A Fodinha

Trás-os-Montes – e nota-se mais desde que nos amarrámos à grande teta europeia – tem vindo a distanciar-se do resto de Portugal; cada vez mais longe (porque não mais perto, logo mais longe), cada vez mais sós, cada vez mais virados a Nascente (como pressagiou Cavaco, o Grande), cada vez com pior Escola e pior Saúde, desemprego e muito emigração sazonal. Os nossos mandantes, “escolhidos” a dedo pelos eleitores, têm-nos dito que vamos fechar aqui mais um serviço e acolá também mas vamos ter uns helicópteros que até tornam os serviços de saúde melhores e mais rápidos. E o povo – estúpido – diz amém. E os autarcas – pedantes – genuflectem e engolem a benesse.

Passa o tempo e, como sempre, vem uma desculpa qualquer, a crise, não há população, o caralho isto, o caralho aquilo. Já de lá riscaram todo o caminho de ferro, a esperança e a decência. Agora começam os helicópteros a ficar em terra. Transmontanos, não estais já cheios de serdes fodidos por esta gentalha que diz vos representar?

“INEM não enviou o helicóptero de Macedo de Cavaleiros para socorrer  dois acidentes, ontem, em Bragança e Valpaços, por estar inoperacional, devido à falta de médicos.”

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Cortam nos médicos mas não cortam nas secretárias, amantes e assessores que dormen no T0 de luxo ali em Telheiras…


  2. Este tipo de situação só é tolerável num país que perdeu a decência e a moral, onde as mentes se esvaziam do sentido de sacrifício, dever e amor-próprio, e se entopem de futebol, novelas, e de todo o tipo de panis et circensis que se vomitam da televisão, em pacotes rendilhados de música pimba e fofocas de famosos.
    Triste país, onde já nem se pode lavar as mãos e rematar com um “um fraco governante faz fraca a forte gente”…
    Emigrar? Insistir? Até quando?…

  3. António Soares says:

    Esta gentalha,já não liga ao que dizemos,porque,já ouviram,e viram tanto,ao longo destes anos de (Demagogia)que usam o velho ditado:O (Povo) ladra,mas não morde…


  4. E este povo se transformou numa cambada de mansos, de norte a sul, que pastam gostosamente nos campos de futebol, nos plasmas de telenovelas e nos Institutos de alienação mental, que são os programas diários, manhã e tarde, nos 3 canais de TV principais!…

    Enquanto lhes derem toda esta merda a comer, os mansos deste país andarão contentes e satisfeitos, e nada farão para mudar seja o que for… nem sequer o voto nas urnas!…


  5. Turismo ignora via-férrea (do Público)
    O Plano de Desenvolvimento Turístico
    do Vale do Douro 2007-2013 não
    faz nenhuma referência à linha que
    liga o Porto à Régua, Tua e Pocinho,
    ignorando o potencial de atracção de
    turistas da ferrovia. O plano promovido
    pela Estrutura de Missão do Douro
    esquece mesmo o comboio histórico
    que, no Verão, circula entre a Régua
    e o Tua e a procura existente para as
    viagens na linha mais bonita do país.
    Ricardo Magalhães, chefe da Estrutura
    de Missão do Douro, tem declarado
    que a via-férrea é indissociável do
    Douro e tem sido um acérrimo defensor
    da reabertura do troço Pocinho-
    Barca de Alva. Mas estas questões
    estão ausentes do plano.

    Digo eu: se em face daquele enorme potencial não há vistas, como poderão ver-se as «estreitas» (linhas de caminho-de-ferro)?

  6. António Caldeira says:

    Não se esqueçam de referir que alguns dos que andam a mamar na teta são originários dessa região e nem por isso defenderam a sua terra…

  7. maria monteiro says:

    O que faz falta é uma revolução a sul para despertar as gentes do norte


  8. maria monteiro :
    O que faz falta é uma revolução a sul para despertar as gentes do norte

    Há vida a Sul? Qual Sul? Aquele Sul entre Cascais e Vila Franca de Xira ou outro Sul?

  9. maria monteiro says:

    se juntarmos esse sul ao (des)povoado Alentejo… ainda há gente capaz de distinguir o trigo do joio….

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.