Quando as crianças autistas podem ir tranquilas ao cinema

Para a maior parte das crianças, ir ao cinema é um acto banal. Seja com familiares ou através de iniciativas das escolas, volta e meia sentam-se no escuro e desfrutam de um filme. Este acto social e cultural é difícil ou improvável para uma criança autista. Pelo menos em total tranquilidade.

No dia 10 de Abril, alguns milhares de pequenos portadores desta deficiência vão ao cinema em 47 cidades dos EUA. Vão ver “Como treinares o teu dragão” graças a 93 ecrãs ‘sensoriais’. As luzes não vão apagar-se, apenas reduzido o seu brilho. O som será também mais reduzido que numa sessão normal. Não haverá publicidade nem trailers. Apenas o filme.

É uma iniciativa do “Sensory Friendly Film”, uma iniciativa da AMC Entertainment e da Autism Society. Acontece uma vez por mês, ao sábado de manhã. Em grande parte por causa de Marianne Ross.

Em 2007, Marianne levou a filha, Meaghan, de 7 anos, ao cinema para ver “Hairspray”. Escolheu uma sessão do início da tarde, por norma menos concorrida. Mas Meaghan, ao ver o seu ídolo, Zac Efron, não resistiu. Feliz, saltou da cadeira, dançou, pulou, bateu palmas. Marianne e Meaghan foram convidadas a sair da sala, devido a queixas de outros espectadores.

Frustrada e zangada por ter visto a felicidade da filha interrompida assim, como contou à revista Time, Marianne contactou o representante local da AMC, pedindo uma projecção especial. Dan Harris interessou-se. Conversou com a mãe da criança e sugeriu algumas adaptações para tornar os ecrãs mais amigáveis dos sentidos para crianças autistas.

A primeira sessão foi um sucesso, as seguintes também. De tal forma que Harris contactou os escritórios centrais da empresa. Gostaram da ideia e até se mostraram surpreendidos porque é que ninguém tinha pensado nisso antes.

As grandes ideias são assim, tão simples que ninguém se lembra delas.

O projecto passou a contar com o apoio da Autism Society e alargar-se de forma progressiva a outras cidades.

Quem sabe um dia chega a Portugal?

Comments

  1. hlopes says:

    Também devo dizer que as pessoas são burras em certos aspectos. Sem ofenca, mas quando se é criança tem-se a maneira de ser criativo e fantasioso. Certamente muitos pais deviam saber disso. Pelo menos e não fico parado a ser tratado pelo povo queixoso gosto de ajudar e de avaliar as cituações, e já agora pelo menos, culpa dos pais, deviam estudar mais a natureza de uma criança do que pensarem que ela vai agir da maneira como os adultos nascem, dessa maneira seria andar aos socos e bem cedo.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.