As SCUTs do nosso descontentamento:

Pelo que percebi e acredito que tenha percebido mal, a malta dos concelhos da A41/42 ficam isentos nas primeiras dez passagens mensais e a partir da 11º vão ter um desconto de 15%. Pois…

E os casos dos concelhos sem “pórticos”: Matosinhos, Vila do Conde e Viana do Castelo? Isentos enquanto mantiverem as quotas rosa em dia? E a Via do Infante, pagam com cheques-desconto nos hotéis de Vilamoura, Portimão e Albufeira?

É brincadeira, de certeza!

Comments

  1. inquieto says:

    Meu caro,
    Já devias de ter percebido que á filhos e enteados…

  2. Luis Moreira says:

    Agora já é a caça ao voto, com o PS a querer atirar com a decisão para cima do PSD!

  3. José says:

    E o PSD a pôr-se a jeito…

    Que razões existem para se pagar portagem em qualquer ponte de Lisboa e nenhuma em qualquer outra cidade do país, nomeadamente sobre o Douro?

    Porque é que na CREL, A5, A2, A10, etc, se paga e nas SCUTS há descontos?

    Porque é que quem mora na região de Lisboa tem sempre que pagar tudo e mais alguma coisa e no resto do país não?

    A minha família nem é de Lisboa e compreendo perfeitamente a necessidade de discriminação positiva em determinadas regiões, mas cerca de 1/3 do país (Grande Lisboa) anda a pagar para o resto do país sem qualquer critério, no que às vias de circulação e transportes diz respeito.

    • Ricardo Santos Pinto says:

      É preciso ter lata, José, quando se sabe que todos os investimentos são feitos em Lisboa e que chegam a desviar para Lisboa fundos comunitários destinados a regiões desfavorecidas.
      Então em termos de auto-estradas e vias rápidas Lisboa paga tudo? Que mentira! Quantas quer?
      – Eixo norte-sul (todo)
      – A1 (entre Lisboa e Alverca)
      – A2 (entre Lisboa e Coina)
      – A5 (entre Lisboa e Porto Salvo/Oeiras)
      – A8 entre (Lisboa e Loures)
      – A23 (toda)
      – IC2 (todo, entre Lisboa e Póvoa de S.ta Iria)
      – IC2, (todo, entre Almada e a Costa de Caparica)
      – IC17/CRIL (todo)
      – IC19 (todo, entre Lisboa e Sintra)
      – IC21 (toda, entre Coina e o Barreiro)
      – IC32 (toda, entre a A2 (Coina) e Alcochete)

      não pagam qualquer portagem nem está previsto que venham a pagar.Estamos a falar de mais de 1000 km. Isto na Grande Lisboa. Percebe-se, é uma região desfavorecida do país, com poder de compra muito abaixo da média nacional…
      Direitos iguais, deveres iguais! Se Lisboa não paga portagens, o Norte também não tem de as pagar!!!

  4. maria monteiro says:

    Nada de portagens para as SCUTs. Integrem-nas nos limites de velocidade de” Outras vias”. Depois é só aplicar as coimas por excesso de velocidade.

  5. Alfredo says:

    Assim está bem. Como as dez primeiras passagens são gratuitas basta possuir três viaturas e ter-se-á assegurada a gratuitidade durante o mês inteiro.
    Claro que para controlar isto será recomendável que cada viatura esteja equipada com um DEM. Uma vez que “recomendável” é bem diferente de “obrigatório” não haverá necessidade de o líder da oposição(?) pedir desculpa aos portugueses por dar o dito por não dito, o que fica sempre mal a um político. Atenção, o que fica mal é pedir desculpa; dar o dito por não dito faz parte das competências básicas de qualquer político honrado e todo o eleitor esclarecido deve tomar isso em consideração na hora de lhe confiar o voto.

  6. José says:

    Ricardo:
    tente sair em Oeiras na A5 sem pagar.
    Paga na Circunvalação? Porque haveria de pagar no Eixo norte-sul, ou na CRIL, ruas/estradas dentro de uma cidade? Alguma vez viu portagens de uma estrada que começa e termina dentro de uma cidade?
    A a23 não se paga. Mas que tem isto a ver com Lisboa? Não será melhor rever as suas noções de geografia? A A5 também não se paga. So what?
    A A2 até Coina não se paga. Mas nem sequer se inicia no distrito de Lisboa… e para lá chegar, quem vem de Lisboa, tem que pagar uma portagem de uma ponte que já foi paga e repaga pelas portagens, coisa que nunca aconteceu em qualquer ponte no Porto.
    O IC2 inicia-se no concelho de Loures e não no de Lisboa.
    O IC19 termina na 2ª Circular e será a única IC que começa em Lisboa e não é paga, até porque foi construída sobre as estradas antigas e não tem qualquer outra estrada como alternativa. Não se trata de a alternativa ser má. Simplesmente não existe.
    A IC21 e a IC32 não estão sequer no distrito de Lisboa.
    Não fiz as contas aos km, mas ainda vou ver se faço para verificar esses mais de 1000 km…

    Em contrapartida, a totalidade das pessoas que vêm do distrito de Setúbal têm que pagar portagens; com excepção das pessoas que entram na A5 na sua parte final – Jamor ou Carnaxide – todas as outras – de Oeiras até Cascais – têm que pagar; a maioria das pessoas que utilizam a A8 paga portagens; a maioria das pessoas que utiliza a A1 paga portagens…

    É possível que Lisboa tenha muitos investimentos. Não que eu os veja, nem que eu veja a qualidade de vida a aumentar com esses supostos investimentos. O que eu vejo é que Lisboa está cercada de vias de comunicação pagas.


  7. Ó ignorante, Vila do Conde está isenta porque esse troço do IC1 foi construído por cima de uma via municipal, logo, pelo que diz a lei, não pode ser taxado.


  8. Caro 1: será que a ignorância igualmente se estende ao desconhecimento que a A41, no que toca à Maia, foi construída igualmente em cima de uma via municipal (em boa parte) e que mesmo nessas partes plantaram lá pórticos?

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.