Deus: dentro ou fora?

 

Já aqui disse que havia comprado o Diário de Etty Hillesum, a judia que morreu em Auschwitz em Novembro de 1943.

Apetece-me partilhar o que ela escreveu a 26 de Agosto de 1941. Pode servir para discussão!

Dentro de mim há um poço muito fundo. E lá dentro está Deus. Às vezes consigo lá chegar. Mas acontece mais frequentemente haver pedras e cascalho no poço, e aí Deus está soterrado. Então é preciso desenterrá-lo.

Imagino que há pessoas que rezam com os olhos apontados ao céu. Esses procuram Deus fora de si. Há igualmente pessoas que curvam profundamente a cabeça e a escondem nas mãos, penso que essas procuram Deus dentro de si.

Comments


  1. Acho que apenas nos procuramos a nós…
    É a nós que precisamos encontrar, quer sejamos religiosos como a Maria do Céu, quer sejamos agnósticos como eu.
    Um abraço.

    • Maria do Céu Mota says:

      mfc, sim, também acho que nos procurámos a nós em primeiro lugar. Mas dentro de nós (talvez nos possamos comparar a um poço!) hà quem encontre Deus… e talvez esteja tudo muito bem misturadinho lá dentro! Abraço.

  2. julia says:

    BUDA dizia:
    “Serve-te do teu próprio apoio, da tua própria vertdade e da tua própria luz”
    Digamos com Jesus: Deus é o Pai, é o autor dos Universos, das Galáxias…E tudo o mais são palavras.
    Minha opinião: cada um de nós tem no seu interior um Templo, onde poderemos iniciar …o trabalho para a Paz do UNIVERSO.
    Um a um somos os fazedores da PAZ ou da guerra.
    Para dar uma resposta ao título:
    Deus está sempre connosco. Aonde, não sei…
    Até amanhã! Até sempre!
    Júlia Príncipe


  3. Eu tenho muita dificuldade em acreditar e confiar num Deus lá nas alturas, não consigo imaginar uma “entidade superior” que nos protege. E é por isso que não adianta fazer-lhe pedidos, em troca de promessas. Sou, por isso, também de opinião que Deus está dentro de nós, mesmo que em grande parte das vezes esteja soterrado. Deus é a nossa verdadeira essência, sem artifícios, nem mentiras. Se conseguirmos encontrar essa essência, comunicar com ela, ficamos mais fortes. Mas é imprescindível que sejamos sinceros connosco próprios, senão Ele continuará soterrado.

  4. maria celeste ramos says:

    Sim, se não encontrarmos Deus dentro de nós na alegria e mais ainda na Dor, Deus ficará soterrado pois está sempre connosco nesse Templo do nosso ser e se n’Ele não acreditamos quando sofremos, não O entendemos – Deus é isso que fazemos e nos acontece – é a nossa própria VIDA – somos seres divinos mesmo ateus – Deus não se preocupa com os ateus pois também está com eles mesmo que o “neguem” – porque Deus É – como o céu É – como o Rio É – como tudo É – é Omnipresente para além da nossa “crença” – Por isto também os “peregrinos de Fátima” me comovem – vejo como eles “conversam com Deus” – e todos conversamos com Deus sem dar por isso – e mesmo negando isso – para Deus tanto faz negá-lO ou não – Ele permanece – mesmo para além de “judas”

  5. Amadeu says:

    Esqueçam deus e procurem só. Dentro ou no outro.
    Confucio disse: fuck deus.

  6. Armindo de Vasconcelos says:

    Penso que todos procuramos respostas. Mas de uma coisa eu tenho a certeza: no final, quando todas as respostas forem encontradas, será Deus a grande resposta.
    No entanto, não nos fica nada bem tratá-Lo mal, insultá-Lo, invocar, em vão, o Seu nome. Se acreditamos, falemos com Ele. Se não, porque perder tanto tempo a misturá-Lo na nossa tacanhez?!
    “Deixai vir a mim as criancinhas”, disse Jesus. Mas as criancinhas não dizem palavrões, muito menos em inglês, língua que Confúcio não inventou.

    • Maria do Céu Mota says:

      Belo comentário, caro Armindo. Obrigada!

      • Armindo de Vasconcelos says:

        Não devemos ter medo de assumir a nossas crenças, a nossa fé, se assumimos com um sorriso as nossas leviandades. E, se me respeitarem, terão o meu respeito. Se não o fizerem, o meu lado iconoclasta revela-se. Jesus também expulsou os vendilhões do templo. Com um azorrague! E, confesso, tenho uma “costela da Areosa” que destila algum mau feitio quando não respeitam convicções.
        Eu é que agradeço à Maria do Céu por ter escrito este “post”

  7. Amadeu says:

    Só respeito o pai natal com as criançinhas.

    Que mundo maravilhoso será quando o deus pai escapatória das nossas dúvidas for refúgio de apenas uns quantos fundamentalistas.
    Sairemos da adolescência, teremos que nos voltar para o nosso próximo, a família, os amigos, o desconhecido. Que medo …

    E quem não desistiu dos seus sonhos sabe. Que felicidade …

    • Armindo de Vasconcelos says:

      Parafraseando o Almirante Pinheiro de Azevedo, “bardamerda para o fundamentalista”!

  8. Amadeu says:

    Na minha infância, o doutrinamento em tenra idade correspondeu a um sequestro. Não gosto de ser sequestrado. É uma coisa que me chateia.
    Além de que deus é … só fumaça.

    • Maria do Céu Mota says:

      Caro Amadeu, este assunto é muito delicado. Há que respeitar o que cada um pensa. Para si Deus é só fumaça. Ok, pelo menos já é alguma coisa! E para si, já vi que ele existe («fuck Deus» e fumaça). Ninguém é obrigado a acreditar.

    • Armindo de Vasconcelos says:

      É dos livros que, comummente, os sequestrados acabam por apaixonar-se pelos sequestradores ou, pelo menos, acabam a nutrir por eles sentimentos de afeição. Há quem diga que a psicologia explica isso, não é a minha vertente, não posso afirmá-lo. Mas muito poucas destas vítimas assumem, por medo de serem mal interpretadas, julgadas socialmente. Penso que o que está errado é criarmos sobre a fé (seja lá o que for esse conceito) um “olhar deserto”, como escreve João de Melo.
      Para mim, Deus não é o senhor do meu karma. A minha existência escreve-se e constrói-se nos “acasos da vida que são outros tantos capítulos reunidos sob o título “destino”. E não preciso de me rebelar contra “rituais de saudação com séculos de chicote”.
      E, como revela Rubem Fonseca, era “uma pena que os homens tivessem que ser julgados como cavalos de corrida, pelo seu retrospecto”. Não, não julgo Deus pelos actos dos homens em Seu nome, ao longo da história das religiões, porque, “na minha pátria, todas as frases (que em nome da religião nos ensinam) são sonhos proibidos, coros de bispos e manicómios silenciosos”. Não, não vou por aí!
      Prefiro viver “juntando as coisas a um canto da cabeça, como quem arruma um armário atafulhado de objectos sem função”. É isso que faço ao que me atormenta, tenha sessenta e um anos na minha história ou apenas alguns minutos. Não quero, como Ismaïl Kadaré, sentir-me “demasiado angustiado para poder sorrir francamente”. Não quero retirar-me “da vida ainda em vida”.

  9. Amadeu says:

    Cara Maria do Céu,
    Eu respeito as pessoas que acreditam no seu deus.
    O que eu não respeito são os deuses das pessoas.
    Claro que quando me refiro a deus é deus conceito, deus ideia.
    Viva o pai natal.


  10. THE ESSENCE OF GOD
    The “ESSENCE OF GOD” is composed of “FISICOU SPACE UNIVERSE” occupied by an “INTELLIGENCE” the highest degree of perfection, to give origin in time and space of all forms of “ENERGYES”, jogging, from the atom, with its structures infinitesimal dimensions, until all the heavenly bodies that make up the cosmos in perfect harmony and balance in their movements, and the purity of their feelings of “LOVE” consisting of “piety”, “JUSTICE” and “LOVE “gives us the existence of life

    A ESSENCIA DE DEUS
    A “ESSENCIA DE DEUS” é composta de: “ESPAÇO FISICOU DO UNIVERSO” ocupado por uma “INTELIGENCIA” do mais alto grau de perfeição, para dar a origem no tempo e no espaço de todas as formas de “ENERGIAS”, que movimentam, desde o átomo, com suas estruturas infinitesimais dimensões, até todos os corpos celestes, que compõe o Cosmo em perfeita harmonia e equilíbrio em seus movimentos, e a pureza de seus sentimentos de “AMOR” constituído de “PIEDADE”, “JUSTIÇA” e “AMOR”, nos dá a existência da vida

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.