De Tanto Olhar

De tanto olhar

Tanto olhar

Olhos perdidos

Na lonjura das águas

Vejo-me nos tempos idos

E recordo as minhas mágoas

.

De tanto olhar

Tanto olhar

.

(Poema e fotografia da exposição “Água e Palavras”)

.

Comments


  1. Bom poema e boa imagem, José Magalhães

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.