A liberdade de expressão e a moderação de comentários no Aventar

Os nossos leitores habituaram-se a ver no Aventar, desde Março, um espaço de liberdade onde todos podiam dizer o que lhes ia na alma.

Nada mudou no que a isso diz respeito. No entanto, uma caixa de comentários tem de ter um aspecto limpo e asseado, agradável à vista e que convide ao regresso. Ora, nos últimos tempos, utilizando uma expressão muito portuense, as caixas de comentários do Aventar andavam muito badalhocas. Peço desculpa a quem não gosta da palavra, de facto muito feia, mas é a mais pura das verdades.

Ora, foi necessário tomar medidas para que essa situação não continuasse, daí a solução óbvia encontrada: moderação de comentários. Tudo continua como dantes e será publicado o que não seja ordinarice, conversa fiada, desconversa, diálogos particulares.

Há por aí quem pense que a liberdade de expressão não tem limites. A cómica «liberdade total intelectual» de que se ufanam. Pode-se insultar à vontade que não há qualquer problema. Chame-se a alguém filho da puta ou paneleiro, é tudo uma força de expressão. Se entendem que há difamação, aí sim, cai o Carmo e a Trindade. Insultos é que pode ser à vontade do freguês.

Há quem pense também que tem direito de escrever num blogue o que lhe apetece. Porque é um blogue e num blogue escreve-se o que nos vem à cabeça. Pois bem, os donos de um blogue também têm direito a seguir uma determinada linha editorial e a definir as suas regras. As nossas são estas. Quem não gostar, paciência!

Comments


  1. Está no ADN do Aventar! Difamações e ordinarices, não obrigado.


  2. Muito bem. Dignidade acima de tudo.


  3. «A liberdade de um acaba onde começa a liberdade do outro», é um legado da Grande Revolução de 1789, que é pertinente recordar neste caso. Em post de 12 de Novembro sobre o fenómeno explosivo dos blogues, defendi a necessidade de se criar um mínimo de regras, um código deontológico muito simples – ideias podem e devem ser discutidas e rebatidas; as pessoas que emitem essas ideias com que eventualmente não concordemos, têm de ser respeitadas.

  4. Nelo says:

    E mai nada!


  5. Chegou aqui a Fátima Filipe Ramos, o “troll” do Braganza Mothers. Era de esperar…


  6. Há um limite para tudo, e você sabe qual é esse limite.Quando quizer…


  7. Andamos com essa praga dos comentários parasitas, há quase três anos, em grande parte por causa de uma gaja que apanhou um chuto no cu, essa tal de Fátima Filipe Ramos. Neste momento, nem é moderação, é caixas de comentários reservadas a quem publica.Melhorem o nível e logo se vê se se reabrem…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.