Avaliação não é carreira

Luís, estamos de acordo. É isso mesmo.
Avaliação é um instrumento para melhorar as organizações e não para punir.
É isso que há anos os professores têm vindo a dizer nas ruas.
Quem associa avaliação a carreira, é Sócrates, não somos nós.
Mas, já agora, devolvo uma pergunta:
– na escola, avaliar pode ser feito por quem? Como? E com que consequências?

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Não pune ninguem, avalia. Uma má avaliação não é punição nenhuma, os sindicatos é que reduzem a avaliação a punição.Não! Premeia os melhores, o que é bem diferente. Quem avalia? Quem tiver a responsabilidade global dos objectivos da escola. O Director, os responsáveis pela cadeiras, um conselho eleito para o efeito. Há várias formas de resolver isso. As consequências podem ser monetárias, e/ou podem ter consequências na carreira. Só pode ascender a determinadas funções ( directores, responsáveis pelas cadeiras, conselhos pedagógicos) ou atingir patamares acima de uma certa remuneração se tiverem excelente ou muito bom na sua avaliação. Até esses patamares podem ascender, avaliados, mas ao fim de “n” anos todos alcanção esses patamares intermédios. A partir daí só os excelentes e os muito bons. Isso está estudado há muitos anos.

  2. Luis Moreira says:

    digo, alcançam…