Jamais a RTP desceu tanto…

-Há apenas alguns dias, escrevi um post, questionando se a transmissão do casamento do herdeiro da coroa britânica, seria serviço público. Quando eu pensava que era impossível à RTP descer mais baixo, eis que a deficitária estação pública de televisão, resolve entrar no mercado dos reality show. Esteve bem Miguel Guilherme logo a abrir o programa, afirmando que este seria o primeiro reality show pago pelo contribuinte. A parte do serviço público deve ser terem ido resgatar ao desemprego Luís Pereira de Sousa… Se a RTP fosse uma televisão privada, mudava de canal e assunto encerrado, mas pensar que um cêntimo sequer dos meus impostos serve para isto, deixa-me indignado, enquanto cidadão.  Privatização já!

Comments

  1. popy says:

    a finalidade do programa é, caso ainda não percebeu, fazer uma sátira aos reality shows. Somente o nome das pessoas que entram no programa é verdadeiro, o resto é tudo por guião/improviso. É tudo gravado e feito para parecer que vão passar a viver na casa durante aquele tempo todo.

  2. Ricardo says:

    É tudo a fingir…


  3. Pois! Já me apercebi que sim, que é tudo a fingir, mas ainda assim, embora não seja de facto um reality show, menos mau, continuo com relutância em aceitar enquadrar este programa como serviço público. E estão lá pessoas que admiro, misturadas com canastrões sem o mínimo de piada…


    • Se fosse um produto da BBC, já seria melhor?

    • ZehDread says:

      Ó António… fecha o blog… és ridículo. Este é o puro serviço público – gozar com tudo o que existe de mau nos verdadeiros reality shows!


      • Oh António… o Rei vai Nu… mas não digas a ninguém que te fica mal… para este bando de atrasados tu és um deficiente mental estúpido e ignorante.

        Eu odeio Non Sense e odeio todos aquele que o praticam. ODEIO. Sinto ÓDIO.

        Metam o Non Sense e enfiem-no pelo…

  4. popy says:

    Já acho um exagero pedir a privatização da RTP de cada vez que um programa não nos agrada.

    A RTP pode não ser o melhor serviço público de televisão, mas já pensou que se fosse privatizada, como ia a RTP “concorrer” com a SIC e a TVI?

    Em Portugal, concorrência significa copiar. Sendo assim, como o grande propósito das privadas é audiência/dinheiro, a programação para “concorrer” com a SIC e a TVI era copia-las. Para pior.

  5. Ricardo says:

    O que eu pergunto é porquê? O que é o mesmo que dizer “o que eu azulo é azul”… perdoem-me non sense…

    Porquê??? Ok é para ter mais audiências. Mas será que me vai fazer mais inteligente? Eu estou a imaginar, porque só posso imaginar eu a ver constantemente aquilo…

    MEDO

  6. Edgar says:

    Este post e alguns dos seus comentários conseguem ser quase tão épicos como o programa em questão…


  7. Uma pouca vergonha… uma pouca vergonha…

    Não havia necessidade de fazer uma sátira aos reality show. Acho que existem temas bem mais importantes do que satirizar os reality show…

    Este programa revela o seguinte:

    A Televisao Publica nao compreende o Papel de Educador que tem na Sociedade.
    A Geração Humorística Nacional com as suas ideias modernistas ou pós-modernistas não compreendem o papel que eles tem na Sociedade Civil.

    São duas entidade inúteis para a Sociedade Civil. Devem ser ambas erradicadas.

    A primeira deve ser privatizada e a segunda deve ser despedida imediatamente. Que façam Humor com o dinheiros dos grandes grupos empresariais.

    • ZehDread says:

      Miguel Boavida = Intelectual de Merda
      O que é que eu tinha dito ali atrás?… ah já me lembro: Morre!


  8. Não preciso da RTP para viver. A RTP nunca contribuiu para a minha felicidade… mas eu contribuí para a felicidade de muitas centenas de jornalistas, amigos, familiares, amigos políticos, etc. Por favor, dr. Passos Coelho, privatize essa RTP. JÁ!

  9. popy says:

    Nem toda a gente é do Benfica. Nem toda a gente gosta de bacalhau. Nem toda a gente gosta da cor amarela. Uns têem como carro de sonho o Bugatti Veyron, outros o Pagani Zonda F. Nem toda a gente acha piada aos Malucos do Riso ou aos Batanetes…
    Sou do Sporting. Prefiro uma francesinha (no Porto). Gosto da cor preta. O meu carro de sonho é o Ferrari 458 Italia. E não acho piada nenhuma aos Malucos do Risos e aos Batanetes…
    E não é por causa disso que eu acho que os gostos das outras pessoas tem que mudar.

  10. Virgínia says:

    A RTP abandalhou-se. Se o programa tentou ser engraçado falhou redondamente. O atirar de um bidé e um pneu a uma concorrente… outra a ser despejada de um camião… as asneiras do concorrente comprido… isto tem alguma piada? E o “programa” a ser transmitido à hora do aberrante “gordos” e do nojento “tribos”. Lá que os canais privados brinquem com a inteligência dos portugueses, vá lá….. agora um canal que se diz de serviço público a quem nós pagamos duas vezes; uma com o financiamento do Estado e outra na nossa conta da luz… merecemos mais consideração. Sinto-me roubada.

  11. Izieee says:

    O programa é tão bom que é incompreendido!

    Gonçalo Waddington, Bruno Nogueira, Rui Unas? G-E-N-I-A-L! Guiões escritos pelo JOão Quadros? ainda mais G-E-N-I-A-L!!

    Lamentavelmente, não é um humor básico, tipo o joãozinho na escola, ou as duas loiras na discoteca, como a família Mata ou os Malucos do Riso, por isso toca a exigir a privatização da RTP (coisa quase mais engraçada que a programa!!)

    Este programa, com estas pessoas, com este formato tem tudo para estar ao nível do CQC, ao nível dos Contemporâneos, ao nível de um bom programa de humor (não comédia)…

    Os portugueses levaram durante tanto tempo com o prédio do Vasco, os Batanetes, a VIP Manicure, etc, que agora nem reconhece um verdadeiro bom programa quando o vê!

    • Ricardo says:

      Hum? Será que aquilo não é só bandalheira? Será que tem enredo interessante? Se assim for, ainda sou capaz de dar uma cambalhotazinha. Mas acho muito dificil, até porque tenho tempo demasiado ocupado, infelizmente, para ver televisão. Não é que não veja, mas é muito pouca e a minha pausa “mente vazia” é mais dedicada ao futebol e Dr House… Porque todos nós de vez em quando devemos esvaziar a mente, sem qualquer ponto de ironia. Ainda sou capaz de desculpar a RTP se for esse o objectivo. Não podem é exagerar na dose…

    • nonsense says:

      Haja alguém que sabe o que é humor. Dá-me vontade de rir ver os comentários contra o programa. Realmente os portugueses deixaram de saber o que é humor…
      Sabe lá esta gente o que é “The office”; “Monty Phytons”, etc, etc, etc, etc.

      Nem vale a pena perder mais tempo

  12. Heidi Costa says:

    Vocês estão a falar de quê? Vocês ainda vêm televisão?

  13. Rui Marinho says:

    Piada disto é que quem escreveu o post nem sequer reparou que era uma sátira..

    🙂

    • nonsense says:

      Claro. Porque não tem inteligência para atingir o que é humor. Nem atinge a diferença entre o real e a ficção

  14. Grísio Cacir says:

    Por mais satírico que seja, tudo tem limites: ver um grupo de grosseirões durante meia hora a dizer palavrões gratuitos, a insultar a dignidade das mulheres, a exibirem-se no seu pior, com porcarias tais como urinar no espaço de convívio, é para mim razão suficiente para exigir o cancelamento imediato do programa. Isto não é serviço público! Não sugiro a privatização da RTP antes o saneamento dos que a estão a corromper.

    • nonsense says:

      Tenha juízo

      • popy says:

        Ainda bem que é satirico. Porque sendo a intenção de recriar um verdadeiro reality-show, não os vamos ver a sentados a rezar em todas as emissões do prgrama, ou a fazer tele-escola. Ou ainda não percebeu isso?

        Provavelmente a RTP devia cancelar o programa e comprar os Malucos do Riso ou os Batanetes não?

        Numa altura que a RTP inova com este programa, muita gente pede a sua privatização. Para quê? Em vez do Ultimo a Sair, ser o Survivor? O Acorrentados? O Ai os Homens?

  15. joao telles says:

    privatização já ………..
    já vi que ira votar no Passos Coelho nas proximas eleições e que uma vez mais la vamos todos contentes salvar a SIC da falencia (do fundador do PPD/PSD Pinto Balsemão) já agora porque tambem não diz mal da RDP e assim ira tambem ajudar o Monteiro genro do Cavaco.
    creio que fazer humor tambem é SERVIÇO PUBLICO podemos não gostar mas lamento informa-lo mas É .
    gustaria tanto de entender porque sera que sempre que o PSD esta perto e sonha com o govermo a RTP e RDP vem sempre a berlinda (é algo parecido com o caso dos submarinos e Paulo Portas as portas de eleições).
    somos mesmo um pais pequenino em tamanho e muito grande em hipocrisia.


    • Bastará ler o post que escrevi ontem, ou outros anteriores, para perceber que não voto em PPC. E não voto, porque não acredito que ele cumpra as promessas. Por mim privatizava praticamente todas as empresas, à excepção dos monopólios naturais, justiça e segurança. Mas prefiro PPC ao misto de Pinóquio e Calimero, que governa Portugal há 6 anos, isso não tenha dúvidas. Mas isto já é outra questão, que nada tem a ver com este post…

  16. João Gago da Câmara says:

    Amigo António de Almeida

    Uma coisa é emitir opiniões, outra é distorcer completamente a realidade, mesmo sendo um blog da sua autoria.
    Este programa é um programa cómico como muitos que existem ou já existiram e que obviamente satiriza a realidade. O tema escolhido foi a vivencia de um reality show como poderia ser de um clube de futebol ou da Assembleia da República.
    Ainda bem que a RTP tem este programa, porque o humor também é serviço publico e como contribuinte também tenho direito a assistir programas deste tipo para os quais também pago.
    O tempo da censura já lá vai, não contando com a atitude completamente RIDÍCULA quando censuraram o “humor de perdição” do Herman.


    • Nunca defendi censura, fosse onde fosse!… Mas essa questão leva-nos longe, enquanto contribuintes temos todos o direito a assistir a todo o género de programas, o que me leva a questionar, onde fica o serviço público? Para quê uma estação pública de televisão? Para cúmulo, deficitária…


  17. Discordo. Trata-se de uma peça de teatro que pretende satirizar os reality shows, esses sim, não tem a qualidade exigida para figurar numa estação pública de televisão. O “ùltimo a sair” tem qualidade, está recheado de talentos e foi (para mim) uma excelente aposta da RTP. Quem não percebe isto, ou o estilo de humor do programa diz que não tem “perfil” de serviço público. Neste país critica-se o que é bom, talvez por inveja…


  18. Só ontem me cruzei com o programa, e fiquei pior que estragado comigo próprio: a dupla Nogueira/Quadros tem um programa novo, e eu a perder o melhor do humor nacional.
    Verdadeiro serviço público. Se for preciso pago mais para ver.


    • Meu caro, escrevi o post poucos minutos após começar o programa, como pode ser facilmente comprovado pela hora da sua publicação, já o expliquei anteriormente, pelo que nem percebi que se tratava de um programa de humor. Poderá ter sido falha minha, mas a realidade é que aquilo não tinha graça nenhuma, até foram buscar sei lá onde, o Luís Pereira de Sousa. Mudei de canal e voltei ao programa mais tarde, aí já com o elenco completo, é que percebi (ver a minha 1ª resposta) que não era um verdadeiro reallity show.
      Mas continuo a pensar que o programa em primeiro lugar, é fraco, segundo não é serviço público.
      Para esclarecimento de algumas mentes iluminadas que por aí andam, conheço e aprecio o humor de João Quadros, comecei a vê-lo fazer stand-up para aí em 2002 ou 2003, não posso precisar, mas pela mesma altura em que conheci Ricardo Araújo Pereira ou Bruno Nogueira, este ainda integrado nas “Manobras de diversão”. O Rui Unas conheço há mais tempo, sou espectador assíduo de todos eles, e já os vi fazer bem melhor. Poderá ser o formato, não sei… Até o Gonçalo W. que era um espectáculo nos Contemporâneos, esse sim, um programa de humor bem conseguido, ali esteve fraco…
      Mas farei questão em ver outro episódio, oxalá mude de opinião, mas aquilo foi francamente… fraco!


  19. Vi os Contemporâneos desde o 1º e posso garantir que foi superior a este, percebi depois, como agora, que o objectivo era a sátira, mas insultos gratuitos, piadas sem nível e linguagem grosseira e agressiva, francamente está ali gente capaz de fazer bem melhor. A começar pelo João Quadros, que costuma ser corrosivo, brutal, mas assertivo, aguardemos. Domingo tentarei ver…