Alterne espanhol

Hoje houve alterne no estado vizinho, procedendo-se à rotineira troca de moscas (pese que a mosca que estava teve alguma decência na reabilitação da memória histórica).

Além de registar os bons resultados da esquerda basca, a despeito da repressão do estado central e do facto de por vontade dos neo-falangistas nem concorrerem, e das esquerdas em geral, hoje é um bom dia para anotar a euforia da direita neo-salazarista, entretida como anda na culpabilização dos governos que estavam por uma crise que é internacional (esquecem-se sempre da Grécia, da Irlanda e da Itália, mas a verdade é uma meia que eles lá calçam à sua maneira). Deixem-nos ficar felizes com a vitória de um partido de narcotraficantes, passa-lhes num instante. Com o último dos PIIGS à beira do abismo bem depressa teremos a vizinhança ainda pior do que está e a Goldman Sachs já deve ter um substituto na forja.

Mundo de Aventuras

O Conto deste Natal

E agora boas-festas, Feliz Natal, e um Ano Novo cheio de necessidades…

Vorisbian


O João José Cardoso, meu irmão de armas e de copos, tem um espaço novo no wordpress. Por agora é apenas um quartinho e chama-se Vorisbian, nome do surrealista e anarquista francês que viveu, brevemente, entre 1920 e 1959.
Ninguém espere que o João José Cardoso vá para o seu novo espaço escrever o que escreve no Aventar. O seu contrato nem sequer o permite. Ou muito me engano ou vamos ter por ali um espaço bem alternativo para todos aqueles que estão completamente fartos disto. E isto, todos sabemos o que é.
Que sejas feliz por lá, irmão.

Cinco argumentos ridículos: do atentado à anedota

Plano Nacional de Barragens: um desastre que nos há-de custar 16 mil milhões de euros.

Finalmente, ao fim de quatro anos de esforços de organizações ambientalistas e populações locais, começou a haver algum debate público sobre o programa nacional de barragens (PNBEPH).Em prol da verdade, vale a pena desmontar alguns argumentos que a propaganda oficial e articulistas mal informados têm vindo a atirar para a arena mediática.

Argumento ridículo 1 – “O investimento é privado.” O investimento inicial nas nove grandes barragens apro­vadas pelo Governo ascende a 3600 M€, o que, somado aos custos financeiros e ao lucro das empresas de elec­tricidade, gerará um encargo global estimado em 16.000 M€ ao longo de 75 anos – que obviamente será pago na totalidade pelos cidadãos-consumidores-contribuintes. Parte deste custo será reflectido na factura da electricida­de, e parte nos impostos, para suportar o défice tarifário e a “garantia de potência” estabelecida na Portaria n.° 765/2010. O que importa é que, entre tarifa e impostos, as novas barragens implicarão um aumento superior a 10% no custo da electricidade. [Read more…]

Surrasqueira Silva

Um dia vou ter uma surrasqueira para fazer uns surrascos à moda do Minho mas tem que ser inaugurada por alguém Excelente. Seria uma honra.

A (des)sigualdade da criança

Crian%C3%A7as+pobres.jpg

 

A problemática que a educação deve confrontar

O estatuto socioeconómico dos pais é determinante do incremento da (des) igualdade fisiológica das crianças denominadas de educação integrada ou especial.

Parece-me evidente que, ao falarmos em criança, estamos a pensar num ser humano novo, rechonchudo, de riso aberto, olhos azuis, cabelo encaracolado, impossível de atingir na sua rápida corrida. Ou, num pequeno que adora esconder-se dos adultos, ouve histórias lidas à noite, sabe contar contos e é espontâneo a colocar os seus braços em redor do nosso pescoço. Ou nessa pequena menina que brinca a ser mãe e canta às suas bonecas as suas preferidas canções de embalar. O mundo ideal, de tipo Huxley. Raramente a verdade. Ou, por outra, verdade que atribuo mas não concerta com o mundo material. [Read more…]

Hoje dá na net: Felidae

Felidae: Filme de animação, pouco conhecido mas de grande qualidade. Trata-se de um filme de gatos, assassínio e mistério. Página no IMDB. Em alemão, legendado em inglês, também há disponível uma versão dobrada em inglês. Notem, não se trata de um filme para crianças.

%d bloggers like this: