A Primavera no coração dos homens: Chaplin e Yeats

Chaplin tinha 63 anos quando filmou “Luzes da Ribalta”.

Mas reparem na candura infantil com que vai saltitando enquanto canta: “É o amor, o amor, o amor, o amor, o amor”.

No dia em que fez setenta anos, o poeta William Butler Yeats escreveu :

“A most astonishing thing —

Seventy years have I lived;

(Hurrah for the flowers of Spring,

For Spring is here again.)

Seventy years have I lived

No ragged beggar-man,

Seventy years have I lived,

Seventy years man and boy,

And never have I danced for joy.”

“Imitated from the Japanese” (New Poems, 1938)

Talvez seja essa a força da Primavera, a de reacender o impulso que faz o corpo dançar de alegria.

Comments

  1. Carlos Fonseca says:

    Lovely! Chaplin, na alegria ou na tristeza, é um talento irrepetível. Obrigado Carla pela tua alegoria à Primavera.

  2. Carla Romualdo says:

    Obrigada, Carlos, acho este filme muito comovedor

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.