Também tu, Sócrates?

Sim, tal como Sócrates: “Sócrates destacou a importância da flexibilidade laboral na Auto Europa, destacando que é com flexibilidade que se defende as empresas e o trabalho“, subscrevo a tese e sim, sou favorável a que na Saúde tal como na Educação os serviços sejam pagos por quem pode para que possam ser totalmente gratuitos para os que não podem. Isso é justiça social, o resto é oportunismo eleitoral e cegueira sindical.

Meu caro José Freitas, não se pode avançar com a mudança necessária na sociedade portuguesa sem escorraçar da CRP as teias de aranha e todos os articulados que são um óbice ao desenvolvimento justo do país. Como o dinheiro não nasce nas árvores e com as finanças falidas só lá vamos com medidas drásticas onde aqueles que podem pagam para que os restantes possam usufruir sem custos.

Seria bem mais simples o silêncio de Passos Coelho nesta matéria; seria bem mais oportuno e oportunista ficar quieto e calado à espera que o poder lhe caia no colo. É essa a tradição na política pátria. Eu prefiro desta forma, falando verdade, com risco e com rasgo. Assim todos sabemos ao que vamos e para onde vamos. É só escolher: quem preferir as coisas como estão, vota Sócrates. Quem acredita que o Estado tudo deve suportar sem contributo de quem pode e a economia nacionalizada sempre pode escolher entre Louçã e Jerónimo.

Para os que acreditam que não há almoços grátis, a escolha é óbvia.

Comments

  1. Luís Moreira says:

    O Estado providência dos países nórdicos, garante os direitos e deixa para a sociedade civil a prestação, bem como a economia e a iniciativa empresarial. Não anda a brincar às PTs…


  2. Interrogo-me, se tenho que pagar impostos para sustentar um estado social porque não o posso utilizar quando dele necessitar.

    Se me querem por a pagar os actos de saúde quando dele precisar ou a escola dos meus filhos directamente então não têm direito aos meus impostos. Se o pouco serviço que me prestam tem que ser pago duas vezes então que encerrem as portas de vez.

    Com que direito podem me pedir que não facilite a fuga ao fisco? Se todo o dinheiro que vai para o fisco é para sustentar incompetentes, mordomias e boys. Incapazes que deixaram o estado chegar aos níveis de endividamento a que chegou.

    Tivessem esses tipos feito menos auto-estradas, estádios e outras parvóides que os custo com esses saques e suas manutenções dariam para manter muitos estados sociais.

    Pergunto ao vento notícias do meu estado social. Escuto que vai fechar para manter estádios de futebol e auto-estradas para lado nenhum.

    • Luís Moreira says:

      Para os estádios e autoestradas tẽm eles dinheiro. Já se fala no campeonato de 2016, que vai acelerar o TGV e o aeroporto e a ponte, quem paga não interessa. Preparem-se porque o grande objectivo nacional passou a ser o 2016.


  3. Meu caro Fernando, não creio que haja na Constituição artigos que sejam um real “óbice ao desenvolvimento justo do país”. Melhoramentos, claro, mas tudo a seu tempo. Esta proposta, apresentada sem debate interno no PSD, soa a manobra de propaganda. É a ideia do ‘que falem de nós, bem ou mal, desde que falem’.
    Preferia que o PSD ou outro qualquer partido fosse falado por apresentar propostas válidas para o tal desenvolvimento do país. E o que vi, até agora, foi muito pouco.

    • Luís Moreira says:

      Zé, é claro que há aqui muita parra, faz parte da estratégia para ganhar espaço de negociação, mas há um tempo que fica para trás, definitivamente. E o que vem aí não pode ser pior que estes últimos 15 anos.Empobrecemos, o país é mais injusto, os jovens voltam ao desemprego e à emigração…a ideia é manter isto como está?

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.