguém como tu é a pior coisa que podes dar-lhes.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XIII e XIV

XIII

A linha recta, caro amigo, não existe.

Deus escreve circular por linhas tortas.


XIV

Não é, exactamente, a falta de fim que define o infinito.

É a falta de princípio.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos XI e XII

XI

Há vida para além da morte.

Pelo menos há dú-vida.


XII

Há uma história cujo princípio e meio tu conheces.

O seu fim ser-te-á revelado no dia da tua morte.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos IX e X

IX

Quem canta seus males espanta.

Mas se cantares mal, espantas também os teus bens.


X

Utiliza bem o dinheiro que tens.

Compra tempo.


Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

Pensamentos VII e VIII

VII

O governante pacífico é o que prefere a posse conferida

à tomada de posse.


VIII

O sentido da vida? É sempre em frente,

virar à esquerda, virar à direita, contornar a rotunda…

.

Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz

Pensamentos V e VI

V

Faltam dois dias para depois de amanhã.

Se leres isto dentro de dois dias, faltarão ainda dois dias.


VI

Pensa duas vezes antes de pensar.

Pensar, sem pensar antes, pode revelar-se perigoso.

.

Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz

Pensamentos III e IV

III

Teme a lua cheia.

Se cair, provoca mais estragos do que as outras.


IV

Imagina-te um pássaro e voa.

Mas tem cuidado com os aviões.

.

Conheça o primeiro Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz

O Segundo Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz

Aqui há uns anos publiquei no defunto O Afinador de Sinos o Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz.

A partir de hoje começo a publicar, aqui no Aventar, o Segundo Caderno de Pensamentos do Sr. Anacleto da Cruz. Às vezes óbvios, ou mesmo demasiado óbvios, volta e meia surpreendentes, de quando em quando disparatados ou mergulhados em nonsense, são como o seu criador. Se gostarem, fico com os louros, muito obrigado. Caso contrário, a culpa é do Sr. Anacleto, pois claro.

I

Entre verdades muito grandes, escolhe sempre

a mentira mais pequena.


II

Contenta-te com pouco. Ou com nada.

Contenta-te, contudo.