Os interludios do presidente

Cavaco Silva diz que o casamento não passa de uma questão lateral. O foco deve estar nas questões económicas, de resolução da crise.

Todos concordamos que o combate da crise e’ prioritário. Mas não vejo porque todo o pais só trate, durante meses, uma única matéria. Como se não houvesse mais vida alem do orçamento.

Portanto só há duas formas de ver a coisa: o presidente acha que o casamento gay e’ uma questão de direitos e promulga a lei em dois tempos; ou o presidente tem asco só a esta ideia e nem sequer a admite. Neste caso, a resposta que deu foi de desprezo pelo tema e pela lei aprovada pelo Conselho de Ministros.

Eu desconfio de qual seja a razão. Não sei o que vocês pensam disso?

Comments

  1. Luis Moreira says:

    São as duas. Por um lado, ele não pode embarcar em encenações e deixar os verdadeiros problemas de lado, por outro, não gosta nada da ideia do casamento

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.