O Dão já tem uma ecopista!

Abençoado país este este!
Primeiro acabam com o caminho de ferro, com a desculpa de que é custosa a sua manutenção. Arrancam as linhas e extinguem a mobilidade transversal, ou seja um meio de transporte que servia a maioria dos cidadãos, dos 8 aos 80.

Depois aterram o canal da linha e asfaltam-no. Pagam 5 milhões de euros e dão-lhe o nome de ecopista. Tudo limpo e arrumadinho. Escondido o que outrora foi o progresso, aguarda-se a enchente de ciclistas.

Falta é algo importante. No interior desertificado e envelhecido, nem todos têm ou bicicleta ou saúde para percorrer quilómetro segundo o life style destes amorosos e idiotas técnicos que vêm o mundo a partir do gabinete das comissões de coordenação.

Ofereçam-se, pois, uns velocípedes a esta gente! Encham-se as aldeias do Dão com veículos de duas rodas!

O que pensam presidentes das câmaras acerca disto? ah! para esses tantos lhes faz que exista caminho de ferro ou asfalto, que os munícipes andem de bicicleta ou carroça, desde que haja, no final disso tudo, um larguinho jeitoso para instalar o palanque e a fitinha vermelha para cortar.

E assim pedalamos nós (os do Dão e todos os outros, menos os técnicos e os políticos) alegremente para o fim.

Comments

  1. Queriam brincar aos comboinhos? Comprem um automóvel!

  2. Com ou sem o fita vermelha, precisamos de muitas pistas para ciclistas e peões para serem usadas diariamente e não apenas em dias de palanque.

    • Sou o adepto número um das ciclovias. Sobretudo as que roubam espaço aos automóveis. Mas não as que, em contexto rural, aproveitam linhas de comboio desactivadas e ficam às moscas.

      • É uma questão de contar as moscas 🙂
        Cinco milhões não é muito se o equipamento for utilizado. Não me informei sobre o projecto, mas imagino que o financiamento tenha sido garantido através do argumento “património” em vez do argumento “utilização”, e esse poderá ser um ponto negativo.

  3. se fosse uma copopista tá bem, agora uma ecopista não me convence…modernices

  4. Não sejam “velhos do restelo” … infra-estruturas destas fazem falta em qualquer lado e esta, em particular, é um verdadeiro espectáculo e um enorme incentivo para práticas saudáveis e em plena harmonia com a Natureza. Goste-se ou não do ciclismo, goste-se ou não de percursos pedestres e de caminhadas, esta ecopista vale cada cêntimo que lá foi empregue. Parabéns Municípios de Viseu, Tondela e Santa Comba.

    • Velho do Restelo? Por achar que o comboio significa desenvolvimento sustentável e por achar que uma ecopista não substitui uma via-férrea? Se isso é ser velho do restelo então sou sim. E com orgulho. É por causa de obras destas que o interior país está desertificado e o país em si na bancarrota.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: