Ricardo Rodrigues e o gang internacional

Os invulgares talentos do vice-presidente da bancada socratista já tinham sido referidos algumas vezes no Aventar.

Agora é o Tribunal da Relação de Lisboa que confere:

A Relação, pronunciando-se sobre a utilização da expressão gang, considerou que a palavra era “insultuosa e indelicada”, mas estava “justificada em factos”.

O juiz de instrução concluiu que a acusação de que Rodrigues se envolvera “com um gang internacional” tinha sustentação.(…)

A sua sustentação como porta-voz do PS para questões ligada à corrupção, nomeadamente em relação aos offshores que tão bem conhece, leva-me a desconfiar que se trata de uma escolha tecnocrática: o  homem é sem dúvida um especialista, e estava fora de causa ter-lhe atribuído o ministério da Agricultura, como chegou a ser boatado. Aguarda serenamente por uma vaga na Justiça, ou mesmo nas Finanças.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Trata-se mesmo de um especialista em off shores. Agora, que o juiz de instrução considere que gang se adequa aos factos conhecidos, é revelador do que alguns sabem mas não podem provar…

Trackbacks


  1. […] ler o resto, e este bónus. Dois anos e um gravador depois é nomeado para o Conselho Geral do Centro de Estudos […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.