Mais estudantes de ciências no Reino Unido

Parece que nem tudo é fumo e espelhos no ex-império (em inglês)…

A primeira cidade portuguesa contra as touradas, teve uma tourada nas festas da cidade

UMA TOURADA EM VIANA
O PODER POLÍTICO DA CIDADE PERDEU
O autarca José Maria Costa é um homem indignado. O tribunal Administrativo de Braga autorizou uma tourada que ele tinha proibido.
Coitado do senhor autarca que assim se vê desautorizado.
Os votos que elegeram o sr. Costa, nada parecem ter tido a ver com o assunto que agora se debate à saciedade por tudo quanto é jornal, televisão ou rádio.
A Prótoiros reclama vitória dizendo “Hoje caiu a Catalunha Portuguesa”.
O certo é que a praça de toiros provisoriamente montada encheu, apesar de todas as “lutas” e as “manif’s” contra a tourada.
Será que é chegada a altura de a Praça de Toiros de Viana do Castelo ser devolvida aos aficionados das touradas? Por aquilo que se viu, a tourada não é sulista nem elitista nem de um grupelho de más pessoas, é Nacional e abrangente, seja lá isso o que possa querer dizer.
Os números não mentem, 2300 bilhetes vendidos, 100 manifestantes em duas manifestações diferentes, contra a tourada.
Os termos usados pelos aficionados foram os bilhetes que compraram, enchendo os lugares disponíveis. Os usados pelos manifestantes foram as palavras de ordem, assassinos bandidos e palhaços, acompanhados de insultos, gritos, ameaças, pontapés e murros.
Os actos ficam para quem os pratica.
Em Viana, e não só, sempre houve corridas de touros. No Norte há quem goste, apesar de hoje ser considerado, em certos meios, uma desgraça, esse gosto.
Será que esta gentinha não tem mais nada que fazer que andar a chatear os outros? Não têm vida?

ornatos violeta, capitão romance

capitão romance foi o segundo single do álbum de 1999 dos ornatos violeta, “o monstro precisa de amigos”.
esta música conta também com a voz de gordon gano, vocalista dos violent femmes que viajou até portugal para cantar em portugues com a banda portuense.

Rui Miguel Duarte sobre o acordo ortográfico: a razão das raízes

Rui Miguel Duarte é Doutorado em Literatura, investigador do Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e poeta. Tais habilitações merecem, no mínimo, que as suas opiniões sobre a língua portuguesa devam ser lidas com atenção. [Read more…]

Infante D. Henrique – O Navegador

Apesar de realizado no âmbito do triste concurso dos Grandes Portugueses, ganho, relembre-se, pelo não menos triste Salazar, há partes deste documentário que são aproveitáveis para discorrer sobre o Infante D. Henrique. É uma questão de fazer a montagem respectiva.

Tema 5 – Expansão e Mudança nos secs. XV a XVI.
Unidade 5.1. – A Abertura ao Mundo

Coimbra é uma lição