SNS: A reforma à Macedo (II)

reforma do SNS (2)

A equipa do Ministro Paulo Macedo é constituída por génios. Prova de que estão atentos à necessidade de racionar, é o recurso a um sistema de sorteio na distribuição dos medicamentos. O que há é pouco e o medicamento como prémio é dado a quem a sorte aleatoriamente contemplar. E os outros? Sofrem e possivelmente alguns morrem. Sem remédios, não há outro remédio.

Comments


  1. Os especuladores é que têm que ser pagos, nem que seja com comprimidos…

  2. Margarida Alegria says:

    mfc,
    para esses há sempre “comprimidos”.
    Se fossem trocados por uns de cianeto, quem sabe este panorama mudaria… 😉

  3. Margarida Alegria says:

    digo, para os especuladores, claro. Não para quem tem o azar de estar doente no nosso SNS.


  4. mais vale macedo pagão

    que urgência atulhada de calão é que a urgência no privado já custava 19,50 tava caro

    mais valia esperar 6 horas com um dedo partido ou uma entorse do quadricípete…

    ou um tercolho num colh….o escolho o privado se posso

    se tenho ADSE ou cartão da GNR ou ministério da Justiça

    leva a gaja à pílula do seguinte dia…em urgência não requisitada

    mas as salas da urgência continuam cheias de gente com gripe…

    e a sala nã é quentinha mas é de graça…aqui anda tudo i sento ai sento sento


  5. o pessoal isento e com gripe leva receita mas infelizmente não leva comprimidos nem ambroxol…

    só pessoal que ganha pneumonia via sala de espera

    ou tuberculose porque tuberculoso multi-resistente tamém nã paga…e anda sempre em recaidas ou por dormir ao relento ou por precisar de metadona que o cavalo tá caro e anda muita concorrência no gamanço

    e nem toda está no SNS


  6. Não há outro remédio???????

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.