Pequenos furtos, grandes trabalhos

Um pequeno furto de 1,75 euros, ou 6 embalagens de chocolate furtados por um sem-abrigo, ou um frasco de descafeinado que uma reformada tentou roubar no Lidl, “podem custar aos ‘criminosos’ e ao Estado muito dinheiro”.
Como li PÙBLICO, “Pequenos furtos desencadeiam milhares de processos milhares que podem durar anos nos tribunais”.
Não está certo roubar: é crime. Mas estes pequenos furtos, de valores insignificantes, poderiam ser resolvidos de uma forma mais prática e rápida e sem prejuízos para todos nós: será necessário comunicá-los todos às autoridades? Em seis meses a PSP recebeu quase 800 denúncias de furtos.
Um sem-abrigo e o chocolate… não se compreende? Vivem na rua, não têm morada fixa, torna-se complicado notificá-los. É ridiculo, é ridículo, que a polícia perca tempo à procura do homem que roubou chocolates. Uma senhora que se quer dar a um pequeno luxo de beber um descafeinado ou de tingir o seu leite e de lhe dar sabor nos dias de dificuldade, acaba por deitar tudo a perder, condenada a «ter de roubar» para pagar as custas do processo. Um desvario de 2, 98 euros traduz-se num pesadelo de 642 euros.
Em tempo de crise que vivemos, em que o desemprego deixa muita gente na pobreza e na rua, e em que as reformas são um insulto, não haverá tribunais suficientes para dar resposta  a tantos processos.
Roubar não está certo, mas o castigo tem que ser proporcional ao crime e adequado ao criminoso (é um insulto chamar criminoso a quem quer comer e não pode)…
Há crimes bem mais graves e no entanto…

Céu Mota

4 comentários em “Pequenos furtos, grandes trabalhos”

  1. É o conceito de justiça que tem quem andou anos a estudar à custa do erário público para depois legislar sem nexo ou decidir sem honra!

  2. Crime e vergonha é esta sociedade permitir que alguém tenha de roubar para sobreviver.

    Quanto à nossa justiça é uma autêntica comédia!! Quando os futuros advogados e juízes nem copiar nos exames sabem podemos estar tranquilos.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.