Um prodígio com 10 anos e 200 golos

Captura de ecrã 2016-01-29, às 15.07.59

Chama-se Afonso Moreira e aos 10 anos de idade já leva 200 golos marcados, como nos conta o Diário de Viseu. Isto tudo acompanhado de excelentes notas na escola. Uma bela história.

 

Delmira Figueiredo

coragemEu posso responder por ele, Delmira?

Ele tem consciência. Não pode haver dúvidas quanto a isso. É intencional o ataque desta gente à Escola Pública. Tal como é intencional o ataque ao Sistema Nacional de Saúde e à Segurança Social.

Faz parte da estratégia desta gente estragar, até ao limite do impossível, tudo o que há de bom na escola. Eles não suportam a Escola Pública de sucesso.

São de Direita e isso, no nosso país, significa, estar do lado errado da história!

Sérgio Niza explica:

“Este ministro aparenta estar absolutamente convencido de que está a fazer o melhor, mas ele não é um homem da educação. Até presumo que tenha sido escolhido por ser um bom comunicador político – ele tinha uma receita conservadora de reforço do ensino tradicional, e conseguiu passá-la nos media – e é economista com especialização em estatística – o que é importante para fazer contas e tornar a educação mais barata. Infelizmente, o senhor ministro não tem uma cultura acrescentada sobre a escola nem um conhecimento, para além do senso comum, sobre educação” (revista A página)

Os porcos de Viseu e suas esposas

rolo%20madeiraAproveitando a plataforma wordpress, alguém criou um blogue que, até ao momento, tem um único post, cujo título é, só por si, um texto

PARA QUE AS NOSSAS CONTERRÂNEAS NÃO CONTINUEM A SER ENGANDAS POR HOMENS PORCOS QUE AS ENGANAM E TIRAM DA MESA PARA ANDAREM NAS PROSTITUTAS DA QUINTA DO GRILO E DO GALO ( VISEU ). SAIBA AQUI QUEM ELES SÂO:

Em primeiro lugar, vê-se que é alguém que está preocupado com as conterrâneas, especialmente se enganadas, sobretudo por homens, para cúmulo porcos e que enganam. Parece-me redutor e penso que seria importante levar este serviço público mais além, porque conterrâneas enganadas por homens porcos não hão-de faltar no país inteiro. Eu próprio, sem ser conterrânea de ninguém, agradecia que me indicassem a matrícula do carro de Passos Coelho.

Como se isso não bastasse, os tais homens porcos que enganam as conterrâneas do/a autor/a do blogue tiram da mesa para andarem nas prostitutas, o que poderá revelar estranhas práticas sexuais e hábitos de higiene muito pouco recomendáveis. Já imagino a senhora Dona Felismina a perguntar ao marido, abusando das sibilantes: “Ó Zé, fozte tu que levazte da meza o coelho bêbado?” O Zé, para disfarçar, poderá responder: “O quê? O primeiro-ministro está outra vez na televisão?”

Um dos visados terá sido internado recentemente, com vários traumatismos, por ter sido brutalmente agredido pela própria esposa, uma vez que, depois de ter sido acusado de frequentar prostitutas, terá respondido, irritado: “Não, quando quero ir às putazz, fico em casa.”

O regresso de Jorge Coelho

Depois de 6 anos a mamar nas tetas do Estado, açambarcador de obras públicas inúteis, Jorge Coelho voltou à política com um forte ataque ao actual Governo. Não lhe podemos negar coerência. A construção das auto-estradas, hoje completamente vazias, foram o seu ganha-pão durante anos. E continuariam a sê-lo não fosse Sócrates ter ido passear para Paris.
Jorge Coelho não escondeu que o regresso à política lhe estava saber bem. Voltou aos comícios em Viseu e voltará ao comentário televisivo na quinta-feira. Cheira-lhe a poder?
Entretanto, Entre-os-Rios nunca aconteceu. E o tabuleiro de xadrez, já apareceu?

"Como Chegar ao Hotel Onix"

“Do aeroporto do Porto apanhe um taxi para a Estação dos comboios, Depois apanhe um comboio para mangualde, de Mangualde apanhe um táxi para o Hotel.” (uns meros 24 km)

Do aeroporto do Porto apanhe um taxi para a estação dos comboios? – qual delas? Ao contrário de Viseu, o Porto tem muitas! talvez lá se possa chegar de metro, não?… a Campanhã, a São Bento, a General Torres, a Contumil, a Rio Tinto… de metro!…

Eu nunca pensei viver tanto quanto se me permitisse ver alguém propôr o comboio como forma de chegar a Viseu… indo eu, indo eu a caminho de Viseu

Ah, Viseu!…

(Bragança) Viseu teve “o transporte do futuro” entre 1914 e 1990; Fernando Ruas, eternizado autarca do cavaquistão, mandou, com as máquinas da própria autarquia, derrubar o ingente edifício da estação, soberbamente localizada no sopé do centro histórico da cidade. A Viseu chegaria o IP5 (a salvação) para, recentemente, o ver substituido pela A25 (ainda grátis) e complementado pela A24 (grátis, desde a fronteira de Chaves).

Curioso será notar que, até 1990, a Viseu se podia chegar por duas vias férreas – Linha do Dão (desde Santa Comba Dão, Linha da Beira Alta) e Linha do Vouga (desde Espinho/Aveiro). Com o dinheiro da Europa, a aposta foi desmantelar, não modernizar. E Viseu tornou-se assim naquilo que é hoje: a maior cidade da Europa sem acesso ferroviário. O mesmo que o demoliu anda há anos a pedir comboios

Colo de Pito

"Primeiro Intercidades Sem Comboio"

A antiga estação de Viseu. Foto retirada do grupo do Facebook de apoio (clique).

Deitou-me ao chão. Fui agora mesmo derrubado – a prosa poética de Fernando Ruas, edil de Viseu desde tempos imemoriais, prepara-se para bater mais um recorde (e, desta vez, não é o de dirigir a maior cidade europeia sem caminho-de-ferro).

Desta feita, Ruas vai mesmo é fazer “fazer o primeiro intercidades sem comboio”.  Tal vindo do homem que, na qualidade de autarca, deu uma mãozinha na demolição da antiga estação de Viseu, a dois passos do centro histórico, é de mestre. O mesmo Ruas exige mesmo o comboio na cidade e o povo (tendecialmente amnésico ou apenas estúpido) acredita e não pede contas. Todos se esqueceram que ao Cavaquistão se chegava por duas vias férreas (Dão e Vouga). Pornografia é….fazer um Intercidades sem comboio…

Pastel de Vouzela

O pastel de Vouzela conjuga dois ingredientes que apenas estão ao alcance dos melhores entre os pasteleiros: o creme de ovo, essa bomba proteínica capaz de levantar um doente da cama (ou mandá-lo de vez para o lado de lá) e a finíssima massa folhada, leve como uma pluma, a desfazer-se contra o céu-da-boca.

Vouzela, situada na região de Lafões, no distrito de Viseu, é famosa pelos seus pastéis, cuja versão original apenas lá se pode encontrar, acreditem, e muito enganados andam os que se contentam com a caixinha da estação de serviço.

Retrato da terra e das gentes que a fazem, reflexão sobre o passado e o futuro da região, assente num equilíbrio delicado entre o olhar enternecido sobre um passado histórico cuja memória se deve resgatar, e o espírito crítico que siga com lucidez o rumo que a vila leva, eis o Pastel de Vouzela, o blogue que esta semana provamos, em tarde de amena primavera, sentados na margem do Zela.

George Steiner em Viseu

 

Ora aqui está um título improvável. Mas assim será, por ocasião das 5as. Conferências Internacionais de Filosofia e Epistemologia, organizadas pelo Instituto Piaget de Viseu, nos dias 23, 24 e 25 de Novembro.

A conferência de Steiner – “Can We Still Speak of a Human Condition? Some Brief Remarks” –  será no dia 23, na Aula Magna.

O programa e a lista de conferencistas estão disponíveis aqui