Pergunta básica

Vamos imaginar que eu não percebo nada de economia. Não deve ser assim tão complicado porque se trata de algo absolutamente verdadeiro.
O PIB de Portugal não tem crescido, certo?
Escrito de outro modo…
Vamos imaginar que Portugal é uma família com duas pessoas: as Empresas (entenda-se Capitalistas) e os Trabalhadores.
Ora, se o que esta família (Portugal) ganha tem sido sempre o mesmo (para ser simpático) e o lucro das empresas aumenta, quem é a parte que está a ficar sem o que é seu?

Se calhar esta ideia é demasiado elementar, mas alguém poderá ajudar a esclarecer?

Comments

  1. Luís Moreira says:

    João Paulo, cá, é isso mesmo que está a acontecer. Quando não há aumento global de riqueza o que acontece é que só há transferência de riqueza. Uns ficam mais ricos à custa dos outros que ficam mais pobres. Por isso, o que Sócrates anda a fazer, não incrementando a criação de riqueza, é pôr os bancos a ganharem um milhão de contos por dia, dinheiro esse que sai dos bolsos das pessoas e das empresas.
    Diferente seria se houvesse criação de riqueza, aí pode haver uma má distribuição, mas todos vivem melhor!


  2. falta ai um terceiro elemento… que come mais de 50% do rendimento quer dos capitalistas, quer dos trabalhadores… chama-se estado… é ai que está o dinheiro roubado a ambos…

  3. João Paulo says:

    casadoscaes :
    falta ai um terceiro elemento… que come mais de 50% do rendimento quer dos capitalistas, quer dos trabalhadores… chama-se estado… é ai que está o dinheiro roubado a ambos…

    Eu diria que essa terceira parte é já referida nas duas anteriores porque uma e outra, capitalistas e trabalhadores também fazem parte do estado… Mas, a questão que eu coloquei continua de pé meu caro casadoscaes, os lucros das empresas, mesmo com essa enorme condicionante, continuam a aumentar, o que reforça o que eu escrevi: 1) o bolo é o mesmo; 2) Uma parte, segundo o seu comentário, maior fica no estado; 3) Os lucros das empresas são cada vez maiores; 4) Quem são os únicos que não estão a lucrar nada?
    Quem trabalha, pois claro! Viva a governação Socialista! Viva a Governação Social-democrata! Viva a distribuição de riqueza!

  4. maria monteiro says:

    continuando a forma simples de ver as coisas digo que já é tempo do casamento com o capitalismo dar lugar ao divórcio


  5. maria monteiro :continuando a forma simples de ver as coisas digo que já é tempo do casamento com o capitalismo dar lugar ao divórcio

    Trabalho para uma empresa de materiais de construção (fabricante) que apesar da crise e do decréscimo de vendas aumentou os lucros… como? inovou em termos de gama de produtos e investiu em novos mercados, e sem deslocalizar, duplicou parte da capacidade produtiva numa nova fábrica num PALOP… merece o aumento dos lucros? claro que sim… e a quem se deve? ao operador da máquina na sede ou ao dono da empresa que ante o cenário de crise teve coragem para investir e conseguiu criar mais emprego (apesar de ser noutro país) com uma redução mínima de quadros em Portugal (- de 5%, para um grupo com mais de 220 trabalhadores).
    O capital arrisca e investe e não duvido que o trabalhador faz a sua parte… mas a quem cabe a parte de leão dos lucros? ou quem investe não deve ter lucro? sem o capitalista de que é que o trabalhador vai viver? da segurança social? do RSI? de casas à borla pagas por todos nós? o capitalista aqui é tão vítima como o trabalhador… ou vai-me dizer que o capitalista não trabalha? quanto ao resto, tmbém sou contra a distribuição do nosso dinheiro (diria desbaratação) desde 1985 por aquela coisa rosalaranjada a quem temos chamado goveno nos últimos 24 anos…

  6. Luis Moreira says:

    casadoscães, o empreendedor merece toda a nossa consideração, ao investir, criar postos de trabalho, criar riqueza. Quem investe, não está ao nível de quem tem assento em empresas públicas, a deitar-se na cama que outros fizeram.


  7. mas aqui a questão suscitada é a dicotomia capitalista/trabahador… a meu ver de uma forma errada e que no final leva ao mesmo resultado que já temos com o sr. silva e o pinto de sousa… deveria ser sociedade versus govenação protosocialista rosa-alaranjada…