hippies e natureza

Tchaikovsky Rococo Variations

O que as pequenas comunidade hippies têm para ensinar aos citadinos que concerne ao respeito pela mãe natureza.

Com todo respeito pelos hippies que amam a natureza e moram conforme ao que a natureza dá, gostava comentar que o ser humano tem evoluído através da História e diversas maneiras, até chegara ser o que agora somos. Ainda mais, dentro da nossa era como ser humano, desde os tempos antes de Cristo, que é a palavra-chave para dividir a evolução actual, muito tem mudado o ser humano em crenças, hábitos, costumes e sabedoria. Calcula-se em Há cerca de 70.000 anos atrás, surgiu o Home sapiens, do qual existem numerosas amostras. Ele teria se apresentado em duas superfícies:

existem numerosas amostras. Ele teria se apresentado em duas superfícies: Homo sapiens neanderthalensis e Homo sapiens sapiens.

O primeiro, homem de Neandertal, foi descoberto no vale de Neander, próximo a Dusseldorf, sendo da constituição forte, cuja altura variava de 1,50 a 1,60m. A evolução A problemática a controvertida a evolução humana pode ser assim esquematizada:

o humana pode-se sintetizar com o  desenho de cima. São esses 70.000 anos mencionados, que têm mudado as formas de acção e de interacção entre os seres humanos. Ao longo de esse tempo, várias teorias têm-se desenvolvido para explicar a criação e evolução do ser humano. Pode aceder a ligação http://pt.wikipedia.org/wiki/Antropog%C3%AAnese , para sintetizar as várias ideias e teorias, especialmente a Criacionista, que reclama ser o primeiro texto escrito em que consta a criação do ser humano a seguir Lamarck, ou Jean-Baptiste Pierre Antoine de Monet, Chevalier de Lamarck (Bazentin, 1 de agosto de 1744Paris, 28 de Dezembro de 1829) foi um naturalista francês que desenvolveu a teoria dos caracteres adquiridos, uma teoria da evolução agora desacreditada. Lamarck personificou as ideias pré-darwinistas sobre a evolução. Foi ele que, de facto, introduziu o termo biologia.

Jean-Baptiste Pierre Antoine de Monet , nascido a  1 de Agosto de 1744, em

Bazentin .Morte 28 de Dezembro de 1829 (85 anos) Paris  Nacionalidade  França  Ocupação Naturalista

 Charles Darwin era Naturalista britânico, inicia estudos de Medicina e de Teologia, mas em 1831, aprende bastante de Botânica, Entomologia e Geologia, é recomendado para uma expedição científica a bordo do Beagle. A volta ao mundo do Beagle dura cinco anos, durante os quais Darwin forma a sua colecção de naturalista, acumula observações práticas e modifica os postulados teóricos básicos da ciência biológica da época. Aos 27 anos, de regresso a Inglaterra, decide dedicar a sua vida à ciência. Em 1842, com a herança paterna, retira-se para uma casa no campo, onde vive consagrado ao estudo até à morte.   

No estudo A Origem das Espécies formula a teoria da evolução dos seres vivos mediante uma selecção natural que favorece nos indivíduos variações úteis na luta pela existência; estas variações transmitem-se, reforçadas, aos descendentes.   

Charles Darwin formula a doutrina evolucionista, segundo a qual as espécies procedem umas das outras por evolução. Em virtude da selecção natural sobrevivem os indivíduos e as espécies melhor adaptados. Estas ideias revolucionam as concepções biológicas da sua época.   

A esta obra segue-se A Origem do Homem, em que aprofunda a sua teoria sobre a descendência do homem e do macaco de um antepassado comum.

No estudo A Origem das Espécies formula a teoria da evolução dos seres vivos mediante uma selecção natural que favorece nos indivíduos variações úteis na luta pela existência; estas variações transmitem-se, reforçadas, aos descendentes.   

Charles Darwin formula a doutrina evolucionista, segundo a qual as espécies procedem umas das outras por evolução. Em virtude da selecção natural sobrevivem os indivíduos e as espécies melhor adaptados. Estas ideias revolucionam as concepções biológicas da sua época.   

A esta obra segue-se A Origem do Homem, em que aprofunda a sua teoria sobre a descendência do homem e do macaco de um antepassado comum.

Mais uma vez, podemos dizer que a evolução do ser humano não para e desenvolve-se ainda dentro da nossa própria história.

Diversas formas de vida aparecem dentro da nossa própria cronologia.

Uma delas, e a forma de vida adoptada por jovens dos anos 60 do Século XX, que viviam conforme as leis da natureza, repletando aos outros seres humanos, praticando o amor livre ou uniões carnais e eróticas, conforme o vento virava. Os hippies foram capaz de mostrar aos citadinos formas de vida serena, abstémia, a viver em grupos pequenos, com mudança de acasalamento heterossexuais ou bissexuais conforme as suas emoções indicarem. O que ganhavam, era repartido pelo pequeno grupo, e se outro pequeno grupo estiver em apertos de pobreza, retiravam do pouco que tinham, bens de, ajuda para auxiliar ais mais desamparados.

O termo derivou da palavra em inglês hipster, que designava as pessoas nos EUA que se envolviam com a cultura negra, e.x.: Harry The Hipster Gibson. Em 6 de Setembro de 1965, o termo hippie foi utilizado pela primeira vez, em um jornal de São Francisco, um artigo do jornalista Michael Smith. * A eclosão do movimento se deu em consequência do surgimento da chamada Geração Beat, os beatniks, uma leva de escritores e artistas que, primeiramente, assumiram os comportamentos copiados pelos hippies.

Com a palavra “beat”, John Lennon, transformado em um dos principais porta-vozes pop do movimento hippy, criou o nome da sua banda – The Beatles. Tanto o termo beatnik como o termo hippy assumiam sentido pejorativo para a grande massa norte-americana . O grupo nos anos 60, quando tive a sorte dos conhecer em Liverpool, na época em que eu cursava um Diploma em Ciências Urbanas

Nos anos 60, muitos jovens passaram a contestar a sociedade e a pôr em causa os valores tradicionais e o poder militar e econômico. Esses movimentos de contestação iniciaram-se nos EUA, impulsionados por músicos e artistas em geral.

Os hippies defendiam o amor livre e a não-violência.

O lema “Paz e Amor” sintetizam bem a postura política dos hippies, que constituíram um movimento por direitos civis, igualdade e anti-militarismo nos moldes da luta de Gandhi e Martin Luther King, embora não tão organizadamente, mantendo uma postura mais anárquica do que anarquista propriamente, neste sentido.

Como grupo, os hippies tendem a viver em comunidades colectivistas ou de forma nómada, vivendo e produzindo independentemente dos mercados formais, usam cabelos e barbas mais compridos do que era considerado “elegante” na época do seu surgimento. Muita gente não associada à contracultura considerava os cabelos compridos uma ofensa, em parte por causa da atitude iconoclasta dos hippies, às vezes por acharem “anti-higiênicos” ou os considerarem “coisa de mulher”. Era a opinião dos de fira do grupo dos citadinos, que aprenderam com eles esse lema de Paz e Amor

Foram os hippies os que protestaram maximamente contra a guerra do Vietname, juntado forças com outros movimentos, até dar cabo dela.

 Músico trajado ao estilo hippy.

I denominado grupo civil que detestavam este grupo, acabou por calar ai reparar na serenidade, falta de desejo de estabelecer guerras sem sentido.

O movimento de Paz e de Amizade deste grupo, ensinou aos citadinos o que o grupo pretendia: trabalho, serenidade, música e alegria.

É o que os hippy pretendiam: ganharam, estendendo-se o seu comportamento por tido o mundo.

É p que este movimento pode ensinar ais citadinos: alegria, música e serenidade, sem nunca deixar de trabalhar para ganhar a vida, trabalhos sério, como os que conheci em Liverpol e Londres, luta pela igualdade, especialmente da mulher que era de segunda mão na sociedade saxónica.

Foi difícil, eram menosprezados, mas ganharam porque salvaram da morte aos filhos dos citadinos que eram enviados a guerras sem outro sentido que o comércio das armas, o lucro do petróleo roubado aos países proletários, com desculpas da existência de ditaduras que apenas estavam a defender o seu território de países vizinhos que matavam pata acumular alto lucro. Eis porque Obama acabou definitivamente a guerra do Golfo, devolveu o que não era seu e acalmou as tribos do Irão e do Iraque: havia outras guerras que acalmar. O exemplo hippy muito ensinou… Por volta de 1970, muito do estilo hippy se tornou parte da cultura principal, disseminando a sua essência por todas as áreas das sociedades actuais. A liberdade sexual, a não-discriminação das minorias, o ambientalismo e o misticismo actual são, em larga medida, produto da contestação hippy.

No entanto, a grande imprensa perdeu seu interesse na subcultura hippie como tal, apesar de muitos hippies terem continuado a manter uma profunda ligação com a mesma. Como os hippies tenderam a evitar publicidade após a era do Verão do Amor e de Woodstock, surgiu um mito popular de que o movimento hippie não mais existia. De fato, ele continuou a existir em comunidades mundo afora, como andarilhos que acompanhavam suas bandas preferidas, ou às vezes nos interstícios da economia global. Ainda hoje, muitos se encontram em festivais e encontros para celebrar a vida e o amor, como no Peace Fest e nas reuniões da família arco-íris.

Eis o que os nossos jovens nos ensinam e nos aceitamos…É o legado do movimento