Flashmob, hoje no Chiado

Por causa da lei marcial. Um teste, portanto. Espero que tenham pedido licença ao sr. governador civil.

Comments

  1. agitador reaccionário says:

    Hahahahaha lei marcial! Pergunto-me o que chamariam a uma lei marcial a sério…

  2. Advogada do pai de Mohamed Merah diz ter dois vídeos nos quais ele pergunta à polícia: “Porque me matam? Estou inocente”. Assassino de Toulouse seria “informador” dos serviços secretos franceses.

    Ler mais: http://expresso.sapo.pt/assassino-de-toulouse-foi-liquidado-para-esconder-a-verdade=f716384#ixzz1qsEv2YBG

  3. comprar estrangeiro cá dentro … http://www.youtube.com/watch?v=BvanjY-nFo8

  4. #1 uma lei marcial a sério queria o reaccionário. Tem um inconveniente: implica umas dezenas de milhares de mortos. Assume lá esse seu desejo…

  5. agitador reaccionário says:

    João José Cardoso, está cometer um erro muito frequente de alguns sectores da dita “esquerda”, que é o de pressupor nos outros os seus (deles) desejos e intenções, sem sequer os conhecer.
    Haverá com certeza lugar à lei marcial em determinadas circunstâncias específicas, que não são (nem se aproximam tampouco) das actuais.

  6. maria celeste ramos says:

    E o que se vive que lei é ?? que lei tem ?? há cada reccionário no aventar que até xateia – tão novinho e já tao “direitinho” – e essa de distinguir esquerda de direita em vez de distinguir entre gente nomal e filhos da puta é brilhante – será algum skin head ?? ou é parente de Le Pen e Sarkozy ?? os portuguses sempre foram muito promíscuos – casam-se não importa com quem e têm filhos abortos

  7. agitador reaccionário says:

    A “maria celeste ramos” conceder-me-á que eu escrevi «dita “esquerda”». Se a palavra “dita” não chegasse, coloquei o “esquerda” entre comas, para demonstrar a credibilidade que atribuo a tais conceitos (esquerda/direita). Quando a eles me refiro, quero apenas indicar o clube de futebol político (porque é disso que se trata) que o meu interlocutor de ocasião escolheu seguir como apoiante. Gente normal e filhos da puta? Assim em absoluto? Sem depender da opinião de cada um? Brilhante. Recomendo que escreva um livro de textos sagrados, para que todos possamos seguir os seus ditames.
    Vive-se lei marcial, hoje? Sério? Tem a certeza de que sabe o que é uma Lei Marcial?
    (…)
    [comentário editado: podes ser reaccionário, mas não insultas os presentes, sobretudo quem tem idade para ser tua bisavó. mais uma destas e vais parar a troll, entendido?]

  8. agitador reaccionário says:

    Ao editor do anterior comentário: há-de reparar que eu utilizei EXACTAMENTE as mesmas palavras que a comentadora antecedente. Se as minhas são ofensivas, também as dela serão, não? Ou há ofensas aceitáveis? Há que ser minimamente coerente e, nesse caso, editar também o comentário dela.
    Quanto a ir “parar a troll”, é vossa (sua) prerrogativa.

  9. Não, há uma diferença entre um vago e genérico filhodaputa e chamar puta a quem, repito, tem idade para ser sua bisavó.
    E não sou editor do comentário anterior, sou autor do post e divergências à parte mais depressa deixo andar um insulto que me seja dirigido que outro trocado entre comentadores. Tentamos manter a casa limpa, só isso.

  10. agitador reaccionário says:

    João José Cardoso: vago e genérico? Vá lá, não sejamos ingénuos, sim? O que estão a fazer, ao não editar o comentário da maria celeste ramos (ou manter o meu como original) é a dar o vosso aval ao insulto que me foi dirigido. A idade da senhora não pode ser justificação para que ela se possa dar a essas liberdades.

  11. agitador reaccionário says:

    (e com certeza terão reparado, tanto o JJC como o Editor Selectivo que, concordando ou não com o que aqui se dizia, não ofendi ninguém; como tal, mereço também não ser ofendido)

  12. “essa de distinguir esquerda de direita em vez de distinguir entre gente nomal e filhos da puta é brilhante” não é um insulto, no contexto, quem quiser enfia a carapuça. Quem tiver a cabeça maior do que isso, sente-se normal e segue o seu caminho.

  13. agitador reaccionário says:

    João José Cardoso, o ofensivo (e que eu me limitei a parafrasear no meu comentário seguinte, entretanto editado pelo Editor Selectivo), foi “os portuguses sempre foram muito promíscuos – casam-se não importa com quem e têm filhos abortos”. Nem considerei esse comentário que transcreve como sendo dirigido particularmente a mim. Se não considera ofensivo o comentário da mcr que citei acima, também não o será o meu, no qual usei exactamente os mesmos termos.

  14. Eu poder responder, podia, citando a frase integralmente. Mas a inteligência, pouca, é certo, que ainda devo ter não me faz cair nessa esparrela. E não me sinto insultado pela tentativa de me fazer cair nela, é como a tal de carapuça, cai quem quer…

  15. agitador reaccionário says:

    João José Cardoso, acho que está a ver conspirações onde não existem. Não o quero fazer responder a nada. Pretendo apenas que não me censurem os comentários por um pretenso pudor etário, quando eu me limito a usar exactamente as mesmas palavras de quem me antecedeu. Se as minhas palavras são ofensivas, também serão as da mcr. Será assim tão descabido? Não lhe parece justo?

  16. Ricardo Santos Pinto says:

    Agitador reaccionário, leio o comentário da Maria Celeste Ramos e não vejo nenhum insulto que lhe seja dirigido.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.