Expresso censura telegramas divulgados pela Wikileaks

Expresso censura cablesLi no Do Portugal Profundo e, estando incrédulo, fui à fonte. O semanário Expresso censurou parte dos cables que tão bombasticamente trouxe  à capa na ultima edição.

Ainda não estou bem certo de ter escrito o parágrafo supra. Se calhar é melhor repetir. Os telegramas tornados públicos pela Wikileaks relativos a Portugal foram divulgados pelo Expresso mas este jornal rasurou partes dos mesmos. Com que objectivo?

Ironia das ironias, algo que a Wikileaks coloca em estado bruto para os que queiram ver, chega até nós com um lápis castanho. Sinal dos tempos. Note-se que o jornal em causa é o mesmo que, ainda recentemente, fez uma sequência de artigos sobre o que a censura havia cortado no jornal nos tempos da ditadura.

Os telegramas em causa:

Comments


  1. Uma coisa não se pode acusar este governo: De usar o lápis azul! Como o meu caro Jorge bem frisou a cor é o castanho que é a cor de outra coisa que me faz lembrar esta gente (Expresso e o seu director ‘mano’ Costa incluido) que começa por Me e acaba em a e tem o rd no meio.

  2. Fernando says:

    Estou cansado de vos ver sofre, e principalmente ficar surpresos. Pessoal como o RCosta são um produto, paus mandados e vendidos, já faz muito tempo. Era vê-lo “deslumbrante” e convencido de ser alguém na SIC, quando apenas tem o que tem por ser o que é. É preciso descodificar?

Trackbacks


  1. […] dois de Março do corrente, publicou o Expresso um primeiro conjunto de “telegramas Wikileaks” sobre Portugal. Ironicamente, resolveu […]


  2. […] Carreira Bom. Mário Crespo. Dóris Graça Dias. Wikileaks. Marisa Moura. No Expresso? A […]


  3. […] Panama Papers. Mas é de lembrar  que há precedente, no Expresso também, nomeadamente quanto à divulgação dos textos WikiLeaks. Onde está a publicação integral dos cables que o Expresso censurou? Não existe, apesar da […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.