2 000 pessoas controlam o país !

O Prof António Hespanha, ontem no Prós e Contras disse alguma coisa que todos vêm mas nem todos têm a coragem de dizer. Há uma elite , no país, que passa do governo para as empresas públicas, destas para as privadas e destas novamente para o governo e do governo para os bancos, num circuíto fechado e de janelas nada transparentes.

Serão duas mil pessoas entre políticos, gestores de empresas, banqueiros, empresários que tudo controlam e tudo decidem sempre tendo como objectivo a manutenção do poder. Entre eles contam-se tambem os comentadores encartados que circulam à vez pelas televisões e pelos jornais e que se encarregam de fazer a agenda pública, encobrindo o que não interessa e destacando o que serve à minoria dominante.

Esta elite coloca nos lugares  essenciais gente da sua confiança que trabalha na sombra fazendo o trabalho “sujo”, sendo pagos milionariamente, como ficou às claras agora com os recentes casos vindos a público, em especial a Face Oculta. Se a coisa corre mal, ninguem conhece ninguem, são amigos mas só se falaram muito raramente e sobre o assunto em questão, nunca. As escutas não são prova, os lugares que ocupam tambem não, os vencimentos milionários ainda menos, as nomeações só por acaso é que recaem nos boys do mesmo partido.

É neste abraço de gibóia em que estamos metidos que aperta cada vez mais, que transformou este país no mais pobre da UE e no mais injusto, e o que é mais irónico é que foi pela mão de um partido que se diz socialista e de outro que se diz social-democrata!

Comments

  1. Nuno Castelo-Branco says:

    Nada de novo na frente ocidental, ou melhor, na west coast…

  2. maria monteiro says:

    2000… tão poucos que fazem tanto mal

  3. maria monteiro says:

    2000 arrumam-se em qualquer lado … nem é preciso um estádio de futebol…

  4. Carlos Loures says:

    Uma lista desses 200 indivíduos, bem pormenorizada, seria um excelente elemento de trabalho, ajudando a compreender a rede endogâmica que permitiu criar essa aristocracia político-financeira. Julgo que teríamos algumas surpresas.

  5. Carlos Loures says:

    Queria dizer 2000 indivíduos. E, Maria, não era preciso nenhum estádio de futebol. A esquerda tem de ser criativa e não pode copiar pinochets. Que tal obrigá-los a viver com a reforma mínima?

  6. maria monteiro says:

    Se fossem obrigados a viver com a reforma mínima, no dia seguinte estariam todos a mendigar pela ocupação dum qualquer estádio mais devoluto … na relva podiam jogar golfe, outros dedicavam-se à jardinagem, continuava a haver ginásio, a ocupação dos camarotes era como continuar no poder,… e claro livres de preocupações já que lhes era garantido cama, comida, roupa lavada, televisão, internet, …

  7. Adão Cruz says:

    Caro Luis, se achas que isto é democracia vou ali e venho. Podes chamar a um sistema destes democracia que a palavra nada significa. Isto é uma organizadíssima corja de ladrões que à pala de um jogo sujo permitido pela degeneresecência e prostituição política, comprou uma senhora distinta e fez dela a prostituta política mais rendosa. Democracia, Luis, não é isto. E se me perguntares eu sei dizer o que é, mas chamam-lhe cobardemente ditadura.

    • Luís Moreira says:

      Adão, isto é muito mau mas não há melhor. Quer dizer a nossa é a pior. Quantos aos ladrões isso tambem é verdade, mas são as pessoas que são assim. Há que esperar mais uns milhares de anos para sermos melhores enquanto seres humanos.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.