Hoje dá na net: Programado para avariar…

…ou OBSOLESCÊNCIA PROGRAMADA. Baterias que deixam de trabalhar ao fim de dezoito meses, lâmpadas que fundem ao fim de mil horas, impressoras que param de repente, veja como a indústria programa os objectos de forma a terem curta duração ou a avariarem propositadamente, com o fim de o fazerem comprar um novo. Perceba porque é mais barato deitar fora do que mandar consertar. Compare o discurso “verde” e “ecológico” das empresas com a sua prática, veja como algumas tecnologias regridem e pioram os desempenhos, e constate o óbvio: é feito estudadamente e com precisão para avariar.

Comments


  1. Não não – o meu é de “pilhas” ———— risos ao longe

  2. Konigvs says:

    A verdade é que antigamente tudo durava uma vida inteira. Agora é tudo orientado para as vendas, até os modelos dos carros ficam descontinuados muito rapidamente ou então sobrem pequenas alterações estéticas enquanto não sai o novo modelo. Tudo isto para levar as pessoas a acharem que já estão com algo velho, sem “status”, para despacharem o carro “velho” e comprarem um novo.

    E as coisas são preparadas para, pelo menos durarem os dois anos da garantia, porque se avariarem antes também é uma chatice porque a assistência técnica também tem os seus custos, muitas das vezes até se tem de substituir o equipamento, que terá de ter mais de dois anos de garantia.

  3. Jota says:

    Não será por cause desta estratégia de durabilidade limitada que os produtos são mais baratos agora que antes, de certeza que serem fabricadas na China pela mão de obra naus barata não é a única explicação, os “ingrediente” dos produtos também são outros, comparando com o “antigamente”.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.