Postcards from Romania (4)

Elisabete Figueiredo

Os dedos da mão como se fossem ruas

O hotel tem um pátio. A miúda da receção quer que lhe fale em inglês e assim faço. No pátio um velhote pergunta-me em italiano se sou italiana. Digo que não, mas que falo um pouco e começo a falar pelos cotovelos, o que parece agradar-lhe, dado que faz o mesmo.

Ponho as coisas no quarto. Saio e peço orientações para chegar à praça. O senhor explica-me muito bem usando os dedos da mão como se fossem ruas. Intervala as explicações com ‘amore mio’, com a mesma entoação com que os ingleses dizem ‘darling’. Parece-me um bom lugar. Saio. Encontro a praça. Está fresco e as pessoas sentam-se nos bancos. Estão calmas e parecem estar contentes. Também me sinto contente.

Não é preciso dizer mais nada, quando se escrevem postais.

(Brasov, 7 de Agosto de 2012)

Comments

  1. maria celeste ramos says:

    Por acso lisboa tomando a praça do comércio também se percebe que a baixa se desenvolve como os dedos da mão – muito belo

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.