O Cristiano Ronaldo é o maior, mas…

deixemo-nos de nacional-parolismos: uma coisa é a marcação cerrada feita pelo entulho cor-de-rosa, que é capaz de dedicar páginas e páginas à cor das unhas da irmã, aos hipotéticos casos amorosos do craque ou à tensão virtual entre a dona Dolores e a Georgina Rodriguez. O entulho cor-de-rosa vive disto e os opinion makers da coscuvilhice têm contas para pagar.

Outra coisa é dar destaque de telejornal a não-acontecimentos. O Cristiano Ronaldo é o maior, já toda a gente sabe disso, mas marcar um golo num jogo-treino, contra a equipa sub-23, é uma não-notícia. E é parvo dar-lhe tanto destaque. Eu sei que estamos na silly season, e que a relação da imprensa com o Ronaldo é ela também bastante silly, mas era importante que essa malta percebesse que existe vida para além do Ronaldo. Que estão a acontecer coisas importantes no planeta Terra, que têm e terão impacto real nas nossas vidas, e que passam despercebidas porque a imprensa nacional prefere noticiar um golo fácil num jogo-treino que conta para coisa nenhuma.

Leva essa tralha medíocre contigo, Santana!

Fotografia: Luís Barra@Expresso

À terceira é de vez: Pedro Santana Lopes abandonou mesmo o seu partido de sempre, o PPD-PSD, e vai criar um novo partido, cujo nome, expectavelmente, será PPD-qualquer coisa. Isto acontece seis meses após ter declarado o seu amor eterno ao mesmo PPD-PSD, sob o mote “Unir o partido, Ganhar o país“. Estou certo que os seus mais acérrimos apoiantes estão muito orgulhosos da sua decisão, até porque os spin doctors do esgoto passista já decidiram que a decisão é boa. [Read more…]

A inutilidade de votar nos mesmos, por Paulo Portas

Encontrei esta pérola no Manifesto74 e confesso que já não me sentia tão arrebatado com um desses raros mas deliciosos momentos de clarividência do irrevogável desde os tempos em que Portas dissertava sobre a mediocridade que imperava nos quadros dos “partidos burgueses”, atulhados de gente inútil que não tinha nada que fazer da vida. Desta feita temos Paulo Portas a explicar porque devemos boicotar a coligação PSD/CDS-PP nas Legislativas de Outubro: porque votar nos mesmos é continuar a ter mais do mesmo. Ainda por cima nem aos debates televisivos o deixam ir. Que maçada de eleições que por aí vêm! Valha-nos a silly season e os cartazes do PS para desanuviar.

Cão Suicida-se em Esposende!

o-cao-que-mordeu-o-homemUm Cão suicidou-se hoje por volta das 17,30 horas, na Rua Narciso Ferreira na cidade de Esposende.
Segundo apurámos no local o animal atirou-se da janela de um prédio (ao lado do Registo Civil) acabando por falecer pouco tempo depois.
No local compareceu a Proteção Civil da Câmara Municipal, Veterinário e a GNR de Esposende” in Notícias de Esposende.

Que piscina é que o PPC frequenta?

Ia já lá verter águas

Paula Bobone no Aventar

2013-03-21142713_961f1e4c-aef8-4f3d-8935-154a61e36164$$2066B98B-1131-4DFF-8A54-59CDCD6190D9$$AC15C368-272F-472A-B1C0-5E9A35021A44$$img_detalhe_noticia$$pt$$1Pelo Aventar, tem passado muito gente ilustre, alguma também ilustrada. Ontem, por aqui também passou Paula Bobone, comentando um texto meu com o título “Do direito à futilidade”, o que só pode ser uma maldade do acaso.

Ora, quando o jet-set suspende, por momentos, a degustação do néctar e da ambrósia, favorecendo um pobre mortal com palavras que usam, todas elas, perfumes caros, isso merece ser assinalado, porque pode corresponder ao momento que lançará o Aventar na ansiada senda das passadeiras vermelhas da Alta Sociedade ou nas páginas róseas da imprensa cardiovascular.

No referido texto, atribuía eu à personagem desempenhada por Paula Bobone a emissão habitual de dislates, ao que a senhora comentou:

por lapso vi isto. Não percebi mas devem ser “dislates” de V. Exa. [Read more…]

Pontal: a manutenção da silly season

Na política, não existe silly season, porque a silliness está no leito e nas margens desse rio de cabotinos que nos arrasta, enquanto finge que nos governa apenas para inventar novos problemas, a acrescentar àqueles que a vida, de qualquer modo, nos traria. O Pontal, a festa do PSD, é um dos momentos altos da estação tolinha, previsível como o refrão qualquer música pimba. [Read more…]

A Silly Season está quase a acabar

A Silly Season, conceito anglo-saxónico que se refere ao período de férias dos políticos, tribunais, jornalistas, etc., está a começar nesses países. Caracteriza-se pela falta de notícias importantes e sérias, sendo os media tomados de assalto pela “falta de assunto” e por uma maior incidência de temas frívolos e mais ou menos estúpidos.

Em Portugal, verifica-se o contrário. Indo os políticos de férias, fechados os tribunais, laureando a pevide os opinion-makers, as notícias perdem uma certa mesquinhez que lhes está na matriz do ADN e passam a ser menos estúpidas, quiçá mais profundas e inteligentes. É aproveitar e devorar, porque só dura o momento de umas férias. A Silly Season, felizmente para nós, está quase a acabar.