Os títulos da imprensa depois de conhecido o governo

Expresso Expresso Público DN

i CM  JN O Primeiro de Janeiro

De todas as manchetes, a do Expresso é a mais negativista. O DN passa um título neutro mas ligado a uma imagem negativa. Público, i, CM, JN e PM são mais ou menos neutros, com alguns toques de positivismo.

No comentário político, tenho repetidamente ouvido o argumento da “falta de experiência”, associado também à nota das recusas de convites. Quanto a este último aspecto e não me parecendo que quem convida terá interesse em anunciar que levou uma tampa, creio que são os próprios convidados (ou que se fizeram de convidados) que aventam as recusas em causa. Não os move o interesse do país, portanto, e ainda bem que não fazem parte do governo, assim sendo.

Quanto à falta de experiência, é de recordar que todos terão este “defeito” até terem passado por cargos governativos. No meu entender, são posições de mau perder e incapacidade de reconhecer que os eleitores votaram na escolha de um novo elenco governativo e não na continuidade das habituais caras.

A seguir, as capas de hoje dos jornais em causa.

Expresso  Público DN

i CM JN

O Primeiro de Janeiro

Comments

  1. Prefiro o topo da página do Correio da Manhã.

  2. Foram buscar 4 independentes para os 4 grandes problemas do país – Economia – Finanças – Saúde – Educação!! O que prova que só sem cor politica (sem lobbys, ladroagem, incompetência e crime) é possivel arrumar a casa. Caso estes quatro ilustres não façam o seu trabalho, isto corre o risco de fechar…

    http://espacopoupanca.blogspot.com/

  3. Muita da elite comentarista nacional ainda não recuperou do seu estado após as eleições legislativas em que os resultados obtidos pela maioria de direita não correspondeu às hipóteses avançadas pelos nºs dados pelas sondagens. Agora novamente, de boca aberta, após muito salivar na ânsia de saber qual o novo elenco governativo, e de muitos palpites totobolíscos a mesma elite chocou-se por não ver-se agraciada nas suas apostas. Mesmo assim, fez-se vingada de repente, como quem não quer dar o braço a torcer como parte fraca, lançou-se de cabeça à não-notícia, ou seja, às possíveis “negas” para defender a sua linha de racicionio anteriormente avançado. O que demonstra que este governo está apostado em seguir uma linha de formação em tartaruga no que respeita ao controle de informação dentro do seu núcleo governativo.

  4. Lawrence says:

    Blá,blá,blá!!!
    Toca a trabalhar mas é!
    No fim se vê quem é bom e quem foi flop, seja independente, partidário ou assim-assim!
    Faço (de joelhos!) votos para que sejam todos muuuuuito bons!
    Ou isto vai tudo para o “esbéléléu”!
    Àh! deixei de comprar jornais após as eleições e até achar que sim!

  5. Nuno Castelo-Branco says:

    Querem gente com muita experiência? Aqui está uma lista de genialidades muito experientes:
    Vara dos robalos, o Coelhone dos betões, o “Já-Mé” da margem Sul, o Dias Loureiro das férias em Cabo Verde, o Isaltino do sobrinho suíço, o Sr. Cavaco do fecho das pescas e da agricultura, o Duarte Lima da amiga de Tomé Feteira, etc, etc.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.