Fernando Nobre, a carochinha

Durante a campanha presidencial, Fernando Nobre acusou Manuel Alegre de ser o candidato do nim. Fernando Nobre é, pelo contrário, um homem do “sim”, um verdadeiro “yes-man”, alguém que não consegue dizer que não. Se fosse mulher, noutros tempos, isso seria suficiente para que fosse considerado pouco séria, eufemismo desagradável para mulheres com ouvidos, essa parte da anatomia cuja ausência era marca de seriedade

Nos contos infantis, Fernando Nobre seria a carochinha, debruçada à janela, alardeando um decote abundante que permitiria entrever a sensualidade de uma intervenção cívica apartidária e a abundância de uma mediatização apetitosa. É certo que chegou a afirmar que nunca aceitaria cargos partidários, mas também não é verdade que seja fácil a vida das mulheres de vida fácil e, por vezes, é necessário estarem dispostas a coisas que nunca pensariam vir a fazer. Quando é preciso lutar pela sobrevivência, ser nobre torna-se difícil.

 

Comments


  1. num sei…


  2. Caro Fernando Nabais,

    … As coisas começam a ficar mesmo muito complicadas!… Mais do que debruçar-me sobre a aceitação do convite proposto por Passos Coelho, estou curioso para ouvir a explicação de Fernando Nobre… Não porque não possa mudar, mas porque quero ver em que suporta a mudança. Pode ser que tenha alguma ideia que não se vislumbre e queira pôr em prática, infiltrando-se a modos que um submarino. Mas, sinceramente, ser convidado para ser, se for, Presidente da Assembleia da República, soa-me assim a convite para “jarra”…

    E faço, desde logo, uma primeira leitura: Passos Coelho pensa ter feito o convite certo, à pessoa certa, para o lugar certo; deixando parecer ter estudado Fernando Nobre, e ter a consciência de ser ali que ele fica bem —de uma penada, pensa defender-lhe a imagem, poupa-o a incoerências —ou a mais incoerências—… e arrecada a esperança de mais uns votos.

    Ouvi o seu discurso, inflamado, de Fernando Nobre, quando, pelo BE, se candidatou ao Parlamento Europeu. Fico, agora, à espera de como se apresentará, do que dirá, quando for o momento de usar da palavra, para se expor e expor as ideias. Cofesso que estou curioso.


  3. Cá para mim estamos Face a mais um Mário Sottomayor Cardia, Ou seja: a um problema Familiar Y não Político. Não me parece – como em todos estes casos – que seja de fácil resolução para a Família … Y agora parece que o F Nobre alargou a Família Y nós vamos ter de ser menos Cruéis, embora nos apeteça … Mas o caso, como referi tem muitas semelhanças com o de Mário Sottomayor Cardia. Temo não estar enganada. Vale.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.