Quanto custa a propaganda do mercado social de arrendamento?

Como me diziam há dias, a demagogia destes pindéricos que nos governam dá-me cá uns engulhos que nem imagina, leitor. E isto agora propósito da nova e tão propalada iniciativa do mercado social de arrendamento. Dê-se ao trabalho de entrar no site e tente fazer uma simulação com um ordenado de 1000 ou 900 euros e sem encargos.

Com mil euros diz-nos que “Valor de renda mensal admissível com o seu rendimento: entre 100 € e 300 €”. Com 900 diz que o “Valor de renda mensal admissível com o seu rendimento: entre 90 € e 270 €”.  Com 485€ o “Valor de renda mensal admissível com o seu rendimento: entre 48,5 € e 145,5 €”.

Poderá então pensar que são valores razoáveis. Bastaria, portanto, escolher uma casa que se enquadre nestes valores. Mas pesquise  casas em Sintra e diga-me o que encontra. Nada!  Nem um T0 numa cave com o chão da divisão em cimento.

A questão é, claro, para que serve isto? Serviu para empregar uns quantos boys que especificaram isto, para dar trabalho à empresa que implementou o software e o serviço e para uma notícia no parlamento TDT das 20 horas, em sinal digitalmente estragado.

Quanto custa esta propaganda? Isto não é uma pergunta retórica. Agora que passa a ser obrigatório mais umas facturas até para um café, o estado tem  ainda maior obrigação de informar quem paga.

Comments

  1. Anabela Romba says:

    Tem razão em Almada é a mesma coisa. Nem em 500 euros nem T0 se consegue arranjar alguma coisa. E 500 eur0s não é renda social. Só podem estar a gozar comigo.

  2. Amadeu says:

    A montanha (?) vai parir um rato

  3. maria celeste ramos says:

    Para que serve o INH/IHRU que tem o nosso IRS para construir habitação “social” de que afinal fui membro de júri 12 anos ??? (1999-2008) e era essencialmente o programa PER e de cooperativas + CDH – programa especial de realojamento – adorei fazer este trabalho e contactar sobretudo com os habitantes que ganharam a “casa” mas também com autarcas e vereadores de arquitectura e urbanismo e ambiente (??? para furar a lei) e projectistas que nos recebiam e apresentavam oralmente o “projecto” – vitavam connosco os empreendimentos e depois da visita éramos nós a dar o parecer do que víamos – vi coisas indizíveis até habitação em plena ria de aveiro dentro de água e com bombas para ?? para quê ??? ou em áreas declivosas para ter “boa vista” e cairem talude abaixo + em áreas de terra agrícola abandonada + em REN ++++++++++ indizível – qual PDM qual carapuça – o júri era formada por técnicos de Lisboa e Porto – e também incluía Madeira e Açores e as viagens eram muito cansativas pois eram milhares de km de camionete + avião – creio sem ter já a certeza que este programa foi copiado em “frança” – seria ?? pelo menos s DECO foi como foi o programa de Isabel Jonet espalado pela europa


  4. Vergonhoso.. arrendamento social para os mais ricos (com maiores rendimentos)… Enfim… sem palavras…

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.