Metas de aprendizagem

Há documentos que falam pelos seus autores.

Este fala por Crato – senhores e senhoras, meninos e meninas, o regresso ao tempo da televisão a preto-e-branco numa matriz pedagógica completamente velha e vazia de conteúdo: as Metas de Aprendizagem!

Neste momento, as de matemática, as de português e as de  TIC. Depois aparecem duas, as de EV e de ET, que não estão assinadas. Será que ninguém as quer assinar? Será que …

Mas uma só pergunta: isto são Metas de Aprendizagem baseadas no currículo, certo?

Em que currículo, se ele ainda não existe?

E já agora, os programas? De EV e de ET?

E na minha área, matemática, o “novo programa” é para manter? Com metas que falam em objetivos?

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Como é que os atletas dos europeus em Helsínquia e que têm pouco mais ou menos de 20 anos, saltam barreiras melhor do que os cavalinhos, correm não sei quantos metros em minutos como as gaselas, lançam o disco que nem sei quantos kilos pesam a 70 metros – Tudo sem “dopping” – Além daquele menino americano não sei em que circunstância ganhou no mesmo dia não sei quantas medalhas de oiro em natação – Como se leva o desporo mesmo chamado de alta competição a esta quase barbaridade ?? E mesmo os ciclistas que velocidades atingem e disparam serra acima e vale abaixo ? Testando limites de quê ? – Bem, não será o desporto escolar assim com tanta competição internacional também uma motivação de escala “nacional” para se “estar no mundo de hoje” ?? E depois acabam aquela proeza e passeiam-se na pista como se nada fosse e sorriem ?? Como se preparam e que papel tem as escolas onde estudam e estudam quanto e o quê ?? Mundo de super-homens ??

  2. Bom Dia,
    obrigado pelo seu comentário, ou antes, obrigado por fazer parte do Aventar! A questão em torno das metas não é necessariamente essa, isto é, o conceito de metas, nos termos em que coloca podem fazer sentido. A mim, enquanto professor importa saber o que tenho de trabalhar em cada ano, acontece que, para isso, já tinha os programas. Esta coisa das metas acaba por ser castrador porque leva os conteúdos necessários para um campo minimalista e esse é o problema. Esta concepção reduz a educação, reduz o currículo e no caso da proposta de Crato é tão absurda, quanto passada – se o sr. Comentador Nuno Crato fosse Professor de matemática saberia que as metas definidas são uma coisa de ontem e não de hoje. Têm conceitos ultrapassados e levam a matemática de regresso aos tempos em que todos tinham negativa a matemática. Um erro CRATO!

    JP

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.