A brutalidade da PSP e o silêncio dos coniventes

Ao longo do meu percurso de vida desde a adolescência, sempre tive com a PSP uma relação de indiferença, distanciamento e de contido asco. Começou no final de tarde do dia 1 de Maio de 1962, mais precisamente. Eu e um colega de trabalho, ambos ‘teenagers’, descemos a Rua da Prata, em Lisboa, em direcção ao transporte e, de súbito, deparámo-nos com uma manifestação contra o regime salazarista, no Terreiro do Paço; a organização e a realização eram por nós ignoradas.

Sem que tivéssemos ensaiado quaisquer gestos ou brados, fomos inesperada e cobardemente agredidos por dois agentes da PSP. Pusemo-nos em fuga, um para cada lado. Todavia, o meu amigo E., soube depois, ao ser marcado por um jacto de tinta azul, lançado por uma viatura especial da PSP, acabou por ser detido e enviado para a Prisão de Caxias, cerca de 1 mês.

Com efeito, nesse dia, 1 de Maio de 1962, contraí uma espécie de virose vitalícia contra a PSP e quem a dirige. Desprezo-a sempre e, na minha vida pessoal, felizmente nunca necessitei dos seus préstimos, nem jamais tive problemas com semelhante gente, a não ser  duas ou três multas por estacionamento irregular; as quais paguei, naturalmente.

Ao aperceber-me da feroz investida de ontem da PSP, na Rua Garrett, ao jeito de cavalaria selvagem, confirmei, uma vez mais, ter colocado a referida instituição na prateleira certa. A carga policial sobre jornalistas em serviço e indefesos foi a expressão mais abjecta de um atentado da própria autoridade contra a democracia.

Dos comentadores políticos, em especial muitos dos mobilizados pelo ministro Relvas, já vi e ouvi as mais estrambóticas explicações. Outros, governantes, parlamentares afectos aos partidos do governo e severos críticos da greve, foram sufocados pelo mais silencioso silêncio – ‘O Silêncio dos Coniventes’, chamemos-lhe assim.

(Adenda: Chama-me à atenção o comentador #19 unrantiapt que omiti que manifestantes e turistas foram igualmente alvo de violência policial, e não apenas jornalistas. Tem toda a razão, e o que afirmo em relação aos repórteres espacandos é extensível a manifestantes, turistas ou até simples transeuntes, como é demonstrado por inúmeras imagens).

Comments


  1. Sobre as cenas de pancadaria de ontem, não sentiria menos indignação se fosse descarregadas em vez de jornalistas sobre um sindicalista de colete vermelho, ou outra pessoa qualquer que ali estivesse. Não se faz.
    Os polícias são pessoas como as outras, mas devem ter formação adequada para lidar com estes acontecimentos e serem comandados por pessoas capazes para tal.
    Apurem-se as responsabilidades, testemunhos e imagens não faltam.

  2. Manuel Correia says:

    GOSTARIAM ESTES SENHORES, QUANDO DESPEM AS FARDAS, COLOCAM MÁSCARAS NA CARA, E SAEM PARA A RUA FAZER TAMBÉM AS SUAS MANIFESTAÇÕES, QUE OS CIDADÃOS COMUNS, QUE SOMOS NÓS TODOS, NOS ARMÁSSEMOS DE VARAPAUS, CACETES, PEDRAS E DEMAIS ARTIGOS (À FALTA DE ARMAS), E OS DESANCÁSSEMOS TAMBÉM, PARA ELES SABEREM O QUE É BOM? DE QUE É QUE ESTE POVO “MANSO” ESTÁ À ESPERA? GARANTO QUE UM DIA DESTES TUDO ISTO VAI TER UM FINAL TRÁGICO…

  3. Camarada says:

    Morte à bófia…

  4. ´Luís Moreira says:

    Aqui no Bairro do Pica Pau amarelo andam sempre atrás da gente e estamos todos desempregados.

  5. António Meireles says:

    Temos que formar umas FP-25 novas e fuzilá-los todos e aos deputados junto. E aos autarcas aqui de Almada.

  6. Guarda nº 18.496 says:

    Eu só levei com uma garrafa nas fuças e tinha amortecedor logo , acho que foi exagerada a resposta e eram só 150 e nós mais de 1000 quase 2000 se considerarmos a municipal.

  7. Guarda nº 23.862 says:

    Eu dei só uma traulitada naquele que me amandou o sangue para cima e não foi por causa da pedrada nem do petardo, o gajo parecia ter SIDA e eu cá sou como vocês muito macho.

  8. Guarda nº 4.321 says:

    Eu cá tou reformado nã me assaltem a casa por amor de deus queu nã tive nada a ver com isse


  9. O “comentário” do José Pinto revela bem a merda de pais que temos. Há realmente uns quantos filhos da puta que andam a precisar de ser lembrados de como elas mordem quando o povo se revolta. Infelizmente para alguns ranhosos, o povo também inclui sindicalistas de colete vermelho, que infelizmente não faço a mínima ideia quem seja, mas espero que te rebente a peidola toda, Pinturso.

  10. Filomena Pereira says:

    Chama-lhes um cidadão decente filhos da puta e fascistas e essa ralé que nos rouba impunemente ainda nos dá com cacetadas.
    Extinção da PSP já, é malta dos bairros sociais a 900 euros ao mês.

  11. Filomena Pereira says:

    30 anos de cadeia para cada um é pouco.
    Deviam ser enforcados esses sub-humanos da polícia.

  12. Cadastrado nº6014 says:

    Eu apanhei 12anos em Caxias por roubar um banco com o Palma Carlos, mas ele saiu 8 anos antes.A culpa foi da PSP

  13. Cadastrado nº6014 says:

    A poliça é do piorio meus..coisinhos pás…camaradas…

  14. Ainda não ó bestuntos de farandulho says:

    merda boçes hoje tão lentos….nem dão pró cacete da polícia

    querem entrar pó gangue da bela vista como honorários..o avô metralha anda nisto há 60 anos.


  15. Ao José Marques, não percebi o “comentário”.
    Eu referia-me ao facto de toda a Europa estar a comentar isto, enquanto se fossem agredidos vários grevistas/transeuntes seria considerado banal. Estariam hoje os jornalistas todos a protestar se não tivessem sido os “deles” a levar no focinho?
    Ainda para o José Marques, o meu pais não é “de merda” mas tem muita gente que não faz cá falta nenhuma e cada vez está pior frequentado! Quem não sabe argumentar insulta e é malcriado. Cada um é quem é.
    Ainda em relação à greve, ainda bem que a PSP expôs a sua faceta mais teneborsa, senão o esforço e sacrifício de todos os que perderam o dia para se manifestarem teria quase passado em branco, como “mais uma greve”.

  16. Mais teneborsa yeah says:

    mas tem muita gente que não faz cá falta nenhuma e cada vez está pior frequentado! Quem não sabe argumentar insulta os velhadas que merecem respect…
    A gente aqui da ciganada gosta bué dos antigos que andaram na prisa e com pensão…mais teneborsa?
    Uns afagos a STASI ou os RUC irlandeses aquilo é que era malhar
    A securitate então ainda é….a mesma

  17. à morte says:

    câmara de gás para esses gajos que não fazem falta nenhuma
    untermensh que insultam os seus senhores? jámé…

  18. guarda nº3821 says:

    Se vossa senhoria deixar
    A gente limpa-lhes o sebo já


  19. Só se foca os jornalistas, daí a polícia só considerar investigar estes dois casos, colocando-se a margem do problema de base – a violência arbitraria sobre os manifestantes, turistas….Quem os defende?

    Imagens e vídeos realmente não faltam, não esquecendo as câmaras de vídeo dos bancos…

  20. Os senhores doutores têm razão são porcos e maus.... says:

    Devem ter todos um curso universitário nã é…

    um daqueles só tinha o 12º….mesmo os pobrecitos que pagam a farda são ralé

    nenhum filho de boas famílias é polícia

    mesmo oficial da policia é mal visto…

    ê tamém assumo que evito os ex-alunos e ex-colegas que só tiraram o 11º ou aqueles que ainda entraram com o 9º

    cheiram mal…e são corruptos…e pobres

    alguns nem internet têm…

  21. Os senhores doutores têm razão são porcos e maus.... says:

    espero até que o polícia tenha um processo disciplinar e seja expulso

    curiosamente o Isaltino nunca foi expulso até o bibi foi só reformado compulsivamente

    é de boa cidadania punir os polícias mas não os juízes…

    claro os polícias são gueto…chelas bela vista cova da piedade ou são rurais e logo boçais…

    bebiam vinho aos 6 anos fumavam aos 8 e nunca leram um livro
    e jornais só os da bola…animais…bichos nã sã gente


  22. Pois… Com o pequeno pormenor que todos usam a mesma farda e estão sempre prontos a encobrir as asneiras uns dos outros… Isto é mt simples: ou há limpeza na polícia que tem actuado mt mal nas últimas manifs, ou então o feitiço vira-se contra o feiticeiro numa das próximas ocasiões. Depois queixem-se que levou o justo pelo pecador…

  23. maria celeste d'oliveira ramos says:

    A polícia de que se fala aqui de 1962 não é a polícia de Hoje – para quem não sabe há uma Escola Superior de Polícia que por acaso é, também, no meu bairro que é de facto uma “cidade dentro da Cidade- a polícia de 1962 não tinha sequer a 4ª classe e
    ia para polícia quem se calhar não tedo mais saísas ía para lá, como os pobres que queri8am estudar íam para o SEMINÀRIO e saíam “padres” – não sei se os polícias do Chiiado que se abateram ao cacetete ontem contra quem quizeram até uma senhora da minha idade, que não tinha ar de andar a bater em polícias, não sei, repito, se têm ou não a 4ª classe ou são “formados na Escola Superior” – O que quer que seja aprenderam pelo menos a usar o cacetete, mas alguém os mandou atirar a torto e a direito, e que não se espere por resultado de inquéritos porque, se forem feitos, nem nunca dirão a verdade, como não disseram nada sobre a porrada que deram na greve anterior que até se viu, e bem, no noticiário TV na rua do Alecrim ao Chiado – Há muito que não se via isto do tempo de Salazar em quer o MÊDO era o pão de cada dia (até eu vivia no mêdo sem perceber porquê-era um social lixado e para menina mais ainda com o velho machismo e marialvismo) pelo menos para os que eram politizados e se revoltavam e metidos no Aljube e em Caxias – conheci e tive amigo que lá entrou e saíu várias vezes e já Deus o levou e creio poder dizer que era João Pulido Valente, médico que andava pelo alentejo a dar consultas gratuitas – E creio bem que não tardarão a “matar” mesmo, e já os vi usar a “taser” em prisão e mostraram o prisioneiro de joelhos no chão e esperam que não tenha sido apenas eu a ver a imagem na TV no tenmpo do eis ministro da Administração Interna que explicou que a taser era “inocente” e não matava ninguém, e porque o poder de fazer mal começa a impoerar neste país – Empobrecer para depois “enriquecer” foi dito e redito pelo primeiro ministro e, por mim, acho que já roubam para me EMPOBRECER e enriquecer amigos, para mais tarde voltarem e me fazer empobrecer mais e mais, porque a procissão ainda vai no adro como se nota, e como não sou gestora (nem familiar) de gestor de empresa público-privada, aqui ando a trabalhar para ser alegremente roubada e sem pode, sequer, PIAR, porque não arrumo dinheiro em paraíso fiscal e mo tiram antes de me pagar o meu salário – já vem bem descontado como FP que sempre fui e continuo

  24. Carlos Fonseca says:

    #19
    Tem toda a razão, manifestantes, turistas e transeuntes, estes idosos, foram igualmente apanhados pela onda de violência da PSP. Vou fazer uma adenda ao ‘post’.
    #Aos comentadores discordantes:
    Respondo com a transcrição desta sublimar frase do guarda 3821 (#18):
    ” A gente limpa-lhes o sebo já ” – está é a cultura da PSP de há muitos, muitos anos. Tão intensamente praticada que até se dividem entre secos e molhados.


  25. XUXAI-ME A PILA

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.