Quem dá aos colégios empresta a Deus?

O governo decidiu aumentar em de 80000€ para 85000€ o financiamento do ensino privado por turma, aumentando igualmente o número de turmas subsidiadas sem ter em conta a concorrência desleal (porque muitas escolas privadas seleccionam os seus alunos) com o ensino público.

Como ficou a seu tempo demonstrado o custo de uma turma no ensino privado pode ficar por 73.920 euros, ou menos, dependendo das ilegalidades que se vão cometendo sobre os professores que ali trabalham.

Não tenho grandes dúvidas de que os 5000 euros/turma irão direitinhos para o lucro dos empresários  e fiquemos assim com mais uma certeza no que toca ao apregoado liberalismo coelhista: o governo gasta mais, sustenta o empreendedorismo e ataca o próprio estado.

É fartar vilanagem.

Comments

  1. Kouz says:

    Eu vi a imagem de Coelho numa hóstia!

  2. Kouz says:

    Era uma hóstia feita à base de farinha de giz…

  3. madalena says:

    não. quem dá o que custa um aluno no público ao privado empresta à educação diversificada. e até acho que ainda vai tirar lucro do empréstimo.
    e , se quer que lhe diga , não gosto nada de financiar um ensino público brincadeira virado prós professores. é que , como contribuinte , prefiro ver resultados do roubo que me fazem. e confio mais nos colégios de “deus” ( têm dado provas que educam pesssoas) , do que nas escolas dos cromos que me fazem empobrecer todos os dias e que criam pessoas que acham que basta existir para ser.

  4. Phineas says:

    Bem, depois de algum tempo tenho que concordar consigo. No Colégio S. Martinho mandaram embora professores de LP e ficaram lá duas professoras desta disciplina já aposentadas!

  5. Phineas says:

    Isto para não falar do facto de no 2.º ciclo só haver 1 professor no E.A. e para não referir que meteram um professor de História no quadro, mandando outro embora, só porque faz parte da Junta de Freguesia de S. Martinho e é um possível futuro presidente da Junta!!


    • Posso por vezes não ter sido muito claro, mas também tenho amigos que trabalham no privado, e sempre soube o que passam. O meu alvo nunca foram os meus colegas, e até dou um desconto a quem se defendeu com unhas e dentes, que em tempo de crise as solidariedades são escassas. O facto é que defender o patrão nem sempre defende o posto de trabalho,
      Tenho ouvido casos como esse, de uma desumanidade, que Deus (em quem não acredito) me livre.

  6. Phineas says:

    Pois é caro João José! Quando nos apercebemos de que o patrão afinal é uma desilusão, um mercenário, apenas interessado em manter a sua fatia, traindo o humanismo, a solidariedade, a vida das pessoas para manter a sua parcela de lucro, cai-nos tudo!!!!
    Desculpe lá qualquer coisa… Etou completamente desiludido com a Educação e com a vida!

Trackbacks


  1. […] Publicado em 18/08/2011 por J. Mário Teixeira Ao ler o título do texto do nosso JJC, uma dúvida assaltou o meu espírito: se o povo afirma que “quem dá aos pobres empresta a […]

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.