O meu Benfica não apaga a Luz

O meu Benfica não apaga a Luz, rega o relvado a horas próprias, não se sente menorizado quando um campeão faz aquilo que faz o Benfica ao ganhar títulos: festeja-os com a legitimidade do vencedor.

O meu Benfica demarca-se do Benfica igual aos outros, do Benfica que copia e imita o pior dos rivais. O meu Benfica não perde tudo numa centena de minutos, o jogo, a postura, a dignidade. O meu Benfica não é uma massa de seguidores acéfalos, questiona os dirigentes, exige explicações e chama os bois pelos nomes.

Consola-me que exista um Benfica dentro do benfiquinha. Porque eu, do benfiquinha, não sou.

Comments

  1. Mário Abrantes says:

    A propósito, o meu FCPorto não reage com cinismo quando um dirigente de outro clube é agredido no Porto, nem fica de braços cruzados quando as claques partem estações de serviço.

    Se as pessoas que gostam de futebol não se indignarem, qualquer dia já não há Porto e Benfica, há portinho e benfiquinha.


  2. Caro Pedro Correia,

    Acho que já toda a gente devia ter compreendido que há pessoas de bem e pessoas mal formadas em todos os clubes. O País, inclusive, está nas condições em que está, porque, quer se queira, quer não, está cheio de pessoas mal formadas. E o Mundo, a Humanidade, estão como estão, porque são muitas as pessoas mal formadas.

    Não há país, classe, família, partido, religião ou clube que não tenha os seus malformados. O próprio Sporting, que se vangloriava de ser tão diferente… que diferença, de tão igual!…

    O que aconteceu na Luz, admito, como simpatizante do F C do Porto, que pudesse ter acontecido nas Antas. Por sorte, para a imagem do F C do Porto, aconteceu na Luz. Talvez resida aí a única diferença, sem que eu possa, confirmadamente, fazer a afirmação. Percebe-se, por fim, que ninguém quer perder; que poucos aceitam perder; e que não há, parece-me, dirigentes que queiram a “verdade desportiva”, mas, antes, a verdade que lhes convém.

    Para ser sincero, a única coisa de que me lembrei, na altura em que a luz se apagou, foi da possibilidade de os milhares das claques, afectas ao Porto, decidirem entrar pelo relvado dentro, sem que se pudesse prever os danos físicos e materiais, mesmo das forças de segurança. Esse foi, para mim, o lado mais escuro da actuação de quem decidiu apagar a luz. Quanto ao resto, os próprios jogadores acabaram por entrar na “brincadeira”. Ninguém se magoou. O mais importante. Quanto ao resto, penso que, entre os dirigentes do Benfica, já se terá percebido que foi dado um ou dois tiros em cada pé.

    Como simpatizante do F C do Porto, espero que esta tenha sido uma lição importante, da qual os dirigentes do clube estraiam conclusões úteis; porque, no futuro, próximo ou distante, poderá haver a coincidência de um ou outro adversário —o Benfica, inclusive— conquistar um ou mais títulos no estádio ou no pavilhão do clube… e seria dramático, por ridículo, ter um comportamento semelhante.

    Sabe-se do prazer sentido nas vitórias que um clube alcança nos terrenos do rival. Sabe-se, por mais que se esconda, que um título conquistado nestas condições tem um sabo diferente; o mesmo que teria sido sentido pelos benfiquistas, se, na época transacta, o Benfica tivesse podido comemorar nas Antas… Mas isso é o normal, numa relação de rivalidade. Quem perde, lamenta, fica triste, mas não me parece que, mais do que isso, seja legítimo —talvez, quem sabe?, este facto possa ser o mote para a mudança de comportamentos… e de comportamentos na Comunicação Social, também!

  3. luis filipe says:

    Ao Sr. Mário Abrantes…
    Ao Sr. Rodrigo Costa,

    Sem mais comentários. Estes dois senhores disseram tudo. Concordo inteiramente.

    Este não é o meu Benfica.

    Honra aos vencidos ( assim nem isso tivemos ) e glória aos vencedores.

    Até para o ano.

  4. Mivar says:

    Boas tardes,

    Estas disputas feudais do futebol prtugues apenas provam a pequenez de muitos nossos compatriotas, alias ‘a semelhanca de quase tudo que se ca’ passa

    Portugueses contra Portugueses! Sem duvida a forma mais rapida e eficaz de nos auto-destruirmos!

    Como diz um meu amigo: de vitoria em vitoria ate ‘a DERROTA final!

    O futebol e’ um dos meios deste contagio. Eu pessoalmente adoro futebol (sou boavisteiro – ninguem e’ perfeito 🙂 – e sinceramente desisti de assistir a esta palhacada diaria

    Prefiro estar com a familia, divertir-me com outras coisas que nao envolvam odios primarios e gentinha de nivel rasteiro

    Parabens ao FCP pelo campeonato! Que no proximo ano seja mais equilibrado e que ganhe o melhor!

  5. António Fernando Nabais says:

    Só tenho a acrescentar que é um prazer passar por uma caixa de comentários tão cheia de elevação. Sou de um Benfica que não foi este.


  6. Porra, não me digam que não ganhamos ao Benfica! Afinal, jogámos contra quem, carago?! O Alcabideche ou o Musgueira de Baixo? Mas o que tem este Benfica diferente do outro que há 30 anos espuma pelas orelhas ao ver o Porto ganhar?

    O A.P.C. não sabe o que faz a tv do Benfica? Não sabe o que diz o Jornal do Benfica? Não se lembra do Benfica a 23 pontos de 2008 a querer ocupar o lugar do FC Porto na Champions?

    Mas de que Benfica falam que seja diferente do que eu sempre conheci?

    Deixe-se de tretas! Pode sentir-se envergonhado, não me diz respeito nem me interessa, mas não se faça de desatento, para não dizer outra coisa…

    • A. Pedro says:

      A tv do Benfica? Vi uma vez, uns 5 minutos, estavam lá uns tipos do benfiquinha a falar e esse não é o meu clube. O Jornal do Benfica? Eu compro jornais a sério, não compro papel impresso por comprar, nem sei como é o logotipo.

      Eu gosto é dos jogos, daquilo que se passa no campo e interessa-me moderadamente o que se passa um pouco antes e um pouco depois (ouço as entrevistas dos jogadores e dos treinadores, quando muito) o resto não me diz nada. Eu gosto de futebol, telenovelas não sigo. Sou uma coisa que você talvez não conheça: um não-fanático.

      • A. Pedro says:

        Ah, e divirto-me com os jogos, digo umas piadas, mando umas bocas aos meus amigos e ouço outras. Mas só faço isso com os não fanáticos, com os outros é estupidamente perigoso, põe-se a integridade física em causa.

  7. António Fernando Nabais says:

    Ó Zé Luís, penso que ninguém disse que o Benfica só começou a portar-se mal anteontem (eu, pelo menos, não disse). Talvez o Benfica de que sou nunca tenha existido ou talvez nunca venha a existir, mas isso não me impede de escolher o que me agrada e de condenar o que me desagrada.
    Ainda bem que você está contente com tudo o que se faz ou diz no FCP. Para tudo o que aponta ao Benfica, eu encontraria coisas igualmente condenáveis no seu lado. O problema é que sou parcial, mas ao contrário: os defeitos dos meus irritam-me ainda mais do que os dos outros. Por junto, todos me irritam, porque vivo num país em que tudo é clubístico e vivido de uma maneira normalmente pouco civilizada.


  8. http://www.youtube.com/watch?v=J6KfXwnhdLk&feature=player_embedded

    É só para as virgens pudicas perceberem o que está em causa. Ah mas isto não interessa nada, o importante é o interruptor.

    • António Fernando Nabais says:

      Você, às vezes, tem dificuldade em ler o que está escrito, ó Carlos Alberto. A ver se nos entendemos: o que os jogadores do FCP aparecem a dizer neste vídeo é lamentável e condenável e não me espanta. Eu ficaria ainda mais chateado se fossem os jogadores do Benfica a fazer o mesmo, percebeu? Ou parece-lhe que o facto de os jogadores ou os dirigentes portistas (ou outros quaisquer) não saberem comportar-se deve funcionar como um convite para que os benfiquistas façam pior? Se calhar, seria mais lógico dizer: “Ah, o interruptor não interessa nada, os insultos é que são importantes.” Leia menos comunicados da direcção do Benfica e veja menos programas de comentadores cheios de comichão clubística, que isso faz mal (cada vez que tenho o azar de ver essas coisas na televisão fico logo sem saber a tabuada). Fale-me de futebol, homem! O resto são telenovelas venezuelanas!


    • Carlos,

      Sabe que sou benfiquista, por isso mesmo, acho que isto é uma montagem.

Trackbacks


  1. […] adeptos é do Benfica. E é também por isso que me orgulho de ter no Aventar benfiquistas como o Pedro Correia e o Fernando Nabais. Benfiquistas que vêem para além do próprio umbigo e que, apesar das […]

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.