Sócrates vaiado no Alentejo

Uma vez fui com o PM inaugurar um centro de saúde em Extremoz, amplo, bem equipado, dos melhores que se construiram cá no país.

Antes da inauguração houve o costume, umas visitas para encher o olho, um almoço de encher a pança e vai devagarinho para te mostrares. O tipo que me acompanhava lá da região, fazia tudo para eu não ver, mas só não via quem não queria. O Alentejano é um povo digno, orgulhoso, estava a apanhar sol e assim ficava, nem um viva nem uma emoção.

Mas estes políticos acham que fazem um grande favor às gentes que visitam, se eles percebecem a alma deste povo, que eles tão maltratam, entenderiam que as palmas, quando as há, são as dos arregimentados, os da cor, foram de camioneta.

Só que hoje quem estava em Elvas eram os familiares dos soldados que iam jurar bandeira, queriam abraçar os entes queridos, estavam ali debaixo de chuva intensa, e o gajo fez-se fino e chegou com meia hora de atraso, por causa do mau tempo (explicou ele com um sorriso amarelo).

Pois é, senhor primeiro ministro, as pessoas vaiaram-no e bem, talvez para a próxima perceba que quem bate palmas tanto bate no Alentejo como em Freixo de Espada à Cinta, vão de camioneta, mas a maioria, no seu imenso saber, dizem para os seus botões: vá lá põe-te a milhas, não me tires o que não me podes dar!

Comments

  1. maria monteiro says:

    Luís, houve aí uma troca de cidades alentejanas … a grande recepção foi em Portalegre e não Elvas

  2. maria monteiro says:

    o centro de saúde de Estremoz é aquele que fica ao pé da linha dos comboios?

  3. Pedro says:

    Gostei da descrição. Belo post, Luís.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.